Análise Arkade: fazendo a festa com Just Dance 2017

19 de novembro de 2016
Autor: Arkade

Análise Arkade: fazendo a festa com Just Dance 2017

Recebemos um super kit do jogo para testar e contamos tudinho aqui para você que quer reunir os amigos para uma dance party gamer!

O set list

Se em outros tipos de jogos o que importa é a história, em jogos musicais o que interessa é o set list, certo?  Este ano temos uma seleção de músicas bem variada e divertida! São 40 músicas novas + as do Just Dance Unlimited nas plataformas novas — caso você pague pelo serviço, claro! — que juntas formam um mix muito legal de novidades e clássicos.

Análise Arkade: fazendo a festa com Just Dance 2017

Dois destaques são tupiniquins: Te Dominar, da Daya Luz (ex-dançarina do Faustão, lançada recentemente no mercado, e convidada pela Ubisoft para compor uma música especial para o jogo após competir com os dois campeões de Just Dance na última Comic Con) e, claro, a Anitta, bola da vez no cenário musical, com a famosinha Bang.

Outros destaques são Dragosta Din Tei (a maldição que inspirou Latino a produzir Festa no Apê), Watch me, Cheap Thrills, Cake By The Ocean, Lean On, Into You e Hips Don’t Lie.

Aí tem um vídeo, feito pelo canal Just Dance Word, com as músicas do jogo, um trechinho das coreografias, e as novidades que entraram no Just Dance Unlimited com ele:

As coreografias

O equilíbrio entre as coreografias é muito bom, oferecendo um bom nível de desafio — e um bom exercício — para pessoas com diferentes  habilidades. Tendo coragem e desenvoltura, qualquer um pode sacudir o esqueleto e se divertir com o game.

Abaixo um exemplo de coreografia em nível fácil:

Já as coreografias intermediárias exigem um pouco mais de coordenação, mas ainda dá pra pegar o jeito e entrar no ritmo naturalmente conforme a música avança.

Exemplo abaixo:

E por fim temos as coreografias extremas, que mesmo um pouco mais complexas e trabalhosas, até são executáveis depois de algumas tentativas. Infelizmente o esquema de gravar do One não capturou o fracasso da primeira tentativa como deveria, então coloco um gameplay oficial para ilustrar:

Ainda que os hits pop atuais dominem o game (e provavelmente a preferência do público), na minha opinião, as danças com inspiração de outras culturas e épocas — como Cheap Thrills versão Bollywood, Lean On com inspiração na dança indiana e árabe, e a Little Swing com o espírito do estilo swing no melhor dos anos 20 — merecem destaque e dedicação extra pelo trabalho de pesquisa sobre figurino e passos. A produção, que é colorida e caprichosa como sempre, ganha ainda mais valor quando colocada ao lado de ritmos e épocas diferenciados.

Análise Arkade: fazendo a festa com Just Dance 2017

Também sobra espaço para criatividade e um pouco de bizarrice: há uma versão de Hips Don’t Lie com lutadores de sumô dançando e uma de What Is Love feita dentro de um carro (?!) — acho levemente interessantes para crianças e bêbados em festas.

Aliás, acho até meio óbvio dizer isso, mas fica a dica: Just Dance 2017 é o tipo de jogo ideal para animar festas, pois, passada a vergonha inicial, todo mundo se solta e se diverte!

One x 360

Além da versão Xbox One, tivemos a oportunidade de testar também uma cópia do Xbox 360 para esta análise. A qualidade visual é a mesma, porém, alguns recursos são diferentes. Vamos a eles:

Xbox One

  • Capacidade para até 6 jogadores simultâneos
  • Just Dance Unlimited disponível (mediante pagamento)
  • Menu inicial diferenciado, com divisão por modalidade de jogo: Unlimited, Dance (Rival e Coop), Word Dance Floor, Just Dance TV, Dance Quest, Sweat and Playlists, Video Challenge e o Machine (um novo modo de jogo, em que dois aliens ficam sem combustível na Terra e você carrega a nave acertando as rotinas curtinhas que a máquina sugere).
  • Just Dance Controller. É um app para celular que funciona como um controle para captura de movimentos. Continua sendo uma ótima opção para quem não possui Kinect ou é prejudicado por uma sala pequena (tipo quando o Kinect não consegue enxergar suas pernas…Fica a dica!)
  • Dançar gera pontuação, que possibilita desbloqueio de versões alternativas das coreografias.

Xbox 360

  • Capacidade para até 4 jogadores
  • Sem Just Dance Unlimited
  • Menu apenas do modo Just Dance (com opção Sweat and Playlists entre as músicas e possibilidade de ligar o contador de calorias no jogo)
  • Sem uso do Just Dance Controller. Tentei controlar o menu do jogo apenas pelo Kinect, como os anteriores, e achei um pouco mais sofrido.
  • As coreografias alternativas são liberadas aleatoriamente, conforme seu progresso. Meio triste depois de jogar no One e poder trocar por pontos as que mais gostava.

No geral, ambas as versões do game são boas — assim como devem ser as de todas as outras plataformas –, mas a versão Xbox One sai na frente por oferecer mais recursos e modos de jogo, o que deve acontecer também no PS4 e no Wii U. Felizmente, as “limitações” da geração passada são pequenas, e a qualidade do set list, do visual e das coreografias deve ser o mesmo em todas as versões.

No fim das contas, o que importa em Just Dance é se divertir (e queimar umas calorias), e isso você com certeza vai conseguir fazer em qualquer plataforma. Juntos dos amigos, então, fica ainda mais legal, com micos conjuntos que certamente rendem boas risadas.

Conclusão

Para quem curte dançar, Just Dance ainda é o jogo mais divertido e completo do gênero, mesmo que esta versão 2017 chegue sem tantas inovações práticas como nos anos anteriores. A playlist bem variada tem potencial para agradar a todos, o uso do app para dançar funciona muito bem e a possibilidade de trocar pontos por coreografias alternativas é um ótimo incentivo para continuar dançando!

Just Dance 2017 foi lançado em 25 de outubro para PlayStation 4, Xbox One, Xbox 360, Playstation 3, Wii U, Wii e (pela primeira vez) para PCs.

* Quem assina esta resenha é a jornalista convidada Stela Tondo.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *