Análise Arkade: A bela aventura submarina no Metroidvania Song of the Deep

18 de julho de 2016
Autor: Renan do Prado

Análise Arkade: A bela aventura submarina no Metroidvania Song of the Deep

Song of the Deep é o primeiro metroidvania desenvolvido pela Insomniac Games, os mesmos que criaram a franquia Ratchet & Clank, em parceria com a GameTrust. Sendo também o primeiro game da produtora feito também para os PCs. Confira agora com a gente essa verdadeira exploração por águas desconhecidas tanto para a Insomniac, quanto para a jovem Merryn!

Um conto do mar, contado pelo pai, vivido pela filha

Análise Arkade: A bela aventura submarina no Metroidvania Song of the Deep

Song of the Deep é um game simplesmente cativante, nos transportando para o fundo do oceano em uma busca emocionante. Acompanhamos a história de Merryn, uma jovem garotinha que vive com seu pai pescador, e que é fascinada com todas as histórias e lendas que ele a conta, amando tudo sobre o mar. Um dia, o pai de Merryn saiu para pescar em seu barco, mas não retornou no fim do dia.

Preocupada, Merryn coloca em prática todo o seu conhecimento náutico, e utilizando sucata que encontrou aqui e ali, construiu um pequeno submarino e partiu para o fundo do oceano em busca de seu pai desaparecido, temendo pelo o que pode ter acontecido a ele. E assim, controlamos Merryn por um novo e belíssimo mundo submarino, inspirado por personagens da mitologia irlandesa.

Análise Arkade: A bela aventura submarina no Metroidvania Song of the Deep

O game conta a história do fundo do oceano enquanto progredimos, através de uma narradora que conta detalhes sobre Merrys e os lugares por onde passamos, nos contando um pouco da história dos Merrows e dos Fomoris, criaturas oriundas da mitologia irlandesa. Os primeiros, uma graciosa raça de sereias, e os segundos uma poderosa e terrível raça submarina que ameaçava a vida de todos no fundo do mar.

Assim, enquanto acompanhamos Merryn em busca de seu pai, descobrimos mais sobre esse mundo, e nos envolvemos com sua história e principalmente com seus perigos.

Um Metroidvania “de raiz”

Análise Arkade: A bela aventura submarina no Metroidvania Song of the Deep

Song of the Deep é um game do bom e velho estilo Metroidvania, e muito competente nisso. O game lembra principalmente o clássico Super Metroid do saudoso Super Nintendo, o que é um ponto muito positivo para. O mapa do game é enorme, cheio de labirintos e lotado de puzzles para resolvermos.

Um ponto forte do estilo Metroidvania aqui é o backtracking. No game controlamos Merryn, pilotando seu modesto submarino pelos perigos adiantes. E logo de inicio já podemos ver no mapa vários itens e tesouros que não podemos alcançar, por não possuirmos as habilidades necessárias para alcançá-lo. Ao longo do game podemos melhorar nosso submarino encontrando upgrades nos cenários ou comprando-os com um simpático caranguejo-ermitão vendedor, podendo assim acessar áreas que antes estavam bloqueadas.

Os tesouros espalhados no game servem para juntarmos dinheiro, e com o dinheiro que acumulando encontrando esses tesouros e derrotando inimigos nós compramos novos upgrades com o caranguejo-ermitão. Merryn instala todo upgrade que encontra e compra em seu submarino, tornando-o muito mais resistente e poderoso. O submarino possui três tipos de armas: A garra magnética, um item usado para pegar objetos no cenário, e também para atacar inimigos. Os torpedos, divididos em três tipos: Elétrico, fogo e gelo, que também são muito úteis na resolução de alguns puzzles, e o sonar, mas esse só avançando bem no game para adquiro-lo.

Análise Arkade: A bela aventura submarina no Metroidvania Song of the Deep

Além disso, após determinado ponto do game, Merryn pode sair de seu submarino e nadar, sem a preocupação de ficar sem ar, graças a um item que encontramos que fornece um suprimento inesgotável de oxigênio para a garota. Merryn pode entrar em espaços apertados, grandes demais para o submarino, e utilizar uma faca encontrada no game para atacar inimigos e resolver puzzles de luz, que são bastante desafiadores mas divertidos de se concluir.

O foco principal do game está na exploração e resolução de puzzles. Os inimigos do game são fortes e espertos, nunca ficando parados esperando o ataque do jogador. Eles cercam o jogador, atacam em conjunto e desviam ao serem atacados. Ao se derrotar os inimigos, recuperamos um pouco do dano que sofremos, e recuperamos um pouco de Energia Tyne, um elemento crucial no game. A energia Tyne é uma força abundante no fundo do mar. Ela é uma energia viva presente em todos os lugares, e é o combustível principal para os torpedos do submarino, além de formar poços de energia, onde podemos salvar o game e nos recuperar de todo dano sofrido e energia gasta.

Temos também algumas batalhas contra chefões gigantescos, que demandam mais estratégia do que sair pro ataque desprevenido. Literalmente uma chuva de ataques inimigos irá cercar o jogador vindo de todas as áreas. Atacar os inimigos a esmo não dará certo, pois além deles serem inteligentes para fugirem de seus ataques, eles não param de atacar, e se o jogador não tomar cuidado, pode ser derrotado facilmente se acabar encurralado.

Análise Arkade: A bela aventura submarina no Metroidvania Song of the Deep

Como estamos controlando um submarino no fundo do mar, podemos nos locomover em qualquer direção. O submarino se move de forma lenta, e a inércia influencia muito em seu movimento. Pequenas correntes podem mover o submarino de forma leve, e outras bem forte. Melhorando o submarino podemos comprar turbinas novas que nos deixam mais rápido e ajudam a vencer essas correntes marítimas.

E ainda temos a interação com o próprio cenário. Usando os faróis do submarino podemos interagir com alguns animais e obstáculos, bem como ao utilizar determinados objetos com os animais marinhos. Como as ostras, que devemos dar o item certo para elas devorarem, e em troca elas nos dão um tesouro. Caso o jogador dê um item errado, a ostra irá cuspí-lo com toda força para longe. Além de outras interações mais sutis, difíceis de se identificar, o que torna o game bem desafiador para quem for atrás de todos os itens do game.

GRÁFICOS E SONS

Análise Arkade: A bela aventura submarina no Metroidvania Song of the Deep

Song of the Deep é um game belíssimo. O game possui cenários e personagens feitos em 2D, com exceção de Merryn e seu submarino, que possuem visuais em 3D. O game possui um visual belíssimo, que usa o efeito Parallax para dar profundidade aos cenários construídos em 2D.

Os cenários são ricos em detalhes e diferentes uns dos outros. Um dos lugares mais belos do game, as Ruínas Merrow, abrigam uma antiga cidade destruída, colorida e cheia de vida marinha. Cada cenário do game possui um visual e uma atmosfera própria, tal como no clássico Super Metroid, com diferentes áreas interligadas entre si, com passagens secretas de uma a outra e um visual único para cada lugar.

Os efeitos de iluminação do game são bem competentes, não afetando somente Merryn e seu submarino, os únicos personagens em 3D, mas também afetando os personagens em 2D, inclusive ao se utilizar os faróis do submarino.

Análise Arkade: A bela aventura submarina no Metroidvania Song of the Deep

E no departamento sonoro Song of the Deep é impecável. O game possui uma incrível trilha sonora composta por Jonathan Wandag, com belas melodias únicas para cada área do game, e músicas impactantes para os momentos de perigo. As músicas são calmas, e muitas vezes dão até aquela vontade de deixar o som tomar conta enquanto apenas navegamos por aí. Só para te dar um gostinho, ouça aí o belo tema principal do game:

Os sons ambientes também são bem feitos. Predominando o som das turbinas do submarino, junto do som de bolhas e vez ou outra o canto de animais marinhos, que podemos ver a distância no fundo dos cenários, nadando de um lado para o outro adicionando vida aos cenários.

Conclusão

Análise Arkade: A bela aventura submarina no Metroidvania Song of the Deep

Song of the Deep apresenta uma simples, porém bela história, contando a aventura de Merryn em busca de seu pai desaparecido no fundo do mar. O game possui um mapa grande e recheado de puzzles e perigos, dando ao game uma boa vida útil, principalmente para a queles (como eu) que gostam de explorar Metroidvanias centímetro a centímetro até encontrar tudo.

E falando em MetroidvaniaSong of the Deep é um excelente representante para esse gênero, lembrando muito os cenários grandes e labirínticos de Super Metroid. O game apresenta um desafio acessível, porém com momentos de quebrar bem a cabeça.

Análise Arkade: A bela aventura submarina no Metroidvania Song of the Deep

Infelizmente a versão de PC possui alguns bugs que atrapalham a jogatina, como um power up que é impossível de se conseguir por um defeito do game. Song of the Deep foi o primeiro trabalho da Insomniac Games nos PCs, mas infelizmente por conta disso houveram alguns problemas no game, mas a Insomniac já avisou aos jogadores que está de olho para resolver tudo o quanto antes. Nas versões de console o game não possui nenhum tipo de defeito.

O melhor de tudo é que o game possui menus e legendas em português, num excelente trabalho de tradução!

Song of the Deep foi lançado no dia 12 de julho para PC, PS4 XBox One. 

Uma resposta para “Análise Arkade: A bela aventura submarina no Metroidvania Song of the Deep”

  • 19 de julho de 2016 às 01:17 -

    Guilherme

  • Alguém sabe dizer porque esse game sumiu misteriosamente da live br? Quero comprar o jogo mas nem tem como.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *