Análise Arkade: voltando ao cativante e inesquecível mundo subterrâneo de Undertale

22 de agosto de 2017
Autor: Renan do Prado

Análise Arkade: voltando ao cativante e inesquecível mundo subterrâneo de Undertale

Um dos jogos mais elogiados de 2015 e que é relembrado com muito carinho até hoje pegou muita gente de surpresa durante a E3 2017 com o anúncio de seu lançamento para Playstation 4 PS Vita. Trata-se de Undertale, um game tão cativante que criou uma verdadeira legião de fãs no mundo todo com seu enorme carisma!

E agora com o game já disponível nas plataformas da Sony, é hora de reviver sua emocionante aventura, relembrar seus icônicos personagens e mais uma vez constatar o motivo por toda a fama por trás do game! Então venha com a gente e confira nossa análise completa de Undertale cheia de determinação!

O Humano que caiu no mundo dos Monstros

Análise Arkade: voltando ao cativante e inesquecível mundo subterrâneo de Undertale

Undertale conta a história de um mundo mágico, povoado por humanos e monstros. Há milhares de anos as duas espécies entraram em uma guerra. Os humanos foram os vencedores, e aprisionaram os monstros no subterrâneo, prendendo-os com uma barreira mágica intransponível. Essa barreira permite que se entre no subterrâneo, mas torna impossível sair para o mundo da superfície.

A única ligação entre os dois mundo é o Monte Ebott, uma montanha acima do reino do monstros. E nessa montanha há um enorme buraco que leva até o subterrâneo. E desse novo buraco, uma pequena criança humana caiu e ficou presa nesse novo mundo, uma pequena criança sem expressões e de roupa listrada.

Análise Arkade: voltando ao cativante e inesquecível mundo subterrâneo de Undertale

E com a chegada dessa nova criança as coisas estão prestes a se transformar para os monstros, de uma forma ou de outra. E cabe a você jogador, guiar essa pequena criança por esse novo mundo e decidir qual será o destino de todos lá embaixo. Pois como somos ditos pelo primeiro habitante desse mundo ao qual somos apresentados, o misterioso Flowey the Flower“Nesse mundo, é matar ou morrer”... Ou não!

Enfrente os monstros, ou torne-se amigo deles

Análise Arkade: voltando ao cativante e inesquecível mundo subterrâneo de Undertale

Sua missão é clara: Você deve sair do Underground e voltar para sua casa na superfície. Mas como você fará isso, é totalmente escolha sua! Durante sua jornada você encontrará diversos monstros diferentes, e terá duas opções ao encontrá-los: Matá-los, ou poupá-los. Esse é um game que pode ser jogador do começo ao fim sem que você tenha que matar ninguém, ou se quiser, que mate tudo e todos.

Undertale é um RPG que faz homenagem aos antigos RPGs da época do Nintendinho e do Super Nintendo, como o clássico Earthbound. Apresentando um mundo bem simples, mas muito carismático e com batalhas também simples mas muito divertidas e desafiadoras. Em suma, você tem três caminhos a seguir no game: A Neutralidade, o caminho Pacifista, ou o terrível caminho Genocida.

Análise Arkade: voltando ao cativante e inesquecível mundo subterrâneo de Undertale

O game possui muitos finais diferentes dependendo das ações do jogador, se matou alguns (ou todos) os monstros, ou se deixou todos vivos e fez amizade com seus personagens. Cada uma dessas rotas revela uma nova peça sobre o quebra-cabeça que é o seu mundo, as histórias dos monstros e do mundo subterrâneo, seus sonhos, esperanças e medos mais profundos. Tudo depende de você. E uma dica: Ser uma boa pessoa aqui vale muito a pena!

Personagens muito carismáticos e uma história emocionante

Análise Arkade: voltando ao cativante e inesquecível mundo subterrâneo de Undertale

O melhor de Undertale é sem dúvida alguma seu elenco de personagens, um elenco que quem joga jamais esquece. Gradativamente vamos sendo apresentados aos personagens de maneiras muito divertidas, começando pelo já mencionado Flowey the Flower, um personagem realmente surpreendente e inesquecível! Logo, conhecemos a simpática Toriel, uma verdadeira mãe que já no início do game nos dá uma breve amostra de toda a carga emocional que o game carrega.

Daí pra frente, a trama do game vai sendo construída através de seus personagens principais e seus NPCs, com destaque para dois personagens realmente hilários: Os irmãos esqueletos Sans Papyrus. Sans é um esqueleto baixinho totalmente preguiçoso e que adora fazer piadas ruins, e que fala usando a fonte Comic Sans em seus quadros de diálogo. E Papyrus é um bravo e hiperativo esqueleto que sonha em entrar para a Guarda Real, criando várias armadilhas mal-feitas para capturar humanos. Ah, e ele fala usando a fonte Papyrus!

Ainda há muitos outros personagens, como a intensa Undyne, a tímida cientista Alphys e muitos personagens hilários, como um vendedor de hambúrguer totalmente estressado e sem perspectivas de vidas, muitos cachorros diferentes (que podem ou não ter pescoços infinitos), fantasmas e muito mais! Todo o elenco de Undertale é carismático e marcante, cada um a sua maneira!

Batalhando contra os monstros com violência ou conversa

Análise Arkade: voltando ao cativante e inesquecível mundo subterrâneo de Undertale

Undertale possui um gameplay muito simples. Controlando a criança humana, você simplesmente anda pelos cenários e interage com personagens. No meio do caminho você encontrará alguns monstros querendo batalhar, e aí entra a magia do game: Você pode lutar contra os monstros, ou então convencê-los a desistir de lutar.

Se você decidir atacar, entrará em um pequeno minigame em você deve apertar o botão de ataque na hora certa em que algumas barras aparecem em um medidor de força, quanto mais perto do centro, mais forte o golpe. Se decidir não lutar, pode usar as opções do menu ACT, e convencer os inimigos a desistirem da luta de diferentes maneiras: Contando piadas, abraçando-os, imitando-os e muitas outras coisas diferentes. Quando os monstros desistem de lutar, seus nomes ficam amarelos, e você pode usar o comando Mercy para deixá-los ir.

Confira abaixo uma das batalhas do game cujo resultado é pacífico. Ao invés de enfrentar os monstros, eu acabei fazendo amizade com eles:

Como você pode ver no vídeo acima, há diferentes minigames no meio das batalhas. Quando os inimigos atacam, um pequeno minigame começa para dar chance ao jogador de escapar ileso. O jogador é representado pelo pequeno coração e deve tentar escapar dos ataques nos inimigos se movendo pela tela. É tudo bem simples de se entender, mas conforme você avança no game e dependendo da rota que escolher, as batalhas vão ficando cada vez mais difíceis!

Principalmente na rota Genocida do game, que é não só a mais difícil, mas a obviamente mais cruel de todas. Para entender como funcionam as rotas é fácil: Se você estiver jogando o game pela primeira vez, não matar ninguém ou matar poucos monstros, está na rota Neutra. Se após isso rejogar o game sem matar ninguém e fazer amizade com todos, estará na rota Pacifista (A mais recompensadora de todas). E se você matar tudo e todos até que não sobre mais ninguém vivo, bom, não só você é um monstro desalmado, como está na rota Genocida.

Audiovisual

Análise Arkade: voltando ao cativante e inesquecível mundo subterrâneo de Undertale

Não há muito o que se falar do visual de Undertale, ele é totalmente simples, feito com cenários e personagens pixelados, parecendo até serem desenhos feitos no Paint. Mas apesar disso, o game tem um visual marcante graças a seus personagens. A verdade é que o visual do game é bem básico, mas ainda assim é um visual único e que, bonito ou não, isso acaba sendo uma questão irrelevante para o game no fim das contas.

Análise Arkade: voltando ao cativante e inesquecível mundo subterrâneo de Undertale

Mas o game realmente brilha com sua excelente trilha sonora. Todas as músicas do game são incrivelmente marcantes, contando ainda com músicas exclusivas para cada uma das três rotas dos games. Cada região do game possui uma música tema, bem como cada personagem principal que conhecemos e enfrentamos. A trilha sonora do game é simplesmente excelente!

Confira abaixo minha batalha contra Papyrus e escute só sua música tema (A versão real da música começa aos 3:20). Obviamente, o vídeo contém Spoilers:

Gostou? Então que tal outra amostra da trilha sonora? Sem spoilers dessa vez. A música abaixo é de uma das batalhas mais divertidas do game, e essa é uma das melhores músicas de toda a trilha sonora de Undertale:

Conclusão

Análise Arkade: voltando ao cativante e inesquecível mundo subterrâneo de Undertale

Undertale é um game que sem dúvida alguma merece ser jogado. Ele foi escolhido por nossa equipe como um dos melhores games de 2015, e ainda continua muito bom dois anos depois! O game pode não ter o visual mais bonito, ou a melhor jogabilidade de todas, mas é o conjunto da obra que torna esse um game muito emocionante e inesquecível!

O game chegou aos consoles da Sony com algumas pequenas novidades: Uma moldura para a tela do game, afinal, o game foi criado mesmo nos PCs com baixa resolução, o que faz com que ao jogar o game em modo widescreen, a imagem fique esticada para os lados. Dessa forma, o game chega ao PS4 não ocupando todo o espaço da TV, que é preenchido com essas novas molduras. O game ainda conta com uma sala nova, a Dog Shrine, e idiomas em inglês e japonês (infelizmente sem português brasileiro), e com suporte a troféus, sendo esse um game com uma das platinas mais fáceis de se conseguir!

Definitivamente, Undertale merece sua atenção! Se você ainda não jogou antes, chegou a hora de dar uma chance! Undertale foi lançado originalmente na Steam em 2015, e chegou ao Playstation 4 PS Vita no dia 15 de agosto.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *