ArkadeCast 2.0 Episódio #08: Fliperamas, histórias de boteco e como montar o seu próprio arcade

6 de março de 2015
Autor: Henrique Gonçalves

ArkadeCast 2.0 Episódio #08: Fliperamas, histórias de boteco e como montar o seu próprio arcade

Hoje é dia de ArkadeCast! No oitavo — e talvez em um dos episódios mais caóticos — temos um papo nostálgico sobre jogos de fliperamas, histórias de botecos, um arcade de Silent Hill e até dicas para você montar o seu próprio arcade!

O tema da vez neste ArkadeCast é sobre os fliperamas! Seja aquela “casa de jogos” que você frequentava ou aquele boteco que vendia ficha a 25 centavos e você ia junto com os amigos para tirar um contra naquela máquina de Street Fighter modificado.

Juntamos a equipe de sempre e chamamos mais dois colaboradores para contar suas histórias, com Renan e a curiosa história do raríssimo fliperama de Silent Hill (!?), e Julian que simplesmente construiu seu próprio fliperama (escondido da mulher) e dando dicas para você fazer o mesmo!

ArkadeCast 2.0 Episódio #08: Fliperamas, histórias de boteco e como montar o seu próprio arcade

Links e matérias mencionadas no podcast:

Campus Party 2015: A fantástica fábrica de gabinetes irados

RetroArkade: The Simpsons Arcade Game é o fliperama mais divertido de todos os tempos!

A jornada pelo arcade de Silent Hill do Renan

Cadillacs e Dinossauros: Imagens #1 e #2

ArkadeCast 2.0 Episódio #08: Fliperamas, histórias de boteco e como montar o seu próprio arcade

O fliperama montado pelo nosso camarada Julian.

E vocêtem alguma história ou lembrança sobre fliperamas? Deixe a sua reposta nos comentários e não se esqueça de nos acompanhar no Facebook e Twitter, mandar um email para arkadecast2.0@gmail.com ou uma pergunta em nosso ask.fm, além de acessar o nosso iTunes e deixar aquele review positivo pra gente! ;)

7 Respostas para “ArkadeCast 2.0 Episódio #08: Fliperamas, histórias de boteco e como montar o seu próprio arcade”

  • 6 de março de 2015 às 14:58 -

    Vinicius Costa

  • O SNES podia sim ser jogado por mais de 2 jogadores. Tinha que comprar um adaptador para utilizar mais joysticks. O Superstar Soccer por exemplo podia ser jogado por 4 pessoas ao mesmo tempo. Muito bom o podcast! 

    • 7 de março de 2015 às 12:26 -

      Junior Candido

    • Sim, o Multitap existiu, porém os jogos não ofereciam o suporte. Final Fight por exemplo nem deixava jogar com 2 players e Sunset Riders, que no fliperama tinha multiplayer animal, também era limitada nos consoles, assim como o número de jogos liberados para o acessório, que também teve algo semelhante no Mega Drive. Bem lembrado e valeu!

  • 6 de março de 2015 às 15:15 -

    Ricardo Jacob

  • O nome do jogo do Homem-Aranha era Spideman: the videogame o jogo você sempre enfrenta um chefe de fase duas vezes o da primeira fase você enfrenta o venon.

    • 6 de março de 2015 às 20:25 -

      Renan do Prado

    • Isso mesmo!!! Valeu pela informação!!! Aquele era um dos arcades mais disputados do lugar (no caso, uma pizzaria mágica com dezenas de arcadas lindos e maravilhosos incluindo Mortal Kombat, Metal Slug, Street Fighter II e até Sol Divide ♥)

      • 11 de março de 2015 às 19:04 -

        Ricardo Jacob

      • Poxa cara, lembro da fila que era para jogar isso no shopping aqui de são paulo, atualmente relembro esses jogos rodando o mame no celular. Naquela época nunca ia imaginar isso kkkkk

  • 7 de março de 2015 às 00:19 -

    Jotaklaus

  • Galera, vc´s são muito novos para terem vivido a época de ouro dos arcades… mas valeu, se considerem os baby’s dos arcades, na minha época era a mulecadinha que nem sabia o que estava acontecendo na tela, mas pirava nos botões e nas luzes hipnotizantes. 

  • 15 de março de 2015 às 00:51 -

    Rafael Prallon

  • Excelente episódio, me fez lembrar os tempos nos quais eu jogava Marvel Versus Capcom, Metal Slug, jogos de pinball e jogos de navinha quando ia nos fliperamas. E a zoeira tem sido algo que eu tenho sentido falta nos podcasts quando eles abordam games nesses últimos tempos. Um abraço e muito sucesso.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *