Artista apresenta a incrível união que seria Stranger Things com os Adventures dos anos 90

29 de julho de 2016
Autor: Junior Candido

Artista apresenta a incrível união que seria Stranger Things com os Adventures dos anos 90

Antes de mais nada, SPOILER À VISTA. Se não tiver problema com isso, ou já tiver assistido a série, pode continuar. Nós avisamos. E se quiser continuar a jornada, recomendo colocar os fones de ouvido:

 

Stranger Things, além do fenômeno que se tornou, é uma série não só ambientada nos aos 80, é a própria década ganhando vida com várias referências nostálgicas, o que inclui a sua produção, digna (no bom sentido) de um filme da Sessão da Tarde. E a onda de nostalgia parece que não vai embora tão cedo.

E quando um produto da cultura pop ganha muito sucesso, é natural que artistas se inspirem nos elementos da produção e tragam muitas coisas interessantes. É o que fez Jacob Janerka, um designer de jogos que está trabalhando no point-and-click com cara de anos 80 chamado Paradigm. Ele já havia criado uma adaptação deste saudoso gênero com Seinfield, mas nada mais apropriado para unir o gênero que sempre envolveu mistério do que o enredo de Stranger Things, atual série queridinha do público (com todos os méritos).

Janerka publicou no Reddit recentemente alguns gifs de como seria um game de Stranger Things feito pela saudosa Lucas Arts. Nós podemos ver Hopper na casa de Joyce “decorada” com as luzes de natal com o “mouse” indicando o que se fazer e o que investigar. Temos também a casa de Joyce no Upside Down, e temos até a “visita” do “querido” demigorgon, que provavelmente seguiu rastros de sangue pixelizados até a residência.

Artista apresenta a incrível união que seria Stranger Things com os Adventures dos anos 90

Artista apresenta a incrível união que seria Stranger Things com os Adventures dos anos 90

Mas, infelizmente, nada de Stranger Things: The Game. Janerka não tem planos de trazer o projeto à vida, é apenas diversão. Mas não seria nada mal curtir um point-and-click com um enredo misterioso, e a trilha sonora maravilhosa que o seriado oferece. Não é por nada, mas acho que a Netflix deveria olhar para este projeto e apoiá-lo, para podermos “ser a 11” nesta aventura de apontar e clicar.

Via (Nerdist)

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *