O Auge da Cultura Pop – Mario Kart é a prova de que nem só indo devagar se vai ao longe

13 de setembro de 2014
Autor: Carlo Henrique

O Auge da Cultura Pop – Mario Kart é a prova de que nem só indo devagar se vai ao longe

Os jogos de corrida de kart estrelados por personagens famosos dos games sempre tiveram uma boa imagem para o público (ainda que nem todos sejam bons). De Mickey Mouse até Crash Bandicoot, passando por Sonic e Toy Story, tivemos muitos jogos do gênero que fizeram sucesso, e hoje vamos conhecer mais sobre a série que inspirou cada um desses: Mario Kart.

Super Mario Kart foi lançado em 1992 para o Super Nintendo, obra do gênio Shigeru Miyamoto, que criou o conceito e supervisionou todo o desenvolvimento. O jogo tinha oito personagens jogáveis e 20 pistas ao todo, foi o único título da série a contar com a presença de Donkey Kong Jr., já que nos demais, Donkey Kong o substituí. As pistas tinham todas cinco voltas por causa dos trajetos curtos, ao contrário dos posteriores, que tem três.

Assim como a língua do Yoshi tem o mesmo áudio usado em Super Mario World, ocorreu a tentativa de trazer a mesma sonorização para Donkey Kong Jr. de seu jogo lançado nos anos 80, o que acabou não sendo possível. Mario Kart se tornou em um grande sucesso principalmente por se tratar de um novo tipo de jogo de corrida, além de trazer vários personagens dos jogos antigos do Mario.

O Auge da Cultura Pop – Mario Kart é a prova de que nem só indo devagar se vai ao longe

Em 1996 foi lançado Mario Kart 64, que fortaleceu o modo multiplayer, que é sem dúvida o principal destaque da série até hoje. Apesar de trazer bons gráficos 3D nos cenários, o jogo ainda contava com personagens e itens com sprites 2D. Esta versão introduziu os personagens Donkey Kong e Wario.

Mario Kart 64 recebeu muitos elogios por seu modo multiplayer, para até quatro pessoas, mas foi muito criticado pelo single player, por contar apenas com modos de time trial e campeonatos, faltando um modo carreira ou algo do tipo.

O Auge da Cultura Pop – Mario Kart é a prova de que nem só indo devagar se vai ao longe

Com o sucesso que o Gameboy Advance estava fazendo, em 2001 chegou a primeira versão portátil da série, Mario Kart – Super Circuit. Os personagens são os mesmos da versão 64 e o jogo tem o total de 40 pistas, 20 inéditas e outras 20 recicladas da versão de SNES.

No entanto, o modo multiplayer disponibilizava apenas quatro pistas da versão clássica, sem poder jogar no restante, e os jogadores podiam jogar apenas com Yoshis de cores diferentes, uma limitação bem curiosa. Um adendo bacana é que, graças à função de link entre vários GBAs, é possível trocar os saves dos ghosts entre os aparelhos conectados.

O Auge da Cultura Pop – Mario Kart é a prova de que nem só indo devagar se vai ao longe

A versão de Game Cube, Mario Kart – Double Dash, chegou em 2003 e trouxe uma variação muito bem-vinda. Volta Koopa Troopa de Super Mario Kart e entram em cena mais 11 corredores, entre eles Baby Mario, Daisy, Waluigi e King Boo em um total de 16 pistas, sem contar as secretas.

A grande jogada foi fazer os corredores correrem em pares, o que possibilitava carregar mais itens. Nenhum era vinculado a outro, então o jogo permitia centenas de combinações de duplas, embora as equipes pré-montadas pelo jogo contasse com itens exclusivos. Double Dash foi também o primeiro título da série a trazer designs diferentes para os karts de cada um, ao invés de apenas mudar a cor como nos anteriores.

O Auge da Cultura Pop – Mario Kart é a prova de que nem só indo devagar se vai ao longe

Dois anos depois ocorreu a volta da série aos portáteis, com Mario Kart DS. Apesar das funções exclusivas do Nintendo DS, o jogo não trouxe grandes  inovações em termos de gameplay nem tirou proveito da tela touchscreen. Temos 13 personagens contando os secretos, e assim como na versão GBA, há pistas de versões antigas da franquia.

Há também um modo mission, mas não há jogabilidade para karts com duplas., como houve em Double Dash O jogo disponibiliza vários bosses, todos eles vindos do remake de Super Mario 64, que também saiu para o DS.

O Auge da Cultura Pop – Mario Kart é a prova de que nem só indo devagar se vai ao longe

Mario Kart Wii, um dos principais títulos da franquia, foi lançado em 2008. A jogabilidade diferenciada do Wii acabou se tornando o carro-chefe na divulgação do jogo. Nesta versão, temos 32 pistas disponíveis ao todo, 16 inéditas e as restantes clássicas. Temos ainda cinco arenas de batalhas retrô, dos respectivos últimos cinco jogos da série.

Ao todo são 25 personagens jogáveis, e agora é possível empinar as motos e fazer manobras para ganhar bônus diversos. Este é o único jogo da franquia onde é possível usar save files, ainda que o Wii U possibilite a criação de perfis diferentes usando o Mii.

O Auge da Cultura Pop – Mario Kart é a prova de que nem só indo devagar se vai ao longe

Em 2011 foi lançado Mario Kart 7, para o Nintendo 3DS, jogo que permitiu as trocas de saves de ghosts via Wi-Fi. Como de costume, o jogo trouxe muitas novidades a série: pela primeira vez é possível usar câmera em primeira pessoa, e também é possível customizar os veículos liberando partes secretas durante o jogo.

Outra novidade é que aqui os jogadores podem planar o veículo usando uma asa-delta e também dirigir debaixo d’água. Assim como os mais antigos, também só estão disponíveis oito pilotos. Também há a introdução da comunidade online, onde as pessoas fazem as regras com as quais preferem jogar e disputar pegas com os amigos.

O Auge da Cultura Pop – Mario Kart é a prova de que nem só indo devagar se vai ao longe

Mario Kart 8 foi lançado para WiiU em maio deste ano e foi muito bem recebido por público e crítica. A grande novidade do jogo foi abrir mão das leis da gravidade, pois agora se pode andar no teto e nas paredes (em certos trechos). É possível trocar entre o controle tradicional e o com sensor de movimento, usando um botão na touch screen do game pad do videogame.

É o título com o maior número de personagens jogáveis, com 30 no total, nove sendo inéditos, incluindo os Koopalings, que fazem sua estreia. Os jogadores também podem pegar o mesmo piloto durante o multiplayer, inédito nos Mario Karts de console de mesa. Você pode conferir nossa resenha do game neste link.

O Auge da Cultura Pop – Mario Kart é a prova de que nem só indo devagar se vai ao longe

Se a  lista dos principais Mario Kart fica por aqui, mas é preciso fazer uma menção honrosa ao spin off Arcade GP, série de três jogos lançada para os arcades. O primeiro jogo foi lançado em 2005 – Mario Kart Arcade GP tinha muito mais itens que os títulos da série até então, e contava com a participação dos personagens do clássico Pac Man.

Dois anos depois chega Mario Kart Arcade GP 2, incluindo os personagens Waluigi e Mametchi, além de trazer carros únicos para cada personagem. Por fim, em 2013 foi lançado Mario Kart Arcade GP DX, onde, assim como Mario Kart 7, é possível dirigir sob a água e planar. Três personagens do jogo anterior saíram, mas quatro novos ficaram disponíveis, como Metal Mario e Bowser Jr.

O Auge da Cultura Pop – Mario Kart é a prova de que nem só indo devagar se vai ao longe

Independente da plataforma, a série Mario Kart tem uma característica única e atemporal, mantendo uma relação especial com seus fãs, e isso não é apenas impressão, visto o carinho e fervor com que os fãs tratam cada novo jogo. A franquia conta sempre com total apoio de seus fãs, o que encoraja a Nintendo a trabalhar em jogos cada vez melhores.

Ao contrário de outras franquias, é quase impossível encontrar fãs que gostem de um dos jogos sem gostar de algum outro. E eles têm motivos concretos, apesar de muitos dos jogos não chegarem ao que o universo gamer considera “perfeito”, cada título traz o trabalho de profissionais esforçados em agradar seu público, o que garante uma grande segurança na relação entre a série e seus jogadores.

O Auge da Cultura Pop – Mario Kart é a prova de que nem só indo devagar se vai ao longe

É impossível definir a importância que a série Mario Kart tem na cultura pop, visto que ela, sozinha, inspirou a criação de outros jogos do gênero, isso sem sequer ser a série principal relacionada a um personagem ou a uma empresa.

Só o que se sabe é que ela já está lá, no auge da cultura pop, desde os primeiros jogos lançados. Porém, o importante não é isso, o importante é que é muito difícil imaginar a série deixando o lugar especial que conquistou no mundo dos games e no coração dos jogadores.

6 Respostas para “O Auge da Cultura Pop – Mario Kart é a prova de que nem só indo devagar se vai ao longe”

  • 13 de setembro de 2014 às 11:04 -

    Rossato

  • Lembro das tardes jogando Super Mario Kart no Snes, era muito bom! Diferente de todos jogos de corrida da época, até hoje quando sobra um tempinho revisto o clássico no znes.

  • 13 de setembro de 2014 às 13:11 -

    Giovani

  • Ótimos jogos são indiferentes ao tempo.Pena que a inteligência e a criatividade não correspondem essa máxima.De 2006 em diante poucos jogos interessantes e muita coisa descartável.

  • 13 de setembro de 2014 às 16:34 -

    Lucy Penny

  • Amo essa franquia Mario Kart! O de Wii e o Mario Kart 8 estão entre os tops! Trilhas sonoras excelentes…sou suspeita pra falar em matéria de MK rs. Estou ansiosa pela DLC do MK 8 que acontece em  Novembro com novos personagens e mais pistas. All right! Not bad!!! *.*

  • 13 de setembro de 2014 às 20:41 -

    Carlos

  • Simplesmente o jogo mais copiado da história dos games jutamente por ter uma excelente diversão dada ao jogador. Até hoje quando penso em multiplayer, penso em Mario Kart.

  • 14 de setembro de 2014 às 10:26 -

    Rafael Fidelis

  • “Dois anos depois ocorreu a volta da série aos portáteis, com Mario Kart DS. Apesar das funções exclusivas do Nintendo DS, o jogo não trouxe grandes  inovações em termos de gameplay nem tirou proveito da tela touchscreen. Temos 13 personagens contando os secretos, e assim como na versãoGBA, há pistas de versões antigas da franquia.”Apesar disso foi um dos MarioKarts mais jogados, exatamente por causa das funções do DS. Jogava muitos camps pelo wi-fi na sala ou no shopping… Não vi nenhuma com a jogabilidade tão boa quando a versão do DS. sdds

  • 23 de setembro de 2014 às 19:44 -

    @ratto13

  • O grande problema da Nintendo, é que só a Nintendo sabe fazer jogos para os consoles dela, e sempre são os melhores jogos de todos os tempos e sempre são as mesmas franquias. Qualquer um Mario Kart é top no quesito diversão, desde do SNES. Joga ai com o brother agora, que é só risada.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *