Conversamos com a Acer e a Nvidia na BGS 2017 sobre o futuro do PC Gaming

26 de outubro de 2017
Autor: Junior Candido

Conversamos com a Acer e a Nvidia na BGS 2017 sobre o futuro do PC Gaming

O que o futuro do PC Gaming, e do videogame como um todo, nos reserva? Com esta pergunta em mente, tivemos conversas bem interessantes na Brasil Game Show deste ano, e duas em especial, chamou demais a atenção. Tanto Nvidia quanto a Acer contam com visões muito interessantes a respeito do que os computadores poderão oferecer nos próximos anos.

A primeira conversa foi com Alexandre Ziebert, da Nvidia, que nos explicou sobre os avanços da Realidade Virtual, que hoje já é uma realidade, e que conta com iniciativas que buscam ajudar tanto os grandes estúdios, quanto os pequenos desenvolvedores, a fim de criar uma experiência cada vez mais completas. A queda do preço, o design mais suave e o amadurecimento da tecnologia tem ajudado muito na consolidação da tecnologia.

Sobre o futuro da Realidade Virtual, a expectativa é a de que tenhamos mais acessibilidade e maior conteúdo em um curto período, para que definitivamente os headsets deixem de ser apenas um item de exibição, para se tornar algo mais próximo e dentro do dia a dia do grande público.

E as placas de vídeo também conta com bons desafios, como a de convencer os jogadores que é importante ter uma boa placa, já que em estudos feitos pela própria Nvidia, foi descoberto que a maioria dos gamers jogam no PC com o equipamento mínimo, acreditando que o jogo é “daquele jeito” e não pode ser melhorado. Com isso, a missão é a de simplificar o processo de explicar a necessidade das placas de vídeo, não exigindo muito conhecimento do consumidor quanto a instalação, com equipamentos gamers mais acessíveis e a venda em várias redes de varejo, somando também com iniciativas que montam o computador pra você, do jeito que você deseja.

Para o futuro das placas de vídeo, hoje a Nvidia recebe os frutos de investimentos feitos para tornar a placa de vídeo algo maior do que “apenas servir para games”. Embora a postura da empresa seja a de fornecer material apenas para a melhoria de jogos, sabemos que hoje muita gente investe em GPU para mineração de Bitcoin, porém a inteligência artificial conta com suporte das placas, que geram carros autônomos, análises de mercados, e as intenções da empresa é a de manter liderança com as GPUs a serem utilizadas em qualquer fim.

Já na Acer, conversamos com Adriano Barros e André Teixeira, responsáveis pelos notebooks, projetores e monitores da marca, a respeito das novidades da marca, não só na BGS, quanto para todo o ano de 2018. Na conversa, pudemos conferir melhor sobre os projetores, que a cada dia deixam de ser um elemento “de festa” e se fazem presentes nas casas dos consumidores, que querem imagens cada vez maiores, porém com mais definição.

Pelo visto, o futuro dos games para PC prometem muito. Simuladores mais completos, GPUs mais inteligentes e possíveis avanços no gameplay fazem do jogador de computador um público cheio de expectativas. Com a consolidação dos computadores e notebooks para os games, a expectativa é a de que em breve, algumas novidades cheguem para revolucionar o mercado, assim como foram os smartphones, na década passada. Qual é a sua aposta?

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *