E3 2016: Não foi como a gente esperava, mas… a volta de Crash Bandicoot parece promissora.

14 de junho de 2016
Autor: Junior Candido

E3 2016: Não foi como a gente esperava, mas... a volta de Crash Bandicoot parece promissora.

Enfim… nada de “novo Crash“. Mas ao invés de só reclamar, vamos ver o que de positivo a remasterização dos clássicos podem trazer a franquia que está guardada no coração de uma multidão de gamers.

Tudo bem que Crash deu as caras no Playstation 2, no Nintendo Wii e até arriscou umas aparições na geração Xbox 360/PS3, mas a verdade é que para os fãs, a série “acabou” em Warped, de 1999, que é o terceiro e excelente game do nosso herói que pula em caixas e rodopia pelos cenários malucos. Tudo bem que ainda temos o Crash Team Racing, mas, estamos mesmo falando da “série” clássica.

E o coração de fato começou a bater mais forte ontem, na conferência da Sony, quando a trilha clássica de Crash começou a ser executada pela orquestra e os cenários típicos do game apareceram ao fundo. O tão esperado anúncio do novo Crash… bateu na trave. Não teremos um game inédito da franquia, e nem sabemos exatamente a quantas andam alguma possível tentativa da Sony para ficar com a marca. O que vamos ter é um remake dos três primeiros jogos para o Playstation 4, aproveitando os recursos atuais.

Mas, frustração a parte de quem queria algo inédito, coloquei alguns pontos que considero relevantes para não lidar com este caso com otimismo. São apostas, claro, por isso, sinta-se a vontade para comentar e colocar seu ponto de vista também.

E depois, dê uma olhada na nossa RetroArkade especial sobre Crash Bandicoot.

Pode ser um teste de popularidade

E3 2016: Não foi como a gente esperava, mas... a volta de Crash Bandicoot parece promissora.

Como todos sabemos, para a maioria esmagadora dos fãs de Crash, a “série acabou” em 1999. E o intervalo de tempo é imenso para arriscar em um novo game. Apresentar os games clássicos a uma nova geração, aproveitando de um carisma já consolidado e utilizando até uma estratégia já feita pela Sony recentemente, que é o filme de Ratchet and Clank, pode ser sábio primeiro refazer um jogo pronto (ou três, no caso) para ver o quanto que o personagem tem de poder de venda.

Experiência para um novo game

Ao invés de arriscar tudo em um retorno, que tal começar pegando o que já foi feito, tirar o pó dos antigos projetos e pegar experiência e know-how para aí sim começar a trabalhar em um novo game? A própria franquia Crash é um exemplo de que não basta simplesmente confiar no personagem e colocá-lo em um jogo ruim. Sonic também.

São os três jogos clássicos, caramba!

Suponhamos que eles peguem apenas os jogos e coloquem Crash numa roupagem atual, reproduzindo de maneira idêntica os games, fases e até os lugares das caixas e frutas. Dane-se! É Crash Bandicoot e estamos falando de três jogos muito bons. Até hoje me pego tentando começar do zero e cumprir o máximo de desafios possíveis e, mesmo sabendo que “só atualizar” os games não será uma realidade aqui, o simples fato de jogá-los de novo no PS4 já vale a pena demais! Mas sem explorar no preço, hein?

Potencial para novidades

E3 2016: Não foi como a gente esperava, mas... a volta de Crash Bandicoot parece promissora.

Com o Playstation 4, o remake não será semelhante ao que tem acontecido regularmente neste sentido. Não dá pra esperar apenas um jogo igual com visual moderno. Ainda mais se a dona Naughty Dog assumir o devido (diria, obrigatório) remake, pois o potencial de se incluir novos recursos e até redesenhar algumas fases é proporcional ao potencial gráfico.

Uma nova warp secreta, troféus do tipo “conquiste todas as gemas”, time trials que podem ser comparado com os amigos da PSN… Cara, são tantas as possibilidades, que se a Sony não entregar um produto final bom, além das normais críticas, também será considerado um trabalho preguiçoso. Potencial o jogo tem, gente competente para fazê-lo, idem. E se a exigência com um novo Crash é considerada alta, pode ter certeza que a exigência deste remake é idêntica. Ah, e tratem de fazer um final decente para o primeiro Crash, hein? Finais com texto em 2016 é inaceitável!

Recolocando da série nos eixos

Depois dos três primeiros games e o CTR, a série foi bombardeada por jogos mais ou menos, ou mesmo ruins. Reapresentar os primeiros jogos, além de atiçar a nostalgia, pode ser também uma forma de dizer que a série está voltando aos eixos, com os games bons da série voltando e definitivamente, colocando uma pedra na “fase negra” do personagem.

Aguardando novidades!

E3 2016: Não foi como a gente esperava, mas... a volta de Crash Bandicoot parece promissora.

Crash Bandicoot, Crash Bandicoot 2: Cortex Strikes Back e Crash Bandicoot 3: Warped farão parte da coletânea remasterizada anunciada ontem na conferência da Sony na E3. Nada foi revelado além desta informação, o que significa que esta matéria é composta apenas por apostas, pensando no melhor para os games.

3 Respostas para “E3 2016: Não foi como a gente esperava, mas… a volta de Crash Bandicoot parece promissora.”

  • 14 de junho de 2016 às 22:18 -

    Sandro Miranda

  • hahahahahahaha muito boa a argumentação, me identifiquei bastante nas expectativas! Tomara, Crash merece uma revisitada, independentemente de ser remake ou jogo novo. Eterno mascote!

  • 15 de junho de 2016 às 02:01 -

    Etrius

  • Remaster era simplesmente o que eu esperava, depois de todos os desastres que saíram após o Warped (com exceção de Wrath of Cortex), já tava passando da hora de aprender e deixar os mais velhos jogarem.

  • 16 de junho de 2016 às 21:38 -

    C

  • Tirando a sensação de “ai que saudade da vida simples dos anos 90 quando eu não tinha conta pra pagar e  tudo era bom”, Crash não tem muito o que oferecer mais

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *