EA passa a ter direito exclusivo sobre futuros games de Star Wars

Em uma galáxia muito, muito distante, um camundongo e uma distribuidora polêmica assinam um documento e comemoram: a partir de agora, todos os jogos de Star Wars serão distribuídos exclusivamente pela Electronic Arts.

Os últimos meses têm sido bem movimentados para a maior saga de ficção científica: Ela foi comprada pela Disney, perdeu seu lendário estúdio Lucas Arts e terá uma nova trilogia dirigida por – quem diria – o mesmo cara que está fazendo os novos filmes de Star Trek.

E agora, mais uma: a Electronic Arts fechou um contrato multi-anual com a Disney lhe garantindo o direito exclusivo sobre todos os futuros games de Star Wars, como explica a distribuidora em nota à imprensa:

“Sob este acordo, a EA desenvolverá e publicará novos títulos de Star Wars para seu público principal, abrangendo todas as plataformas interativas e os mais populares gêneros de games, enquanto a Disney continuará detendo certos direitos de desenvolver novos títulos nas categorias de games para aparelhos móveis, sociais e online.”

A EA andou fazendo muita gente torcer o nariz ultimamente – ela tem explorado alguns jogos de um jeito que certos fãs não estão gostando (vide DRM em Sim City) e foi eleita a pior empresa do ano passado por consumidores dos Estados Unidos.

Arte de conceitual de Star Wars 1313, cancelado devido ao fim da Lucas Arts

Mas sejamos justos, a distribuidora já publicou ótimos games de ficção espacial: Dead Space, Mass Effect, e os clássicos System Shock 2 e Wing Commander fazem parte do currículo da EA, que atua na área há mais de 30 anos.

O melhor de tudo é que os consagrados estúdios Dice (série Battlefield), Visceral Games (série Dead Space) e Bioware (série Mass Effect e Star Wars: The Old Republic) foram os escalados para cuidar dos futuros jogos da série.

O próprio presidente da EA, Frank Gibeau, já anunciou que os novos títulos serão feitos no Frostbite 3 – o motor gráfico insano de Battlefield 3 – e explicou que esse passo é uma “promessa de qualidade” para os próximos games baseados na saga.

Star Wars: The Old Republic, o MMO da Bioware custou mais de US$ 200 milhões

Não seria nada mal ver um novo Star Wars: Battlefront rodando no motor gráfico de Battlefield 3, ou quem sabe até um survival horror baseado no universo da franquia… O leque destes estúdios é infinito para novos games – fazendo jus ao universo imenso da série, que já tem mais de 30 anos e não deve perder a força tão cedo.

Então, não estranhe da próxima vez que ver a famosa vinheta “EA Games…” ao invés do clássico e saudoso logotipo da Lucas Arts em um game de Star Wars. Até mesmo nas galáxias mais distantes, as coisas mudam.

(Via: Forbes, IGN, Edge)