Então quer dizer que o modelo pay-to-win realmente funciona?

23 de abril de 2012
Autor: Raphael Cabrera

co hourwithemily1 Então quer dizer que o modelo pay to win realmente funciona?

Entre as 10 coisas mais odiadas no mundo gamer (quem sabe faremos um post sobre isto? – sugestões nos comentários) com certeza estão os jogos pay-to-win, aqueles jogos em que todos podem jogar de graça, mas só quem paga consegue ganhar. Mas, contrariando o senso comum, aparentemente eles fazem sucesso – e garantem uma boa grana para o bolso de seus desenvolvedores!

Para você leitor que ainda não sabe como funciona o modelo pay-to-win, imagine-se jogando um jogo grátis. Você pega sua espada e sai caçando monstros na floresta para ganhar experiência e ítens para combater outros jogadores. Após 3 semanas jogando, você consegue uma espada muito poderosa, mas um outro jogador, que começou fazem só dois dias, já tem uma espada muito melhor que a sua, e sem esforço nenhum, isto porque ele a comprou na “lojinha” dentro do jogo, com dinheiro de verdade.

Outro exemplo é quando você chega em uma certa área que só pode ser explorada por jogadores que pagaram por aquela área. Em muitos casos, a grana que você pode gastar em um jogo destes para tê-lo “completo” é maior do que você pagaria se fosse comprá-lo se fosse lançado em retail. Assim funcionam Age of Empires Online, Battlefield Heroes, Combat Arms e vários outros, incluindo a maioria de jogos para facebook.

Apesar de nosso ego orgulho gamer nos dizer que não vale a pena pagar por itens in-game que não demonstram a sua habilidade como jogador, e sim que você comprou aquela armadura mais forte e está ganhando porque investiu dinheiro em algo que teoricamente era “grátis”, o sistema pay-to-win funciona! Bom, pelo menos para os desenvolvedores (e para quem paga). Segundo NPD, um grupo norte-americano de pesquisas de mercado, 40% das pessoas que jogam estes jogos “freemium” – união das palavras free + premium – acabam comprando algo dentro jogo. A pesquisa também concluiu que 84% dos jogadores que experimentam o jogo continuam jogando, e que mulheres são as que têm menor chance de abandonar o game.

Então, caros desenvolvedores brasileiros buscando uma oportunidade nos mercados online, não se esqueçam que, apesar das estatísticas para o Brasil provavelmente serem um pouco diferentes, em média, de cada 5 pessoas seus que jogam games “grátis”, 2 deles pagam por conteúdo extra, ítens, flechas douradas que dão mais dano, munição explosiva, vaquinhas brilhantes e angry birds fantasiados de nyan cat.

Via Joystiq

48 Respostas para “Então quer dizer que o modelo pay-to-win realmente funciona?”

  • 23 de abril de 2012 às 15:10 -

    Henrique

  • Querem saber alguns dos piores games do Pay-To-Win? Age of Conan, Grand Chase…

  • 23 de abril de 2012 às 18:10 -

    Rydio Rodrigues

  • O mais triste são os QQ nos fórums

  • 23 de abril de 2012 às 15:11 -

    Marcio Neves Machado - RJ/RJ

  • No próprio DC Universe Online tem exemplos de Pay-to-win, com armas e peças de armadura que custam mais que o máximo que você pode carregar em dinheiro do jogo (1500 créditos na versão Free, 2000 créditos na Platinum, que é o status que você obtém quando gasta ao menos 5 dólares: um simples DLC de $9,90 já garante o upgrade para Platinum) e para poder comprá-las você precisa PAGAR para liberar os créditos excedentes que ficaram acumulando no SCROW :P

    • 23 de abril de 2012 às 15:17 -

      leandro(leon belmont) alves

    • é cara, já joguei DC Universe de graça…é praticamente um dedo no meio a quem joga assim. tem que se pagar para se ter um personagem razoável…lamentável. mas para quem tem grana…

    • 1 de maio de 2012 às 23:35 -

      KING OF KINGS

    • cara na mesma hora parei de jogar esse jogo

  • 23 de abril de 2012 às 15:14 -

    leandro(leon belmont) alves

  • é por esse tipo de coisa que ODEIO em MMO. e mesmo que eu invente de comprar um item assim, há risco da conta ser hackeada…ainda bem que tenho o Xbox Live com o Call of Duty MW3 e para mim, já basta. e eu acho um erro gastar uma fortuna numa simples espada, quando num RPG normal se pode conseguir com algum esforço…mas pelo menos é de graça.

    quem se lembra de um carinha que gastou 10 mil doláres no Dark Rift? só para ter de cara sua base espacial? e foi divulgado até aqui na Arkade. ou no cara que gastou horrores no World of Warcraft?

    faz a gente pensar não?

  • 23 de abril de 2012 às 15:23 -

    Marcaum54

  • Acho uma prática válida, só que o segredo é ser algo equilibrado, é nisso que a mairia erra… besta é quem joga…

  • 23 de abril de 2012 às 18:45 -

    Enrico Prado Ignacio

  • Claro que funciona, quem não gosta de ganhar? Ou mostrar um item top pra fazer inveja pros outros? Ego todo mundo curte inflar…

  • 23 de abril de 2012 às 16:03 -

    André

  • O problema é quando um jogo pago passa a ser free, eu particularmente não gosto de jogar jogos online, mas para quem gosta e paga deve ser um situação chata.

  • 23 de abril de 2012 às 19:25 -

    Daniel Albuquerque

  • eu acho justo se apesar de dificil ainda existir a possibilidade de jogando sem pagar vc conseguir tudo que uma pessoa pagando consegue, atravez de quest ou qualquer outra forma. agora jogos que fazem diferente e tentam iludir o jogador deveriam sofrer sanções.

  • 23 de abril de 2012 às 16:33 -

    Gustavo

  • o único jogo free2play q nao é pay-to-win q eu conheço é o Team Fortress 2, porque quando se é premium a unica coisa a mais é q aumenta bem pouco o numero de drop, se pode trocar itens e algumas receitas de hats. a unica coisa q eu tenho a reclamar mesmo é o sistema de pagamento que não beneficia nós brasileiros (é por causa dos meios de pagamento da steam wallet que eu nao sou premium)

  • 23 de abril de 2012 às 16:36 -

    Renan

  • Em questão de mensalidade para jogos, eu não pago de jeito nenhum, por 3 motivos, 1º – não pago mensalidade mesmo, pois um jogo não serve para morar, não uso pra tomar banho, não gera luz na minha casa, não esquenta a minha comida. 2º – Eu COMPREI o jogo, não aluguei. 3º – Não tenho tempo pra fazer valer a mensalidade que pago, pago esse mês e posso acabar não jogando nenhuma vez esse jogo.

    • 23 de abril de 2012 às 16:56 -

      Renan

    • Sobre o pay-to-win. Antigamente eu jogava Gunbound e PangYa, mas aí meus amigos vieram com apelação de comprar cash pra ter itens e zuou pq eu não tinha dinheiro pra fazer o mesmo, porém, esses 2 jogos citados são muito mais justos, não importa o cash gasto, se o cara não tem habilidade vai perder e feio. Mas sobre o verdadeiro pay-to-win, bom, sou 100x mais um Single Player muito bem feito do que o maior e melhor MMO que exista, mesmo os jogos do facebook as vezes conseguem me irritar muito, muita coisa que só dá pra fazer se abrir a carteira….

    • 23 de abril de 2012 às 19:54 -

      CabraMacho

    • Vou replicar os itens do seu comentário, puramente para expor minha opnião, gentileza, não entenda como crítica.
      1º) Qual jogo offline serve para morar, tomar banho, gerar luz ou esquentar comida? o “aluguel” dessa modalidade de jogo é similar a uma casa de praia, você vai curtir enquanto o tempo da locação durar, depois disso você não é obrigado a continuar. 2º) Apesar das mensalidades, as novidades e atualizações do jogo, como novas masmorras ou equipamentos adicionais são gratuitos, porque você comprou o jogo, hoje em dia você paga sempre que quiser novidades no seu jogo, os famosos DLC’s. 3º É uma característica do MMO, nunca acaba.

      • 23 de abril de 2012 às 23:29 -

        Renan

      • Eu falei dessa forma pra ilustrar mesmo, mas acabou fazendo parecer que eu detesto esse tipo de coisa. Eu não há possibilidades de pagar mensalidade num jogo pois realmente eu não faria valer o que paguei por causa de tempo. Bom, são “gratuitos” contanto que as mensalidades sejam pagas, o que não acho bom. Eu não gosto dessas mensalidades pq imagino da seguinte forma: Tem gente que as vezes tem que fazer um bom esforço pra juntar o dinheiro necessário pra comprar o jogo, que em 99% dos casos é caro, após isso ela não pode desfrutar tudo que o jogo tem pois tem que pagar pra que seja permitido a essa pessoa jogar. Isso que não gosto, me dá a impressão de que o que a pessoa comprou foi o direito de poder acessar o jogo, pra aí ter que pagar pelo direito de jogar.

  • 23 de abril de 2012 às 16:46 -

    FeeH

  • Não sei se os jogos do face se encaixem nesse modo , porém eu jogo até o limite sem ter que pagar , pois quando começa a ter que comprar pra subir de nível , pode esquecer que dou tchau !!!

    • 23 de abril de 2012 às 16:57 -

      Renan

    • Digo o mesmo

      • 23 de abril de 2012 às 18:00 -

        leandro(leon belmont) alves

      • assino embaixo

      • 23 de abril de 2012 às 21:38 -

        Matheus Humenhuk

      • Assino em baixo 2

  • 23 de abril de 2012 às 17:08 -

    Erick

  • Pra mim o melhor exemplo de game com um bom sistema de venda de itens é o Team Fortress 2. Todos os itens relevantes que estão no jogo podem ser adquiridos sem pagar nada ou se você quiser pega-los de forma mais rápida pode compra-los. Tribes também é um bom exemplo de um jogo que na minha opinião tem dado muito certo, mesmo sem pagar nada você não tem tantas desvantagens.

    • 23 de abril de 2012 às 18:26 -

      Bruno

    • Concordo. Tem o League of Legends também.

      • 23 de abril de 2012 às 18:41 -

        Raphael Cabrera

      • E Heroes of Newerth tambem.

    • 23 de abril de 2012 às 19:24 -

      Musaranho

    • TF2 é um exemplo. A Valve mostra o tempo todo que realmente se importa com os jogadores. Apesar dos jogadores de TF2 serem muito chorões (quem frequenta os fóruns da Steam sabem do que eu tô falando).

  • 23 de abril de 2012 às 20:22 -

    Anderson Hurameshe

  • É meio que ilógico gastar dinheiro fazendo um curso e demorar tempos pra se fazer um game e não ganhar nada com ele! Se alguém fizer um game realmente gratis e enxer ele de propaganda ninguém vai gostar! Imagina vc entra numa taverna e tem o simbolo da skol na entrada, ou pega um transporte e tem o simbolo da BMW? que ridiculo e engraçado seria?Que empresa colocaria seu anuncio num prostibulo? a praga da ieldmanager ou a playboy?

    • 23 de abril de 2012 às 17:56 -

      Kubrick Stare Nun

    • Eu não vejo nada de “maléfico” em tentar ganhar dinheiro assim, mas pode ter certeza de que o meu dinheiro e o dinheiro de todas as outras pessoas que odeiam essas coisas você não vai ganhar assim.

    • 23 de abril de 2012 às 21:40 -

      Raphael Cabrera

    • Sinceramente não vejo problema algum em pegar um carro da BMW, um prostibulo da playboy ou até mesmo uma armadura do Burger King. Seria muito melhor do que o gameplay desquilibrado que o sistema pay-to-win traz. Isto é "meio que" lógico.

    • 24 de abril de 2012 às 00:55 -

      Anderson Hurameshe

    • Raphael Cabrera hum, legal, quando disse transporte me referia a carroças ou jegues e não a veículos automotivos, estava linkando a conversa da Taverna e não bar, taverna lembra castelo, como estamos acostumados a muitos MMORPH em idade medieval etc..XD mas é isso aí agora axo q não há possivel interpretação extranha do que eu disse. vlw

    • 24 de abril de 2012 às 01:00 -

      Anderson Hurameshe

    • É só questão de tempo mesmo sacou? tipo, playboy medieval, ou BMW em uma carroça ia ficar meio extranho demais, o simbolo da Burguer king ou Mc donalds junto aos cavaleiros templarios ia ficar esquisito. o que detesto em sites é a propaganda, por isso criaram os bloqueadores de popup, senão incomoda porque utiliza-los?

    • 24 de abril de 2012 às 01:13 -

      Raphael Cabrera

    • O que eu quis dizer Anderson é que qualquer forma de ganhar dinheiro pode ser válida, desde que não influencie no gameplay, principalmente quando há Player vs Player.

    • 22 de maio de 2012 às 23:15 -

      Guilherme Gonelli

    • Cara,o ruim não é colocar itens nos jogos para a pessoa comprar, o ruim é que geralmente os itens que se vendem são muitíssimo "apelões".O ideal é fazer um sistema de compra de itens com dinheiro com itens que muda a aparência, por exemplo, ou um pet, ou até armas e armaduras só que não tão exageradamente fortes como muitas vezes são.

  • 23 de abril de 2012 às 18:05 -

    Kubrick Stare Nun

  • Talvez eu esteja sendo um “oldschool careta”, mas eu odeio as técnicas de ganhar dinheiro extra que as desenvolvedoras tem inventado nessa ultima década. Estou com saudades do tempo em que você podia simplesmente ir na loja, pagar o preço integral do jogo e ser livre para disfrutar de tudo o que o jogo tinha para oferecer; nada de pay-to-win, nada de expansões, nada de dlc, nada de conteúdo extra. Só você e um jogo que era COMPLETO.
    -
    Minha opinião sincera é essa: ficar vendendo fragmentos de jogos é uma idéia horrível que só funciona porque os consumidores de games atuais são uma grande massa de seres acéfalos que não tem o mínimo do bom senso.

    • 23 de abril de 2012 às 23:39 -

      Renan

    • Sinto saudades dessa época tbm, até o ponto que es extensões e DLCs eram um extra ao jogo já completo, eu via numa boa, quer comprar ou não, no fim não faz diferença, mas quando surgiu o esquema de vender 80% do jogo, os outros 20% só DLC, aí eu não gostei. Eu tenho o Castlevania Lords of Shadow pra PS3 e comprei com um amigo as 2 DLCs dele, se não tivéssemos comprado, no fim o jogo ainda seria o mesmo, compramos um extra que completou o que já estava completo. Agora, no caso de Mass Effect 3 por exemplo, quem odiou o final vai pagar pela DLC que “consertará” isso, quem não pagar fica chupando dedo, isso eu odeio.

      • 24 de abril de 2012 às 01:37 -

        Kubrick Stare Nun

      • Pois é. E isso que aconteceu com Mass Effect 3 foi mais ou menos a mesma coisa que aconteceu com Fallout 3; o game tem um final ruim que os produtores tentam concertar com um DLC. O pior é que o final de “Broken Steel” é ainda mais horrível que o final do Fallout 3 original.

    • 24 de abril de 2012 às 06:09 -

      leandro(leon belmont) alves

    • concordo contigo Kubrick, pois sou um dos poucos Old School por aqui. e como você e o Renan, pagar por um game que já estou jogando é meio errado. pois nada da sua vida real vai ser paga ou vai mudar após pagar 300 reais numa espada.

  • 23 de abril de 2012 às 22:40 -

    Edson Luciano

  • eu jogava Cabal no normal. depois de um tempo vi que o cash era barato e rendia. virando premium, tinha mais canais, menos aglomeracao, menos falacao no chat. isso era bom, pq agente so se concentrava no jogo. alem de pontos de teleporte melhores. mas so isso. nada de comprar armas ou etc. era so pelo lugar mais tranquilo

  • 23 de abril de 2012 às 19:48 -

    CabraMacho

  • É tudo questão de gosto (ou grana pra gastar), devo ter uns 10 anos de praia em MMO e tenho convicção que jogo de mensalidade é a melhor alternativa se o usuário quer um gameplay de qualidade ou seja, com suporte 24h, manutenção de vergonha no servidor e praticamente livre de bots.

    • 23 de abril de 2012 às 22:15 -

      KING OF KINGS

    • sim tbm acho depois de um tempo vi que nao compensa jogar esses tipos de jogos sem pagar é uma perda de tempo total

  • 23 de abril de 2012 às 22:55 -

    Rangel Costa

  • No pay no gain! Esses jogos lixos não valem a pena FIM.

  • 23 de abril de 2012 às 23:14 -

    Gabriel Oliveira

  • Jogador que diz não ser contra Pay to Win ou paga ou nunca viu Ragnarök (e mais uma infinidade de jogos corrompidos pela LUG!)

    • 23 de abril de 2012 às 21:31 -

      CabraMacho

    • Ragnarok, bom exemplo que você citou. Quando era apenas mensalidade era muito bom, quando surgiu o servidor pay-to-win estragou tudo.

  • 23 de abril de 2012 às 21:34 -

    KING OF KINGS

  • Bom isso é realmente muito chato mas acho que sempre teve isso, bom deixo uma dica pro pessoal que gosta de jogar jogos nesse estilo, fiquem o mais longe possivel desse jogadores pq só vc perde nisso

    • 23 de abril de 2012 às 21:49 -

      KING OF KINGS

    • sofria muito disso no tibia, tempos bons aqueles

    • 24 de abril de 2012 às 06:15 -

      leandro(leon belmont) alves

    • é por isso King, que prefiro um jogar um RPG de console mesmo. pegar uma Lionhearth num Final Fantasy,por exemplo por seu esforço, é dado mais valor a algo comprado na hora, você não suou para consegui-lo…

      • 24 de abril de 2012 às 15:41 -

        CabraMacho

      • O problema de pegar a Lionheart no Final Fantasy VIII é que você não pode exibi-la para muitas pessoas. Você comemora sozinho mesmo.

      • 27 de abril de 2012 às 21:21 -

        KING OF KINGS

      • pois é leandro chega ser mais justo

      • 27 de abril de 2012 às 21:33 -

        KING OF KINGS

      • Cabramacho isso ai ja chega a ser vaidade demais cara kkkkkkkk

  • 24 de abril de 2012 às 14:01 -

    Diana

  • “de cada 5 pessoas seus que jogam games “grátis”, 2 deles pagam por conteúdo extra, ítens, flechas douradas que dão mais dano, munição explosiva, vaquinhas brilhantes e angry birds fantasiados de nyan cat.”
    Fato.
    Tudo por causa do novo estilo de vida humano baseado no resultado rápido… Por isso que eu não compro, confesso que já comprei um pacote de cash de 5 reais para o Café Mania (lol), mas depois me dei conta da grande idiota que eu estava sendo.
    Tá lá o joguinho do Sims no Tablet que sempre indica com luzes brilhantes cash fácil através de compra livre. Mas não compro mais.
    Que nem um escritor disse uma vez: “Você parece ter pressa de morrer, leitor”… u_u

  • 27 de abril de 2012 às 14:01 -

    zecarlos

  • logico que vou querer ganahar caraio eu to pagando pra ganah….entao defendo a pira dos play to win…nao vejo problemas nisso(mesmo eu nunca pagar ,todos meus games play to win nao sao pagos,nao sou rico)

Deixar um comentário (ver regras)

Olá, Visitante!

Faça login ou cadastre-se