Indie or Die “in love”: To the Moon é uma história de amor para recordar

12 de junho de 2014
Autor: kau_kenway

Indie or Die "in love": To the Moon é uma história de amor para recordar

Hoje é dia dos namorados e para provar que gamer também ama, apresentamos To The Moon, um RPG de aventura que conta a história de dois doutores que viajam pelas memórias de um homem à beira da morte, tentando realizar seu último desejo.

Quarto jogo da Freebird Games, To The Moon é o game que traz um mix de emoções (positivas e negativas) que não poderia ser esquecido no tão especial dia dos namorados.

John Wyles — um dos personagens mais importantes do game — já é um idoso a beira da morte. Logo no inicio da história sabemos que seu ultimo desejo é conhecer a lua e a partir daí conhecemos os doutores Neil Watts e Eva Rosalene, contratados pela Corporação Sigmund — uma agência de travessia de memórias — para dar a oportunidade ao John, semelhante ao que a fundação Make a Wish faz.

No universo de To The Moon, há uma máquina capaz juntar todas as informações de um indivíduo com uma espécie de ‘wiki’ de fatos históricos para traçar toda a história de vida do paciente, possibilitando os doutores viajarem por cada uma de suas memórias afim de realizarem os desejos de tal paciente.

Cada viagem que o jogador faz mostra um emocionante pedaço da vida de John, fazendo descobertas incríveis e capazes de te fazer derrubar lágrimas.

Apresentações feitas e você querendo saber que raios To The Moon tem a ver com o dia dos namorados, agora a gente explica:

Indie or Die "in love": To the Moon é uma história de amor para recordar

To The Moon é uma grande (ou até mesmo a maior) história de amor que um jogo indie já teve. Os doutores Neil e Eva (que são controlados por você ao mesmo tempo) aos poucos vão desvendando a história de John e como foi sua vida ao lado de River, a sua esposa, descobrindo assim várias surpresas extremamente emocionantes (claro que depende do seu padrão emocional, mas o jogo vai tentar o tempo todo arrancar lágrimas dos seus olhos).

O próprio Kan Gao — criador do jogo — diz que devemos olhar atentamente aos olhos dos personagens pois cada observação é única, além deles serem os principais transmissores dos sentimentos de cada indivíduo do game.

To The Moon é uma excelente aventura romântica que esconde muitos segredos, além de que jogar esse tipo de jogo é como ler um livro ao contrário (eu mesmo tive que jogar nada menos que 4 vezes para descobrir coisas que eu não fazia ideia que poderiam estar acontecendo na história, além de refletir muito depois de jogar).

Aqueles que já jogaram sabem que é verdade.

Confiram o trailer do jogo:

A Arkade sabe que muitos gamers vivem uma bela história de amor, por isso aproveite o Dia dos Namorados para homenagear o melhor estilo de “jogo a dois”: um casal de namorados. Aproveite o dia de hoje para continuar fazendo sua namorada (ou seu namorado) feliz e se seu par não é gamer, faça dele seu Player 2 preferido.

E este jogo reflete um pouco este clima de romance. Mas muitos outros também mostram histórias de amor e cá pra nós, melhor do que muita novela das nove. Qual outro romance gamer chamou muito sua atenção? É hora dos apaixonados comentarem.

6 Respostas para “Indie or Die “in love”: To the Moon é uma história de amor para recordar”

  • 12 de junho de 2014 às 15:35 -

    Luan Barbosa

  • Tem alguma tradução em PT-BR?

    • 12 de junho de 2014 às 16:26 -

      ana_duarte

    • Tem sim! E ela está muito boa! Se comprar pelo Steam, vai no jogo na sua biblioteca, clica nele com o botão direito do mouse, propriedades, aba IDIOMAS e altera pra português.

      • 12 de junho de 2014 às 16:36 -

        kau_kenway

      • Bem lembrado!
        A tradução de To The Moon é ótima e é uma das melhores traduções para PT-BR 

    • 12 de junho de 2014 às 17:38 -

      Henrique Gonçalves

  • 12 de junho de 2014 às 18:17 -

    Diana Cabral

  • Deve ser um jogo lindo. (:

  • 3 de julho de 2014 às 21:45 -

    Adriele Evangelista

  • Esse jogo é uma obra de arte. Sensível, doce, triste, engraçado nas cenas certas. E ele ganha o jogador pela simplicidade, e por ser uma história ao mesmo tempo muito fantasiosa e muito real. Afinal de contas, apesar de toda a coisa de realizar os sonhos de alguém à beira da morte através da manipulação de memórias, as dores dos personagens, os dilemas, são todos muito reais, e muito tocantes. É um jogo espetacular, e eu recomendo pra todo mundo que gosta de uma boa história. Além do mais, a trilha sonora é fantástica também. <3E concordo plenamente com os autores da matéria, esse é sim um jogo pra se jogar a 2. <3

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *