Melhores Jogos do Ano Arkade 2017: Injustice 2

Quando o primeiro Injustice foi lançado lá no já longínquo ano de 2013, o game foi recebido com uma certa desconfiança do mercado e dos fãs do universo da DC Comics. Afinal, a última incursão de personagens como Batman, Superman e Mulher-Maravilha em jogos de luta tinha acontecido no famigerado Mortal Kombat vs. DC Universe e, mesmo o jogo tendo sido desenvolvido por outra empresa, o envolvimento da NetherRealm Studios, a mesma do renascimento de MK, mantinha essa visão de que não tem como uma franquia se parecer com a outra.

Felizmente, o final dessa história todos já conhecemos. Injustice: Gods Among Us foi muito bem recebido pelo público e pela crítica, mostrando que sim, é possível colocar Coringa e Superman juntos em uma luta justa, é possível criar uma estrutura equilibrada mesmo com personagens tão distintos em termos de poder e força bruta. Se a desculpa narrativa para isso é bastante simples, isso pouco importa. Em Injustice 2, por consequência, esse migué narrativo sequer precisa ser citado ou justificado. Não é o que importa.

Seguindo a receita do jogo anterior e de franquias de luta mais consagradas, Injustice 2 foi lançado em 2017 apostando no seguro em termos de construção da história e montagem do elenco, bem como no visual e na jogabilidade. Tudo o que de melhor foi mantido, com óbvios ajustes e adaptações técnicas para uma nova geração de consoles. Tudo sedimentado por uma campanha de marketing que valorizou seus maiores ícones e o potencial desse encontro.

Ainda assim, o jogo ousou em um sistema que acabou se tornando sua maior atração e seu grande trunfo para a longevidade do título: o sistema de composição de equipamentos e habilidades, onde cada luta pode premiar o jogador com uma peça nova para customizar o seu personagem tanto em termos visuais como em melhorias para certos atributos. Claro que na prática, o modelo se assemelha muito pouco a uma referência dos RPGs, já que é bem mais simplificado. Mas no final, cumpre muito bem o seu papel, dando motivações para novas incursões no multiverso do jogo.

Em resumo, valorizando o legado do primeiro game, refinando os elementos básicos da trindade narrativa, visual e jogabilidade, Injustice 2 conseguiu não só manter o ótimo nível do primeiro game, como pode trazer uma inovação muito interessante para os fãs, dando-lhe motivos para continuar jogando mesmo depois de ter elevado todos os seus personagens ao nível máximo. Acrescente uma dose extra de DLCs (que continuam sendo lançados) e temos o jogo de luta do ano figurando também aqui nos Melhores do Ano Arkade. Muito justo.

Aproveite que está aqui e confira nossa análise completa do game!