RetroArkade: Só Deus sabe as qualidades de Xenogears, jogo épico que envolve ciência, religião e filosofia (PSOne)

6 de abril de 2014
Autor: Junior Candido

RetroArkade: Só Deus sabe as qualidades de Xenogears, jogo épico que envolve ciência, religião e filosofia (PSOne)

Quem gostou de Bioshock Infinite? Seu visual de personalidade, violência exagerada e principalmente, a história envolvente com elementos de política, religião e filosofia fizeram da saga de Booker e Elizabeth uma obra prima e um dos jogos mais lembrados de 2013. Se você sente falta de mais, talvez não conheceu como deveria Xenogears, RPG da era de ouro da Square no PSOne que traz elementos semelhantes e vale a pena ser conhecido.

Talvez uma das razões que possam ter feito você deixar passar este jogo foi a sua fraca distribuição e divulgação no Ocidente. Devido ao medo da Square em sofrer represálias pelo conteúdo polêmico da trama (se isso ainda é complicado hoje, imagine em 1998) a desenvolvedora lançou o RPG localizado na íntegra, mas fez um lançamento muito mais discreto que o comum.

Um fator de sorte para nós brasileiros é que tivemos um pouco mais de contato com o game por causa das nossas revistas da época, que deram uma boa atenção a Xenogears, com detonados e reportagens especiais.

RetroArkade: Só Deus sabe as qualidades de Xenogears, jogo épico que envolve ciência, religião e filosofia (PSOne)

Pois bem, se você jogou, relembre e, se nunca viu, aproveite para conhecer esta joia em forma de jogo: nela você acompanha a história de Fei Wong Fong, um jovem sem passado, de presente ameaçador e que luta para ter um futuro melhor que em meio a muitos inimigos e adversidades, precisa enfrentar seu maior problema: suas próprias questões mal resolvidas.

A história se desenrola após alguns incidentes na vila na qual Fei foi deixado quando criança, Lohan. Após os incidentes, a jornada começa e a história, com muitos elementos de ciência, religião e filosofia, vai sendo contada. De maneira confusa no início, mas de forma proposital, pois no final da história todas as pontas conseguem se amarrar e cada detalhe ser resumido em uma conclusão épica.

O visual também é algo trabalhado com muito cuidado: os sprites são grandes e os desenvolvedores não tiveram vergonha de assumir as limitações da época, pois é comum ver a câmera se aproximar e expore os pixels “estourados” dos personagens. Animes ajudam a contar a história e contam com uma definição impressionante, mesmo se tratando de um jogo de 1998. Sinta-se a vontade para assistir o anime de introdução do jogo:

A jogabilidade merece dois destaques, um positivo e um negativo: positivo pois os combates são dinâmicos, seja com o personagem “a pé” ou dentro de um robô. O sistema de combos que existe somado aos poderes especiais trazem um ar diferente aos combates dos RPGs tradicionais. Já a bola fora é a exploração do mapa: como os cenários são poligonais e naquela época a alavanca direita não tinha função nenhuma, controlar a câmera era um terror e se perder nas cidades era algo muito comum.

As músicas são as mesmas de um bom jogo da Square da época. Ficam na nossa cabeça e são agradáveis, além de trazer todo o clima da situação ou do local visitado. As vozes dos animes também são de excelente qualidade, mostrando todo o requinte da época de ouro da desenvolvedora, que também geraria, na mesma ótima fase, os clássicos Final Fantasy VII e VIII.

RetroArkade: Só Deus sabe as qualidades de Xenogears, jogo épico que envolve ciência, religião e filosofia (PSOne)

Em 1998, os jogos não evoluíram apenas nos gráficos, mas também em personalidade. Os jogadores já estavam começando a entrar na vida adulta e jogos como Metal Gear Solid, com abordagens mais maduras e histórias mais sérias e complexas começaram a aparecer. Logo após, ainda tivemos Fear Effect que abordou assuntos mais polêmicos ainda, como a sexualidade.

Mas Xenogears conseguiu ir além por trazer questões do tipo “O que somos? Qual a origem de tudo? Destino realmente existe? E Deus? Quem é Deus?” para um público que estava, digamos, cansado de aventuras bem-contra-mal e que queriam algo novo. A luta de Fei contra ele mesmo, enquanto paralelamente enfrenta desafios e inimigos pelo mundo do jogo é uma experiência que vale a pena ser vivida ainda hoje.

Talvez nos nossos dias não exista mais espaço dedicado a jogos como estes, com muita exploração, batalhas sem parar, evoluções e MUITA conversa, mas, ainda assim, Xenogears é um clássico dos tempos de PSOne e merece ser conferido. Pelo visual único ou pela história polêmica e complexa, é uma jóia que pode ser deslumbrada.

RetroArkade: Só Deus sabe as qualidades de Xenogears, jogo épico que envolve ciência, religião e filosofia (PSOne)

XENOGEARS

Plataformas: PSOne, Playstation 3 e PSP (via PSN)

Plataforma usada para a análise: PSOne

Ano de Lançamento: 1998

Desenvolvedora: Squaresoft

Mídia: 2 CDs

Predecessor: Nenhum

Continuação: Nenhum

40 Respostas para “RetroArkade: Só Deus sabe as qualidades de Xenogears, jogo épico que envolve ciência, religião e filosofia (PSOne)”

  • 6 de abril de 2014 às 10:43 -

    Guilherme Matheus Silva

  • Preciso terminar esse jogo…

  • 6 de abril de 2014 às 10:43 -

    Naldo L'Costa

  • Olha aí, Rafael e Everton! Gastamos boas horas da nossa “adolescência” nessa criança aí! hehehe.

  • 6 de abril de 2014 às 10:43 -

    Everton Henrique

  • Cara… zerei esse jogo 2x… saudades de bons jogos como esse.

  • 6 de abril de 2014 às 10:43 -

    Adeson Moraes

  • Saga Strife, Edferrer Cabra

  • 6 de abril de 2014 às 11:43 -

    Luiz Henrique

  • Prazer de ter zerado esse game,um dos melhores games que já joguei até hoje.

  • 6 de abril de 2014 às 10:54 -

    Binholouco13

  • hummm ótimo! sempre ouvi falar mas só vocês para trazer para nós essa jóia! tentarei joga-lo!

    Obs.: Poderia incluir na ótima fase da Square Valkyrie Profile que na minha opinião é um dos melhores do PS1 junto com Breath of Fire 3 e 4!

  • 6 de abril de 2014 às 11:43 -

    John Moura

  • Paulo Fiuza, vc q eh fã até hj…

  • 6 de abril de 2014 às 11:43 -

    Diego Vieira

  • Xenogears é sensacional!

  • 6 de abril de 2014 às 11:43 -

    Lucas Fernandes

  • alquimia??

  • 6 de abril de 2014 às 11:43 -

    Silvio Lima Miguel

  • Jogaco muito bom zerei ele

  • 6 de abril de 2014 às 11:43 -

    Liz Barros

  • Luiz Guilherme Vaz Wandermurem olha !! :)

  • 6 de abril de 2014 às 11:43 -

    Valdecio Pereira

  • Bom jogo. Muito bom na verdade.

  • 6 de abril de 2014 às 11:30 -

    Cabramacho

  • O mais longo dos rpg’s, muito massa.

  • 6 de abril de 2014 às 12:43 -

    Leandro Rodrigues

  • Jogo excelente!!

  • 6 de abril de 2014 às 12:43 -

    Leandro Rodrigues

  • Jogo excelente!!

  • 6 de abril de 2014 às 12:43 -

    Bob Marden

  • bom demais, lembranças maravilhosas desse jogo

  • 6 de abril de 2014 às 12:43 -

    Bob Marden

  • bom demais, lembranças maravilhosas desse jogo

  • 6 de abril de 2014 às 12:43 -

    Breno Scafura

  • Esse jogo é muito foda :x

  • 6 de abril de 2014 às 12:43 -

    Breno Scafura

  • Esse jogo é muito foda :x

  • 6 de abril de 2014 às 13:43 -

    Socrates Carlos Paulo

  • bons tempos em que a square fazia ótimos enredos e personagens super carismáticos e vilões badess

  • 6 de abril de 2014 às 12:58 -

    leandro leon belmont alves

  • um dos jogos que a Square não tinha errado a mão

  • 6 de abril de 2014 às 13:43 -

    Marcello Medeiros

  • zerei umas duas vezes! oh jogao bom meu!!

    • 22 de julho de 2016 às 21:56 -

      Anderson

    • Zerei 8x man… Sou fã demais

  • 6 de abril de 2014 às 13:37 -

    Rafael Gritti

  • Esse jogo é épico, tive o prazer de zerar esse jogo que peguei emprestado com um amigo, um dos melhores jogos que tive rodando no meu PS1 e assim que zerar novamente Lunar 2: The Eternal Blue, ele será o próximo que jogarei novamente.

  • 6 de abril de 2014 às 14:43 -

    Keyson Carlos

  • Se não fosse pelo segundo CD , esse jogo realmente seria perfeito!

  • 6 de abril de 2014 às 14:43 -

    Keyson Carlos

  • Se não fosse pelo segundo CD , esse jogo realmente seria perfeito!

  • 6 de abril de 2014 às 14:43 -

    Keyson Carlos

  • Se não fosse pelo segundo CD , esse jogo realmente seria perfeito!

  • 6 de abril de 2014 às 14:43 -

    Keyson Carlos

  • Se não fosse pelo segundo CD , esse jogo realmente seria perfeito!

  • 6 de abril de 2014 às 16:43 -

    Aldivando Silva

  • the best os rpgs

  • 6 de abril de 2014 às 17:24 -

    Renan do Prado

  • Belo texto!!!!!! Nunca joguei esse game, mas conheço muita gente que o adora, e curti demais essa abertura em anime!!!!

  • 6 de abril de 2014 às 19:35 -

    Josinaldo

  • Sem sombra de dúvidas, um dos melhores RPGs. Os RPGs de hoje, não conseguem prender a atenção do jogador por dezenas de horas à fio.
    Naquela época não tinha gráficos em alta resolução, nada online, nem tão pouco jogos em português. Mas o primordial, que parece que as produtoras se esqueceram hoje, estava presente: criatividade e diversão!
    Quem jogou os RPGs da era PSOne sabe exatamente o que estou dizendo!
    Hoje poucos são realmente divertidos, extremamente curtos e acrescentando pouco além do que os jogos anteriores já traziam.
    Sinto falta daquele tempo e temo que os jogos atuais não sejam tão bons quanto os de outrora.
    Por fim, queria sugerir outro excelente RPGs da época: Legenda of Legais, também do PSOne.

  • 6 de abril de 2014 às 22:56 -

    Seven the lucky

  • Muita saudade de jogos como esses. Ainda nao joguei, mas estou convencido de que presta alem da conta.

  • 7 de abril de 2014 às 09:23 -

    Edimartin Martins

  • Esse jogo tem uma continuação não direta desenvolvido pela monolith e lançado pela nanco.
    Eu lembro de ler em revistas da época sobre o lançamento do Xenosaga para playstation 2, junto com uma foto de Jesus na matéria. Mas nunca testei o jogo.

  • 7 de abril de 2014 às 16:48 -

    Rogério Ketzer

  • olha Juarez Menegassi e Rafael Da Silva Fontoura…

  • 7 de abril de 2014 às 16:47 -

    Juarez Menegassi

  • “Compra parte pro Gear da Maria”

  • 7 de abril de 2014 às 20:28 -

    Carlos Schneider

  • Cara Xenogears foi um dos melhores Rpgs que joguei na vida, deu vontade de zerar de novo. Tanto ele como Chrono Cross, Vagrant Story, Legend of Dragoon e Parasite Eve.

  • 7 de abril de 2014 às 21:47 -

    Paulo Fiuza

  • Fala a verdade John Moura, vc tbm gostou pra caramba do jogo

  • 7 de abril de 2014 às 21:48 -

    Paulo Fiuza

  • Gosto demais desse game, e sempre que posso, mato a saudade….

  • 8 de abril de 2014 às 21:40 -

    Chinalia

  • Maravilhoso.. amo esse game

  • 15 de junho de 2015 às 01:06 -

    Douglas12ds

  • Ei equipe da Arkade, vocês poderiam, por favor, fazer uma análise do jogo “Legend of Heroes: Trails in the Sky”?
    Esse jogo é muito bom, um JRPG pouco conhecido que com certeza merece uma jogada, pois vale muito a pena.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *