Análise Arkade: A anarquia remasterizada de Saints Row: The Third

21 de maio de 2020
Autor: Junior Candido
Análise Arkade: A anarquia remasterizada de Saints Row: The Third

Saints Row é uma daquelas séries que jamais deve ser levadas a sério. Seja pelo seu enredo, todo fanfarrão e repleto de bizarrices, ou pelo seu gameplay, que conta com alguns exageros. The Third, o terceiro game da série, segue esta tendência. É como se um game GTA fosse escrito pelos roteiristas de Family Guy.

O game chegou em 2011, e mesmo sem contar com o mesmo refinamento da série da Rockstar, fez lá a sua parte. Conquistou muitos jogadores, que estavam, na época, vivendo o hiato entre GTA IV, de 2008, e GTA V, que chegaria dois anos depois. Chegou em um momento oportuno, pois serviu para preencher esta lacuna deixada pela Rockstar.

E, agora, nove anos depois, a Deep Silver traz de volta Steelport, a “cidade original do pecado”, para quem viveu as insanidades de 2011, e quer revivê-las com um visual melhorado. Ou para quem deixou passar o game na época, e agora quer dar uma nova chance para ele. Nós passeamos na cidade do pecado, para te falar o que esperar desta remasterização.

Voltando para uma Steelport remasterizada

Análise Arkade: A anarquia remasterizada de Saints Row: The Third

Saints Row: The Third contou, de fato, com um competente trabalho visual. De acordo com o estúdio, cada arma foi remodelada, cada carro foi refeito e boa parte da cidade foi redesenhada. Foram mais de 4 mil assets atualizados para adequar Steelport à nova geração. Mas, o que fica mais nítido no game, é o trabalho de iluminação.

Mesmo com um visual que remete aos games de dez anos atrás, melhorados, claro, é bacana ver a questão da iluminação. Como Steelport é uma cidade dominada pelo neon, um trabalho de luz bem feito faria a diferença no port. E fez. De dia ou de noite, é agradável ver a luz do sol, o brilho nos carros. O farol dos automóveis que ficou um pouco tosco, mas até o pisca-alerta funciona. No geral, é um ótimo trabalho.

Vamos comparar? Então veja este pequeno trecho do jogo:

É importante ressaltar também a qualidade dos controles. É gostoso dirigir em Steelport, assim como se movimentar pelas missões e controlar armas, e pessoas. Tudo bem que os problemas de 2011 seguem, em vários aspectos. Mas no geral, o trabalho de controle é satisfatório. Mesmo tendo que gastar dois pentes de metralhadora para abater apenas um alvo. Mas esta fuga da realidade, bem comum no game, deixa ele com uma identidade própria.

Conteúdo para deixar todos bem ocupados

Análise Arkade: A anarquia remasterizada de Saints Row: The Third

Além do game original, o remaster traz os três pacotes de expansão, e 30 peças de DLC da versão original. Como tudo é apresentado como “uma coisa só”, você terá muito conteúdo em Steelport. As expansões seguem bem o clima sem noção do game original. E suas missões são bem divertidas.

Somando o conteúdo extra, Saints Row: The Third segue com missões bem divertidas e variadas. Desde controlar as gangues locais, passando por ganhar dinheiro de companhias de seguro se atirando na frente dos carros, até roubar aviões de exércitos privados para explodir tudo na cidade, são muitas as coisas que dá pra se fazer.

Veja uma hora de gameplay aleatório do game, para ter uma noção de como está o gameplay, o visual, e o seu desempenho:

E tudo bem embalado por uma das rádios mais divertidas dos games de mundo aberto. Há opção para todos, do pop ao heavy metal. Passei meu tempo ouvindo mais a Mix, que oferece pérolas como You’re the Best, de Joe Esposito, trilha do Karate Kid original. Ou No Easy Way Out, de Robert Tepper, presente em Rocky IV.

Velho game, novo visual, velhos problemas

Análise Arkade: A anarquia remasterizada de Saints Row: The Third

Saints Row: The Third conta a história dos Saints, que agora vivem o “auge da carreira”. São bandidos que também promovem produtos, vendem energéticos, bonecas, e são parados, em pleno assalto, para darem autógrafos, ou tirarem fotos com “fãs”. Mas tudo muda quando o Sindicato, uma organização “poderosa” os desafia, querendo controlar Steelport a todo custo.

Você segue controlando um personagem customizado, e que conta com uma gama muito interessante de opções. Contando as DLCs, há uma rica variedade de opções, que vão de roupas até o porte físico, para deixar o seu personagem exatamente do seu gosto. Esta versão também oferece bons carros em sua garagem, além de armas úteis, que já começam em seu poder, em suas bases de operações.

Análise Arkade: A anarquia remasterizada de Saints Row: The Third

O visual é bacana, e o gameplay é competente. Mas não há como não falar também de pequenos problemas, que não foram devidamente corrigidos. Um deles está na inteligência artificial. No modo normal, por exemplo, não há grandes dificuldades em superar as missões, com pouco ou quase nenhum desafio. E algumas das missões que fracassei, ocorreu por causa de questões como um NPC que deveria me acompanhar na missão, mas ficou para trás. Ou outras questões que são mais o game te atrapalhando, do que o desafio em si.

Vale a pena se jogar na frente de carros, ou trocar tiros em queda livre

Análise Arkade: A anarquia remasterizada de Saints Row: The Third

Se você já possui Saints Row: The Third em sua versão de Xbox 360, ainda pode jogá-lo no Xbox One, uma vez que o console possui retrocompatibilidade. Mas quem não possui o game, encontrará aqui, além de melhorias, muito mais conteúdo do que o game original. Para os donos de Playstation 4, o conteúdo é o mesmo, mas como não tem como jogar games de PS3 no console, então só o remaster ajuda quem sente falta do game, ou quer conhecê-lo.

O trabalho de remasterização é muito bom na parte visual. O gameplay segue ágil e nota-se uma boa melhora. Mas todos os problemas do game anterior, como um gameplay que ás vezes “te atrapalha”, seguem. Entretanto, mesmo em 2011, este game não era conhecido por sua excelência. E sim, por sua diversão. E esta segue intacta. Seja para matar saudade, ou para conhecer um game divertido de ação em mundo aberto, Saints Row: The Third segue sendo uma boa opção, com suas extravagâncias e tudo.

Análise Arkade: A anarquia remasterizada de Saints Row: The Third

Suas missões seguem divertidas, e muitas das excentricidades do game é o que fazem o seu gameplay ser bem único, mesmo para este gênero, que conta com tantas opções. Só lembrando: o game também possui co-op, e, para quem se importa, não há legendas em nosso português.

Saints Row: The Third chega amanhã, dia 22, para Playstation 4, Xbox One, e PC.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *