Análise Arkade: Viajando pela história dos Survival Horrors em Back in 1995

24 de maio de 2019
Autor: Renan do Prado

Análise Arkade: Viajando pela história dos Survival Horrors em Back in 1995

A última vez que falamos de Back in 1995 foi há três anos atrás, pouco antes de seu lançamento original para PCs. Demorou bastante, mas agora essa verdadeira viajem no tempo pelo gênero Survival Horror enfim chegou aos consoles! E é hora de analisarmos essa aventura pelos primórdios do terror moderno nos video games!

Retornando ao berço do Survival Horror

Análise Arkade: Viajando pela história dos Survival Horrors em Back in 1995

Back in 1995 é uma aventura completamente retrô. Levando o jogador de volta ao antigo estilo de games de terror da época do Playstation 1 Sega Saturn, com direito a quase tudo daquela época: Gráficos poligonais, jogabilidade antiquada, inventário, salvamento manual, câmeras fixas e toda uma atmosfera antiquada.

O game coloca o jogador no controle de Kent, um homem que deseja chegar até uma torre de rádio próxima, para colocar um fim em alguma pendência sua. O problema é que chegar lá não será fácil. Pois a cidade está infestada de monstros grotescos, ao ponto dos poucos sobreviventes desse inferno estarem isolados nos telhados dos prédios da cidade, incapazes de descer ao nível do solo.

Sua missão é atravessar os telhados dos prédios próximos e chegar até a torre, em um game com foco em exploração e puzzles. Ao mesmo tempo, você deve ir juntando as peças sobre o que aconteceu com o mundo e de onde vem os terríveis monstros que es espalharam por todo lado, além é claro de tentar entender qual é a missão de Kent.

Uma experiência sobre o passado

Análise Arkade: Viajando pela história dos Survival Horrors em Back in 1995

Back in 1995 não possui esse nome a toa, mas sim por dois motivos específicos: O primeiro é reviver os primórdios do Survival Horroroficialmente inaugurado em 1996 com Resident Evil, mas precedendo desde 1989 com Sweet Home e 1992 com Alone in the Dark. E o segundo motivo está relacionado a trama do game, que envolve uma obsessão com o ano de 1995, que para não spoilar nada, não entrarei em detalhes.

A proposta do game é reviver a época em que cada título de terror novo era uma grande surpresa, dessa forma, o game propositalmente insere várias das limitações da época. Com o visual de baixa resolução e serrilhado, a antiga jogabilidade de tanque e as câmeras fixas, mais ao estilo Silent Hill, que seguem o jogador até que ele entre na área da câmera seguinte.

Análise Arkade: Viajando pela história dos Survival Horrors em Back in 1995

Em termos de jogabilidade, o game é muito mais lento e duro que os clássicos do gênero, mais parecido com o primeiro Alone in the Dark. Seu personagem se move devagar, seja andando, virando para os lados ou usando alguma arma para atacar, o que torna o gameplay cansativo após algum tempo. E infelizmente não há a função de correr aqui, o que ajudaria muito. Porém, esse gameplay “travado” é proposital, incluindo a lentidão do personagem. E a razão disso é para tentar resgatar nos jogadores a sensação de dificuldade da época.

O combate do game é muito simples, o game oferece apenas três armas diferentes: Um grifo (um alicate grande, se você não conhece pelo nome), uma pistola e uma shotgun. Assim como a movimentação do personagem, o combate também é um pouco lento, mas felizmente os inimigos também são, então você não sofrerá muito, exceto com um certo tipo de monstro bem irritante.

Análise Arkade: Viajando pela história dos Survival Horrors em Back in 1995

O game é, acima de tudo, uma experiência, como ficará claro quando o jogador terminar a aventura. Porém, ou quem sabe por conta disso, o enredo do game acabou sendo um pouco prejudicado. No fim, o game consegue contar uma história coerente, mas deixa muita coisa sem sentido no final, certos pedaços de informações e nomes importantes que no fim acabam não tendo significado.

Aliás, o game é muito curto. Com dedicação, é possível terminar o game em cerca de duas ou três horas. Eu mesmo terminei o game (e o platinei) numa única “sentada”. O game oferece uma experiência nostálgica, mas seria legal se tivesse mais conteúdo e uma maior duração.

Audiovisual

Análise Arkade: Viajando pela história dos Survival Horrors em Back in 1995

Que as imagens e vídeos espalhados ao longo desse texto falem por si só. Back in 1995 é 100% 1995. O game tem um visual poligonal bem simplório, com muito serrilhado e as clássicas telas de loading de antigamente. O game ainda oferece a opção de colocar um filtro de interferência de imagem, simulando uma antiga TV de tubo. Aliás, nem mesmo widescreen o game possui, os lados da tela simulam as bordas de uma TV antiga!

No entanto, o game sofre com as texturas dos cenários. Conforme o jogador se move, as texturas se movem junto, ficando esticadas ou se distorcendo de formas muito estranhas. Isso atrapalha um pouco na exploração, pois distrai e acaba não-intencionalmente escondendo elementos importantes, como documentos ou itens. Provavelmente isso seja um erro na renderização das texturas com a movimentação de uma câmera fixa, o que deixa tudo estranho.

O departamento sonoro do game é bem simplório, contando com algumas poucas músicas carregadas de tensão, mas que ficam pouco tempo tocando. Após alguns loops elas param e o silêncio domina tudo, sendo quebrado apenas pelos passos do jogador e dos monstros.

O game conta com dublagens em inglês, com uma atuação não muito empolgada, o que creio também ser proposital. Quem jogou o primeiro Resident Evil lembra como eram estranhas as dublagens dos personagens na época, numa época anterior a Metal Gear Solid, que se tornou padrão de dublagem para todos os games que vieram em seguida.

Conclusão

Análise Arkade: Viajando pela história dos Survival Horrors em Back in 1995

Back in 1995 é sem dúvida alguma um retorno à “antiguidade” dos Survival Horrors, resgatando seu visual, jogabilidade e dificuldade, mas pecando em resgatar a atmosfera que esses games criavam. Talvez em parte por culpa do passar dos anos, pois é mais difícil se assustar com games de terror antigos, mas ainda assim tomei alguns bons sustos com o game.

Se você quiser ter um gostinho de como eram os Survival Horros de antigamente, na época de Alone in the Dark e dos primeiros Resident Evil Silent Hill, então dê uma chance ao game! Ele é um pouco frustante com seus controles e enredo confuso, mas ainda entrega uma boa diversão.

Back in 1995 foi lançado originalmente em 2016 para PC e chegou esta semana para Playstation 3, Playstation 4, PS Vita, Xbox One Switch.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *