Análise Arkade – Hitman 2 é uma “temporada 2”, mas que ainda diverte com suas possibilidades

22 de novembro de 2018
Autor: Junior Candido

Análise Arkade - Hitman 2 é uma "temporada 2", mas que ainda diverte com suas possibilidades

Em 2016, o retorno de Hitman foi bem-vindo, mas com algumas controversas. Embora o game estivesse muito bonito e com um gameplay interessante e divertido, o polêmico formato episódico fez com que muitos ficassem longe do jogo. O formato não foi muito bem compreendido pelos jogadores, que acabavam comprando o primeiro episódio achando que era o jogo completo.

Pois bem, o tempo passou, e Hitman mudou de publisher. O jogo da IO Interactive deixou de ser distribuído pela Square Enix, e agora chega aos consoles através da Warner Games. O que não muda muito no jogo em si, embora seja possível perceber algumas pequenas diferenças e, desta vez, um game completo está a disposição, sem ser vendido “em frações”.

O game, que sempre valoriza o improviso, agora conta com novas situações, mais NPCs na tela, e uma tímida, mas interessante possibilidade de investigação. Mas no geral, é praticamente o mesmo game de dois anos atrás, com missões novas.

Hitman Season 2

Análise Arkade - Hitman 2 é uma "temporada 2", mas que ainda diverte com suas possibilidades

A sensação inicial que se temos ao jogar Hitman 2, é a de que começamos uma nova temporada de nossa série favorita. Apesar de agora vir como jogo completo, o game ainda oferece a mesma estrutura de episódios, que na verdade, são fases. Cada fase conta como um episódio, que pode ser vivido pelo Agente 47, e que, conclusão após conclusão, a história vai se aproximando de seu desfecho.

Para aproveitar mais o jogo, é extremamente recomendado jogar o primeiro game. A IO Interactive sabe tanto disso, que incorporou o primeiro game, com suas missões remasterizadas. Através do Legacy Pack, disponível de graça, inclusive, para quem já tem o game de 2016, é muito importante jogar estas missões, para quem tem interesse de conferir todo o enredo. Ou se acostumar com a mecânica do jogo.

E outra razão para se jogar estas missões é para estender a vida útil do jogo. Considerando apenas a campanha, sem jogar novamente as mesmas missões de outras maneiras, ou os outros modos, você terminará a campanha em poucas horas. Uns dois dias, se você jogar aos poucos. De qualquer forma, infelizmente a história não é o forte aqui.

Com contexto de conspirações e a busca pelo passado do Agente 47, a história se mistura de um jeito ruim entre os contextos de cada missão, assim como seus alvos. Como cada lugar conta com vida própria, e personagens específicos, no fim, ficamos mais “presos” na narrativa local de cada fase, estas sim interessantes, do que o contexto global.

Mesmo assim, este formato se encaixa de maneira adequada ao game. Desta forma, os produtores puderam criar “mini-mundos” diferentes, com suas peculiaridades e vida própria, pelo bem de um jogo diversificado, em contexto e missões.

É mais do mesmo, mas isso é legal!

Análise Arkade - Hitman 2 é uma "temporada 2", mas que ainda diverte com suas possibilidades

Em Hitman 2, você fará tudo o que fez no game de 2016. E esta é uma boa notícia, afinal, há muitas formas de se resolver suas questões, e assassinar seus alvos. A liberdade que o game oferece se mistura a ambientes maiores, como complexos que fazem que você ande por dois, três lugares totalmente diferentes, na mesma missão.

Como em 2016, você poderá ouvir pessoas e ler informações para ativar pequenas missões. Estas missões te ajudam, de alguma forma, a se aproximar de seu alvo, ou a de descobrir mais sobre o local que está. O jogo te encoraja a jogar novamente as missões, depois dos alvos serem abatidos, para concluir as histórias que ficaram pra trás.

Além disso, é a mesma coisa de sempre jogar Hitman 2: ouça uma conversa, se planeje para cumprir as etapas, arrume um disfarce, se aproxime de seu alvo, tente isolar ele e execute-o, sempre sem chamar atenção de ninguém. Ou, se quiser bancar o Rambo, boa sorte para lidar com o “exército” que virá atrás de você, fuzilando na bala seu alvo.

Entretanto, é bom lembrar que o game valoriza o inteligente, e até o improviso, ao invés do estilo brucutu. E as próprias missões te convidam a agir nas sombras, oferecendo possibilidades criativas, em meio a contextos tão diferentes. Assim, você pode ser um agente imobiliário que leva seu alvo para comprar uma nova casa, ou um mecânico de uma equipe de corridas, ou ainda um ator de cinema. Tudo vale para chegar perto de seu alvo.

Siga frio, siga assassino

Análise Arkade - Hitman 2 é uma "temporada 2", mas que ainda diverte com suas possibilidades

 

Como dito, a campanha é bem curta, e pode ser concluída em apenas um dia. Mas isso não quer dizer que o jogo tenha uma vida curta. O contexto de enredo, como não é o fator principal aqui, abre espaço para o que realmente importa: a exploração dos locais. Você irá terminar o game sem descobrir metade dos acontecimentos disponíveis nos ambientes das missões.

Seja por ignorar ou por eliminar os alvos antes de ativar as histórias, as histórias de missão te garantem revisitar as fases, sem ter que fazer tudo exatamente igual como da primeira vez. Sem mencionar o fato de que você mesmo pode fazer isso, usando do improviso e da criatividade, sem se deixar guiar pelo jogo.

Além disso, os jogadores da edição Legacy do game ainda terão acesso ao Paciente Zero, DLC do primeiro game, que também retorna remasterizado por estes lados. E ainda há dois modos bem legais, que podem ser jogados sozinho, ou multiplayer. O Sniper Mode, e o Ghost Mode. O primeiro usa das habilidades sniper para atingir alvos, baseados em oportunidades, e o Ghost é um “mano a mano”, no estilo Agente 47 de ser. Ou seja, com dois agentes tentando eliminar primeiro os personagens.

O pacote é bem intencionado e dá uma vida útil bem interessante ao game. A curta campanha abre espaço para jogar o game de várias formas diferentes, sem se importar muito com o que “acontecerá com o 47“. Talvez a IO Interactive saiba que seu agente é querido mais por fazer o que sabe de melhor (matar pessoas), do que por seu passado.

Um pouco de DLC, um pouco de “temporada 2”, mas ainda um ótimo game

As questões principais que envolvem os novos games Hitman dizem mais respeito a suas decisões de distribuição, do que o jogo em si. O game ainda tem “cara de DLC”, ou de “temporada 2” de uma série, devido a manutenção do formato episódico, ou pelas polêmicas da distribuição do primeiro jogo.

Mas, é como game que Hitman 2 merece elogios. Apesar de ser praticamente o mesmo jogo de 2016, com novos cenários, a IO Interactive adicionou novas possibilidades, novas maneiras diferentes de se progredir nos níveis e lapidou bem questões como controle, e visual, que segue impressionante. Especialmente os efeitos de iluminação.

Seguimos nos disfarçando de pessoas ou “coisas” bem diferentes, e um mundo bem maior nos oferece muitas possibilidades. E, o mais legal, é que Hitman 2 segue sendo um game muito divertido, daqueles que, para os seus fãs, sempre oferecerá algo de diferente a se jogar. Lembrando também do convite para a exploração, que nunca foi tão forte, como neste game.

Você pode jogar Hitman 2 em versões para Playstation 4 (compre aqui), Xbox One (compre aqui), e PC (compre na Nuuvem).

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *