Análise Arkade: Rock of Ages II: Bigger & Boulder e os duelos de pedras rolantes

2 de setembro de 2017
Autor: Rodrigo Pscheidt

Análise Arkade: Rock of Ages II: Bigger & Boulder e os duelos de pedras rolantes

Prepare-se para um duelo diferente de tudo o que você já viu no mundo dos games: Rock of Ages II: Bigger & Boulder nos coloca para travar épicas batalhas entre… pedras rolantes! Confira nossa análise deste game pra lá de maluco!

Que loucura é essa?

Em tempos onde simuladores de cabras e pães de forma fazem considerável sucesso, os desavisados podem achar que Rock of Ages II é um “simulador de pedra”. Mas não é bem por aí. O game na verdade é um jogo de duelos, que podem ser travados contra a IA, contra seus amigos localmente ou até mesmo online.

Apesar disso, existe uma pseudo-campanha, que traz um arremedo de história para motivar o jogador a seguir em frente. Basicamente, o titã Atlas acidentalmente derrubou a Terra, que ele deveria carregar nas costas à mando dos deuses. Para piorar, ele ergue uma pedra para disfarçar, mas acaba derrubando esta pedra na própria Terra.

Análise Arkade: Rock of Ages II: Bigger & Boulder e os duelos de pedras rolantes

Ao descer para recuperar nosso planeta, ele se depara com figuras históricas, mitológicas e até pinturas famosas vivas (?!), que irão desafiá-lo nos malucos duelos de pedras rolantes que são o cerne do game. Faz sentido? Nem um pouco, mas como nada neste game se leva a sério, esta história infame sem dúvida combina com a proposta, e é pontuada por cutscenes e diálogos muito engraçados!

Duelos de pedras rolantes

O primeiro Rock of Ages saiu há 6 anos atrás, e não lembro se ele fez sucesso na época ou não. Eu tenho uma quedinha por jogos bizarros (Katamari é meu guilty pleasure) e por isso lembro que me interessei pelo jogo e me diverti um bocado com ele. E, tal como o título sugere, Rock of Ages II é essencialmente a mesma coisa, só que maior e um pouco mais insano.

Análise Arkade: Rock of Ages II: Bigger & Boulder e os duelos de pedras rolantes

Os duelos se dividem em 2 momentos: preparação das defesas e ataque. Os cenários são pistas espelhadas, e nosso objetivo é rolar nossa pedra com força até o castelo do inimigo, para destruir o portão e amassar nosso desafiante que está lá dentro. Em contrapartida, devemos levantar defesas, armadilhas e obstáculos para tentar impedir — ou pelo menos retardar — a pedra inimiga.

Enquanto nossa pedra está sendo “lapidada”, devemos gastar nosso dinheiro espalhando armadilhas para complicar a vida do adversário. De coisas bem comuns — tipo muralhas e catapultas — até outras totalmente nonsense — tipo tigres pendurados em balões, cercados de vacas e ventiladores gigantes que sopram a pedra para fora da pista –, a ideia é fazer de tudo para enfraquecer e retardar a pedra inimiga, para que ela não cause tanto dano no seu portão.

Análise Arkade: Rock of Ages II: Bigger & Boulder e os duelos de pedras rolantes

pedra pronta, é hora de “botar pra quebrar”… mas aí você precisará “pilotar” sua pedra com muita atenção, para evitar as armadilhas que o inimigo espalhou para impedir o seu avanço. Conforme avança na campanha, você vai destravando novos tipos de obstáculos, e até pedras com diferentes “propriedades” vão sendo liberadas, o que é especialmente legal se considerarmos que tudo que desbloqueamos automaticamente fica disponível para todos os modos de jogo.

Confira abaixo um duelo completo contra ninguém menos que o personagem do famoso quadro O Grito, de Edvard Munch:

E tem mais

Ainda que o modo de jogo Game of War seja o mais interessante, Rock of Ages II traz alguma variedade com outras modalidades, todas pensadas para a competição entre (no mínimo) 2 jogadores. Existem corridas em circuitos cheios de obstáculos e um modo Time Trial que é um verdadeiro exercício de coordenação motora.

Análise Arkade: Rock of Ages II: Bigger & Boulder e os duelos de pedras rolantes

Todos os modos de jogo podem ser curtidos tanto sozinho quanto em multiplayer local ou online. Existem até partidas rankeadas online, ou seja, o jogo não está para brincadeira quando o assunto é fazer os jogadores se engajarem em duelos de diferentes modalidades.

Audiovisual

Além de ser muito bonito, Rock of Ages II também é muito estiloso. Misturando uma animação desajeitada (que lembra bastante o estilo Monty Python) nas cutscenes com cenários e elementos inspirados em obras de alguns dos maiores pintores da história, o jogo é tipo uma aula de história de arte regada à alucinógenos dos mais poderosos… e algumas referências muito bem sacadas, tipo essa:

Análise Arkade: Rock of Ages II: Bigger & Boulder e os duelos de pedras rolantes

Pokémon bíblico.

Considerando que o objetivo primário do game é destruir coisas, a destruição em si é muito competente, com pedaços e estilhaços explodindo para os lados. Só fique ligado pois simplesmente passar por cima de tudo nem sempre é a solução: as vacas, por exemplo, “grudam” na sua pedra e deixam seu rolamento todo desajeitado.

A trilha sonora corrobora com esta premissa, pois é tão épica quanto maluca na maior parte do tempo, e também se apropria de obras clássicas e composições emblemáticas para coroar um game que transita entre história e zoeira com muita desenvoltura.

Análise Arkade: Rock of Ages II: Bigger & Boulder e os duelos de pedras rolantes

Olha que irado esse cenário inspirado n’A Noite Estrelada de Van Gogh.

As dublagens são ótimas, caricatas e divertidas no melhor estilo desenho animado. Os diálogos são afiados e também cheios de referências artísticas e históricas. Infelizmente o game não está localizado para o nosso idioma, mas quem manja pelo menos um pouquinho de inglês vai conseguir se virar numa boa.

Conclusão

Sabe aquele tipo de jogo tão esquisito que a gente meio que pensa “como é que alguém criou isso?” ou (mais apropriado ainda) “como é que alguém fez uma sequência disso?”. Pois então, Rock of Ages II é esse tipo de jogo. Ele é bizarro de um jeito bem peculiar, e o mérito aí é todo dos chilenos do ACE Team, que adoram criar jogos bem “fora da caixa”.

Análise Arkade: Rock of Ages II: Bigger & Boulder e os duelos de pedras rolantes

Rock of Ages II é difícil de explicar, e mesmo enquanto jogamos acabamos não entendendo direito qual é a dele. Mas sua bizarrice funciona, é aditiva e extremamente viciante. Há muito conteúdo aqui, e confesso que tive alguns duelos online mais emocionantes do que muitas partidas de Street Fighter V ou PlayerUnknow’s Battlegrounds.

Apesar disso, tenho noção de que este é um jogo bem de nicho, voltado especialmente para pessoas meio doidas que curtem jogos pra lá de nonsense. Se você, como eu, faz parte desse grupo, vai fundo, pois você sem dúvida vai se divertir. Já se você é um sujeito mais “tradicional”… bom, existem (literalmente) milhares de jogos mais adequados para o seu “paladar”.

Rock of Ages II: Bigger & Boulder foi lançado em 29 de agosto, com versões para PC, Playstation 4 e Xbox One.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *