Análise Arkade: The Walking Dead se mantém previsível, mas ainda emociona (Season 3, Ep. 3)

1 de Abril de 2017
Autor: Fernando Floriano

Análise Arkade: The Walking Dead se mantém previsível, mas ainda emociona (Season 3, Ep. 3)

O terceiro episódio de The Walking Dead: A New Frontier, Acima da Lei, mantém a atual previsibilidade de todo o universo criado por Robert Kirkman, porém, a narrativa continua com sua virtude de envolver, chocar e emocionar o jogador, possibilitando assim uma experiência altamente compensadora. Para ter um melhor entendimento do capítulo atual e do contexto geral de A New Frontier você pode ler a análise dos dois primeiros episódios.

Atenção: esse texto contém leves spoilers sobre Acima da Lei, terceiro episódio de The Walking Dead: A New Frontier.

Começamos com um flashback que mostra Javier e Kate no começo do apocalipse, aproximadamente três meses após os fatos que ocorrem no começo do jogo, buscando água, gás e outros suprimentos.

Visando a segurança de Mari e Gabe a dupla resolve ir embora em busca de um ambiente mais protegido, ou seja, eles não esperariam mais por David, que tinha saído meses atrás visando levar sua mãe a um hospital, mas que acabou não voltando. Esse prólogo serve para criar uma conexão maior entre Javi e Kate e, narrativamente falando, já começa a dar indícios para onde o roteiro levaria esses personagens.

Voltando ao presente, em frente aos portões da Nova Fronteira, com Kate baleada e inúmeras outras baixas no grupo, somos recepcionados por um dos líderes da comunidade: o próprio David. A partir daí somos apresentados ao novo grupo e instigados a confiar e duvidar de todos ao mesmo tempo, criando assim um senso interessante de ambiguidade.

Análise Arkade: The Walking Dead se mantém previsível, mas ainda emociona (Season 3, Ep. 3)

Nesse meio tempo a narrativa fica instigando os outros personagens a questionarem Javi em relação a sua ligação com Kate agora que ela reencontrara seu marido. Durante esses três episódios, Kate demonstra sua insatisfação em relação ao seu casamento, dando a intender que o sumiço de David acabou sendo uma coisa boa, elemento interessante, pois acrescenta uma nova camada de drama pessoal para a história.

Conhecemos a alta cúpula da comunidade e podemos ser mais agressivos em relação as suas ações ou contemporizar a pedido de David. Kate se mostra preocupada e insegura naquele lugar e sugere que na primeira oportunidade ela e Javi sigam seu caminho e tentem a sorte na estrada.

As linhas de diálogo nos provocam a deixar nosso irmão para trás e ir embora, fato que gera uma série de conflitos posteriores. Pode-se dizer que até mais importante que a sobrevivência, o grande argumento desse novo capítulo do jogo da Telltale é o “triângulo amoroso” dos protagonistas.

Análise Arkade: The Walking Dead se mantém previsível, mas ainda emociona (Season 3, Ep. 3)

Por não entrar nos padrões morais da comunidade, Javi, Jesus e Tripp são mandados embora sem nenhum suprimento, poucas armas e apenas um mapa. Mapa esse que marcava um lugar específico destacado por David. Nesse ponto o roteiro ainda deixa ambígua as intenções de David, pois ele tem relevância na Nova Fronteira, mas sua própria personalidade nos deixa em dúvida em relação a suas intenções.

No caminho encontramos Clementine, coadjuvante de luxo até aqui, que se junta a nós e contextualiza porque foi expulsa da Nova Fronteira e o que aconteceu com AJ. Chegando no lugar sugerido por David há uma série de confrontos que nos levam de volta ao ponto inicial. O episódio termina com um clássico cliffhanger.

Análise Arkade: The Walking Dead se mantém previsível, mas ainda emociona (Season 3, Ep. 3)

O episódio em si talvez seja o que contenha menos gameplay entre os três primeiros, é praticamente um filme interativo, pois nossas ações resumem-se a cinco ou seis cliques no mouse. Refiro-me a Clamentine, protagonista das temporadas anteriores, como coadjuvante porque ela realmente tem uma participação bem ínfima, aparecendo menos da metade do tempo e servindo à narrativa como uma alavanca de roteiro para outros personagens e momentos.

A terceira temporada do game acaba sofrendo do mesmo mal que todo o universo de The Walking Dead está inserido: a falta de um objetivo concreto e a insistência no mesmo status quo acaba tornando tudo muito previsível.

Análise Arkade: The Walking Dead se mantém previsível, mas ainda emociona (Season 3, Ep. 3)

O conceito é sempre o mesmo, os protagonistas chegam em alguma nova comunidade, o lugar é destruído em meio a conflitos com antagonistas e a partir daí se inicia novamente a jornada em busca de um novo local seguro. O game — mesmo mantendo a qualidade já conhecida da Telltale em termos narrativos — acaba sofrendo do mesmo problema. A grande questão é que apesar disso, os dramas pessoais continuam bem desenvolvidos e há momentos em que realmente ficamos tristes ou embargados.

Acima da Lei é focado basicamente na afirmação de conceitos vistos nos dois primeiros episódios, deixando de lado o gameplay e dando ao jogador praticamente um filme interativo, destacando Javier e deixando Clementine novamente em segundo plano.

A terceira temporada de The Walking Dead e o episódio Acima da Lei estão disponíveis para PC, Xbox One, PS4, iOS e Android.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *