Análise Arkade: Viagens, boa música e histórias em Where the Water Tastes Like Wine

27 de fevereiro de 2018
Autor: Bruna

Análise Arkade: Viagens, boa música e histórias em Where the Water Tastes Like Wine

Criado pela Dim Bulb Games e Serenity Forge, Where the Water Tastes Like Wine é uma verdadeira viagem pelos Estados Unidos, o jogo é uma aventura narrativa como você provavelmente nunca viu antes.

Embalado em uma trilha sonora muito boa, a história segue um peregrino que após perder uma aposta com um misterioso lobo em um bar, é condenado a viajar por todos os cantos dos EUA contando e escutando histórias.

Se o enredo parece um tanto quanto fantasioso, espere para conhecer as histórias, elas são realmente contos que receberam uma dose boa de exagero.

O clima de Where the Water Tastes Like Wine te faz imaginar que está nos tempos antigos, como naqueles filmes do Velho Oeste onde os viajantes não contam com os celulares modernos da atualidade para contar e ouvir novas histórias, mas os arranha-céus e carros estão lá para lembrar que essa é uma realidade alternativa.

Análise Arkade: Viagens, boa música e histórias em Where the Water Tastes Like Wine

E como qualquer história de fantasia, você pode esperar pelo inusitado, histórias de fantasmas e criaturas místicas estão por toda parte, junto também com fábulas para rir, chorar e se divertir bastante.

Os gráficos artísticos das cutscenes e desenhos dos personagens dão um toque especial ao jogo que não fica limitado somente ao 2D, você controla o seu personagem, um esqueleto, em um mapa 3D dos Estados Unidos dividido por todos os seus Estados.

A gameplay desse jogo é bem singular, você vaga pelos Estados e começa a escutar histórias, durante os diálogos você pode escolher que tipo de história ela tornará para você recontar.

Análise Arkade: Viagens, boa música e histórias em Where the Water Tastes Like Wine

De acordo com sua escolha, você pode ter uma história triste ou alegre e tudo isso é indicado através de símbolos que aparecem quando você está para escolher as alternativas.

Como cartas de Tarô, os contos são guardados em sua memória em categorias ou cartas que expressam o sentimento passado, histórias de amor, ódio, horror, mistério, esperança, desilusão, justiça, liberdade são alguns dos temas.

Ao longo do imenso mapa, você pode acessar grandes e pequenas cidades ou fazendas distantes, em alguns pontos você pode conhecer novos contos ou conquistar dinheiro e uma boa noite de sono.

Apesar da aparência, o seu simpático esqueleto não está morto e para se manter vivo você tem que manter sua vitalidade, sem deixa-lo muito tempo sem dormir e sempre ter um dinheiro para facilitar sua vida.

Análise Arkade: Viagens, boa música e histórias em Where the Water Tastes Like Wine

Em Where the Water Tastes Like Wine você pode morrer se não manter sua saúde, quando isso acontece, você reinicia sua jornada na última cidade que passou, mas não antes de visitar novamente o lobo para contar suas aventuras, todo o seu progresso fica salvo, aliás, tudo é salvo automaticamente nesse jogo.

Ao longo de sua jornada você vai escutar a mesma história com alguns ajustes e até mesmo em uma versão melhor, é aí que você atualiza seu repertório para ser um melhor narrador.

O jogo das cartas e os viajantes

Um ponto chave no desenvolvimento do game são os viajantes que você encontra no caminho, eles são pessoas com suas próprias personalidades que gostam de determinados tipos de histórias e que também possuem muitas para contar.

No mapa do jogo você pode facilmente localizá-los perto de uma fogueira de um acampamento improvisado, a cada conversa você vai descobrindo um pouco mais sobre eles e avançar seus respectivos capítulos até que a história dele se complete. Funciona assim:

Você tem a seu dispor as suas cartas com diversos temas diferentes, cada uma delas podem guardar 3 histórias diferentes que você já escutou, no menu principal, antes de conversar com os viajantes, você pode escolher quais das histórias vai levar consigo.

O viajante te fala que tipo de história quer ouvir e você escolhe uma para contar, logo acima existe um olho fechado que vai se abrindo a medida que você os impressiona contando história interessantes de acordo com o que foi pedido.

Análise Arkade: Viagens, boa música e histórias em Where the Water Tastes Like Wine

O mesmo olho existe também para cada uma história que você coleta em Where the Water Tastes Like Wine, quanto mais aberto ele está, mais rica de detalhes a história será e mais impressionadas ficará as pessoas que a escutar.

No final da noite, o peregrino parte para outra parte do mapa, esse capítulo está completo e você pode acessar o próximo após encontra-lo novamente no lugar novo.

É impressionante como é tudo muito bem escrito em Where the Water Tastes Like Wine, os viajantes progridem ao longo dos capítulos, por exemplo, durante a viagem encontrei uma senhora cantora de Blues que estava em seu fim de carreira e vendeu a alma ao diabo para depois morrer e ver seu espírito ainda vagar pelo país contando e escutando histórias tristes e arrepiantes.

Análise Arkade: Viagens, boa música e histórias em Where the Water Tastes Like Wine

Cidades e meios de transporte

As grandes cidades são exploradas diferente, você pode observar suas histórias locais, gastar e ganhar dinheiro ou pagar por um transporte rápido para outra cidade.

Tudo pode acontecer, em algum momento você pode tentar pedir dinheiro na rua e não ter sucesso, mas em outros se surpreender com a generosidade dos moradores, ou então embarcar em uma busca por emprego que lhe dá uma boa grana ou ser roubado por vigaristas.

Análise Arkade: Viagens, boa música e histórias em Where the Water Tastes Like Wine

Algo que achei estranho em Where the Water Tastes Like Wine é a sensação de que o seu personagem nunca realmente estoca mais dinheiro do que consegue carregar, a impressão é de que não adianta juntar dinheiro, quando sua barra de dólares estiver cheia, você não consegue guardar mais.

Além de poder pagar para o trem de ferro te levar para o próximo destino, você também pode pegar uma carona ilegal em um deles no meio do caminho, mas é claro que o preço é pago com sua saúde quando o guarda de espanca para fora.

Outra alternativa é pegar carona com carros, basta acenar e esperar para subir no carro que te leva até a cidade mais próxima.

Narração profissional

A grande maioria das histórias de Where the Water Tastes Like Wine são acompanhadas por narração em inglês, elas são realmente cheias de sentimentos, não é somente uma pessoa lendo um texto, mas sim atores interpretando os personagens.

Mesmo que seja mais lento esperar a dublagem contar o que está escrito na tela, ao invés de simplesmente ler rapidamente, é muito mais interessante escutar o ótimo trabalho de interpretação que dá mais vida aos personagens, sem contar que as vozes não são chatas, mas sim agradáveis, mesmo depois de longas horas de jogo.

Não é à toa que foram contratados para a dublagem grandes profissionais conhecidos por vozes nos jogos The Walking Dead: A Telltale Game Series, Firewatch, Mass Effect, The Legend of Zelda: Breath of The Wild e Gone Home, como poderia dar errado?

O ritmo do andarilho

Where the Water Tastes Like Wine não é um jogo indicado para você que é ansioso ou que gosta de tudo rápido e para ontem, ele é um jogo focado na narrativa e requer muitas horas de leitura, as suas legendas estão disponíveis em Inglês, Francês, Alemão e Russo.

O fato do personagem andar lentamente pelo mapa já é um grande “não” para quem gosta de jogos de ação, mas para quem aprecia uma boa história e um clima imersivo, vai adorar jogar Where the Water Tastes Like Wine, é como se as caminhadas lentas fosse uma forma de você refletir sobre tudo que descobriu, isso acompanhado da maravilhosa trilha sonora, você até mesmo pode assoviar casualmente.

Análise Arkade: Viagens, boa música e histórias em Where the Water Tastes Like Wine

A música é calma e estimulante ao mesmo tempo, o repertório não é muito grande, mas você não sente que é muito repetitivo, o legal é que a todo momento que você cruza a fronteira de um Estado para outro, a trilha muda de acordo com a região.

Na fronteira dos EUA com México você vai escutar a mesma melodia de sempre, porém com um ritmo indígena e típico das músicas populares do país latino, enquanto que no Texas e regiões próximas, você será envolvido pelo Country.

Conclusão

Para mim que adoro leitura de boas histórias que provocam vários sentimentos, jogar Where the Water Tastes Like Wine foi uma experiência nova e inesquecível.

O jogo rende a você várias horas de leitura com boa música e ilustrações legais.

Se você também gosta de jogos desse estilo, não hesite em experimentar Where the Water Tastes Like Wine.

Esse jogo será lançado no dia 28 de fevereiro de 2018 e por enquanto estará disponível para PC e MAC na Steam.

Uma resposta para “Análise Arkade: Viagens, boa música e histórias em Where the Water Tastes Like Wine”

  • 28 de fevereiro de 2018 às 17:50 -

    ed

  • Jogo de história sem legenda em português querendo vender jogo pra brasileiro aprender inglês.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *