Análise Arkade: Underland, um jogo simples, mas com puzzles desafiadores

8 de outubro de 2021
Análise Arkade: Underland, um jogo simples, mas com puzzles desafiadores

Tem mais jogo brasileiro na área! Confira agora nossa análise de Underland, puzzle game que nossos camaradas da QUByte Interactive portaram para os consoles recentemente!

História

Underland é um jogo indie com a proposta de fazer o jogador guiar dois astronautas até a saída de cada área. Para conseguir isso, será preciso desvendar quebra-cabeças utilizando a física e os elementos que temos à nossa disposição em cada fase.

Assim que começamos o jogo nos deparamos com a seguinte mensagem.

“Os astronautas que foram enviados a procura de um planeta habitável acabaram de chegar de sua missão fracassada. Entretanto a superfície da Terra não é mais habitável, e eles descobrem que o restante da população agora vive no subterrâneo. O caminho que leva até este refúgio desabou, e a única forma de chegar até a cidade subterrânea é cavando e cavando”.

Análise Arkade: Underland, um jogo simples, mas com puzzles desafiadores

A história do jogo é bem direta ao ponto, e apresentada assim, sem rodeios. Nossa missão é solucionar uma série de quebra-cabeças para chegar até a cidade subterrânea e assim encontrarmos o que sobrou da raça humana.

Entre as “ferramentas” que temos disponíveis para cumprir nossos objetivos, estão canhões, escavadeiras, canos, carrinhos explosivos e até plataformas móveis. Na prática, tudo isso deve ser utilizado — de maneira inteligente — para ajudar os personagens a alcançarem o próximo elevador.

Análise Arkade: Underland, um jogo simples, mas com puzzles desafiadores

Em algumas fases, vamos usar canhões para derrubar escombros, que acabarão servindo de ponte. Em outras, precisaremos drenas gosmas verdes que bloqueiam o caminho, ou evitar o contato com vazamentos de gases tóxicos. Os objetivos em geral são bastante intuitivos — o desafio está em superá-los.

Jogabilidade

A jogabilidade é tão simples quanto a narrativa: em cada fase, temos um conjunto de ferramentas que deve ser utilizado para guiar os astronautas até um elevador, que é a saída para a próxima área. Completando o caminho você termina a fase sem problemas. 

Análise Arkade: Underland, um jogo simples, mas com puzzles desafiadores
Aqui precisamos cavar um caminho até o elevador

À medida que vamos avançando no jogo, porém, os objetos em cena vão aumentando e com isso a complexidade de alcançar o objetivo também. Os puzzles do game vão tornando-se mais engenhosos e complexos, exigindo um bocado de empenho do jogador.

Underland é um tanto intolerante a erros: há fases em que temos que fazer os dois astronautas chegarem ao elevador. Se um deles morrer é preciso recomeçar a fase do zero, repetindo todas as etapas da resolução do puzzle.

Análise Arkade: Underland, um jogo simples, mas com puzzles desafiadores
À medida que avançamos, as formas de completar as fases vão ficando complexas

Este fator “tentativa e erro” acaba testando a paciência do jogador: experimentar, falhar e tentar novamente é um loop que faz parte da experiência, mas pode aborrecer os jogadores menos pacientes.

Assim que passamos uma fase, o jogo salva, e nos permite refazer a fase e tentar uma nova abordagem (não há somente uma solução possível para diversos dos quebra-cabeças do jogo), ou seguir para a próxima área. Pela tela de seleção de fases, podemos revisitar qualquer fase que já passamos.

Análise Arkade: Underland, um jogo simples, mas com puzzles desafiadores

Audiovisual

Underland é bem econômico em seu visual, e em muitos aspectos, até lembra os jogos do saudoso Game Boy Color — especialmente pela quantidade limitada de cores que compõem todos os ambientes do game (basicamente roxo, verde, branco e preto).

Análise Arkade: Underland, um jogo simples, mas com puzzles desafiadores

A pixel art do jogo é bem feitinha, mas peca pela simplicidade: não temos muitos detalhes, nem nada que realmente salte aos olhos. A trilha sonora segue apostando na simplicidade, mas consegue contribuir com a imersão do jogador, assim como os efeitos sonoros, que são diferentes para cada item com o qual podemos interagir.

Conclusão

Underland é um jogo de plataforma e quebra-cabeça 2D bastante simples, mas que testará constantemente sua inteligência e sua criatividade. Há diversas maneiras de superar os obstáculos do jogo, e parte da graça está justamente em criar jeitos inusitados de prosseguir — sempre se valendo da física e dos objetos presentes em cada fase.

Não é um jogo particularmente longo, mas oferece um entretenimento honesto pelo tempo que dura — e um bom exercício para o cérebro.

Desenvolvido pelo estúdio indie baiano MiniCactus Games (que é composto, basicamente, por uma pessoa) e portado aos consoles pela QUByte Interactive, Underland está disponível para PC, Nintendo Switch (versão analisada), PS4, PS5, Xbox One e Series X|S.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *