Campus Party 2019 – Ivair Gontijo compartilha suas experiências na Nasa

13 de fevereiro de 2019
Autor: Junior Candido

Campus Party 2019 - Ivair Gontijo compartilha suas experiências na Nasa

A Campus Party 2019 teve como primeiro palestrante Ivair Gontijo. Mineiro da pequena cidade de Moema, ele trabalha na JPL (a Jet Propulsion Laboratory), um laboratório que pertence a Nasa. Em sua palestra, ele compartilhou um pouco sobre sua vida, carreira, e também falou sobre os projetos em que trabalha, envolvendo a exploração de Marte.

Hoje funcionário da agência espacial dos EUA, Gontijo explicou que não foi fácil chegar até lá. “Por que dar emprego pra um estrangeiro, se tem mil americanos buscando a mesma vaga?”, questionou. “Eu bati na porta da Nasa várias vezes. Não foi na primeira, nem na segunda, foram muitas. E não aceito um não facilmente. Temos que continuar insistindo.”

Morando na pequena Moema, Gontijo estudou nas escolas públicas da cidade até completar 18. Chegando a fazer um curso técnico em agropecuária. Mas, na hora de ir para a universidade, decidiu estudar física, se mudando assim, para Belo Horizonte. E assim, ele ingressou na UFMG. Ele explicou que, o fato de ver o céu em uma noite na fazenda foi uma das inspirações para trabalhar com ciência. Desta forma, ele economizou dinheiro por três anos para fazer o curso na capital mineira.

Gontijo fez também mestrado no Brasil, além de doutorado na Escócia, em Glasgow. Se mudou para Los Angeles e, há decanos, trabalha ajudando a construir transmissores e receptores do radar que foi implementado no robô Curiosity em Marte. A missão encontrou várias coisas úteis para estudos: moléculas orgânicas, detalhes sobre estações climáticas, além de variações de temperatura. Lá, as noites de inverno são de -90ºC, enquanto as noites no verão atingem 0ºC.

Campus Party 2019 - Ivair Gontijo compartilha suas experiências na Nasa

Ivair Gontijo e seu livro “A Caminho de Marte”

Mas, sobre a colonização humana em Marte, apesar de Gontijo não determinar um prazo, ele afirmou, em coletiva, que os avanços através dos anos podem sim, tornar possível, de certa forma, este projeto. “É possível, mas é distante. Temos desafios enormes. Até para produzir oxigênio para uma viagem tripulada para Marte. Fazer comida. Espaços muito pequenos. A viagem demora 8 meses e meio. Tudo é muito complexo, difícil, mas são problemas de engenharia, e com certeza os humanos tem capacidade para resolvê-los”.

Gontijo também aproveitou a Campus Party para promover seu livro. Com o nome de A Caminho de Marte, o físico conta sobre sua vida, e como chegou na Nasa. Ele busca, através do livro, levar uma mensagem de incentivo para todos aqueles que buscam realizar seus sonhos, por mais distante que pareçam ser.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *