CineReview – A Origem (Inception)

7 de agosto de 2010
Autor: Fábio Torres

CineReview - A Origem (Inception)

Um dos filmes mais aguardados do ano é A Origem (Inception, em inglês), filme do diretor Christopher Nolan que esteve em produção nos últimos 10 anos. Será que tanto tempo assim fez bem ou mal à super-produção? Confira nosso review!

A Origem traz a história de Cobb (Leonardo Di Caprio), um homem que fez sua vida roubando pensamentos dos sonhos de pessoas junto com seu parceiro Arthur (Joseph Gordon-Levitt). No entanto, algo muito grave impede Cobb de voltar para casa e rever seus filhos. É aí que surge Saito (Ken Watanabe), que oferece a Cobb a oportunidade de voltar para casa, mas com uma condição – que ele implante uma ideia na cabeça de Robert Fischer (Cillian Murphy), herdeiro de uma poderosa empresa no ramo de energia. Para evitarmos spoilers, vamos parar por aqui – mas deixamos claro: é um roteiro como poucos.

CineReview - A Origem (Inception)

A primeira coisa que marca A Origem é a grandiosidade da coisa. Neste filme, tudo é exagerado e grandioso – como se fosse num sonho. Nolan constantemente brinca com os espectadores, criando e recriando mundos praticamente a torto e a direito. Muitas cenas farão o espectador ficar na beira da poltrona, pensando se o que ele vê é real ou não.

CineReview - A Origem (Inception)

Tal atmosfera só foi conseguida graças às excelentes atuações de todos os atores. Di Caprio reprisa o papel de “atormentado-à-beira-da-loucura” que foi tão bem feito por ele em A Ilha do Medo. Gordon-Levitt é a frieza em pessoa, tentando sempre ser o mais eficiente possível. É Gordon-Levitt também que protagoniza a cena de luta mais animal do ano – só que não serei eu que lhe direi qual cena! As atuações de Ellen Page (Ariadne), Tom Hardy (Eames, o toque humorístico do filme) e Watanabe só colaboram com o filme. No entanto, quem rouba a cena é Marion Cotillard, que faz o papel de Mal, mulher de Cobb, sempre fazendo aparições inesperadas e de impacto. Nesta coroa de atuações repleta de joias raras, é Cotillard a mais preciosa de todas.

CineReview - A Origem (Inception)

Os aspectos técnicos de A Origem também merecem destaque. Os efeitos visuais deixarão qualquer um sem fôlego. São mundos e mais mundos criados na frente de seus olhos – alguns deles, por sinal, irão lembrar os gamers mais atentos de cenários de Call of Duty: Modern Warfare 2. A trilha sonora é perfeita, cada música se encaixa perfeitamente, criando o clima certo para cada cena.

Um detalhe há de ser ressaltado: veja A Origem na maior tela possível em sua cidade. Se você mora em São Paulo ou Curitiba, gaste uma graninha a mais e vá ver no Imax. Este é um filme feito para ser apreciado em telas grandes, por isso não pirateie ou deixe para ver quando sair em DVD/Blu-ray.

CineReview - A Origem (Inception)

Tá de bobeira neste fim de semana? Pois chame seu amigo, irmão, primo ou aquela gata (ou gato, no caso das meninas) que você tá de olho e leve para ver A Origem. Certamente você não se arrependerá e ainda mostrará o seu bom gosto fílmico. A Origem é o filme do ano, a obra prima de Christopher Nolan e algo que redefinirá o cinema como conhecemos.

Nota: 10,0

7 Respostas para “CineReview – A Origem (Inception)”

  • 7 de agosto de 2010 às 13:09 -

    Pedro

  • Não moro em São Paulo –'.

    E na cidade que moro não tem cinema, vou ver se dá pra mim ir ! Tô doidin pra ver esse filme !

  • 7 de agosto de 2010 às 14:17 -

    onor

  • Q filme foda. Tenso. Espetacular!

  • 8 de agosto de 2010 às 14:15 -

    Heliezer Soares

  • Eu vi esse filme na estréia e o cinema não estava cheio. No final da sessão, percebi que muitos não gostaram do filme. Isso sem falar que algumas pessoas sairam na metade do filme.

    E eu gostei e muito. Quero rever e prestar atenção em certos detalhes. E é um filme que comprarei com certeza quando sair em dvd (e talvez em blu-ray, caso este esteja com um preço acessível).

    E Chrisopher Nolan é o único diretor que eu assisti a todos os filmes. Hoje de manhã vi "Following", sua primeira obra. E neste filme existe um ladrão que entra na casas das pessoas para roubar objetos pessoais (e não apenas dinheiro), invandindo assim sua privacidade (ou seja, entrando na vida das pessoas, no que eles gostam, em suas "memórias" através de objetos como fotos, cartas, etc). E o nome deste ladrão é Cobb.

  • 8 de agosto de 2010 às 14:16 -

    Heliezer Soares

  • E quem quiser assistir ao "Following" ( o único que ainda não havia visto do Christopher Nolan), segue o link abaixo:

    http://cinemacultura.blogspot.com/search?q=Follow

  • 8 de agosto de 2010 às 22:10 -

    Paula

  • "Fantástico" é o melhor adjetivo pra esse filme. Aliás, todos se aplicam, é o filme do ano, sem dúvida. Filme da década? :D

  • 11 de agosto de 2010 às 16:05 -

    Edú_OK

  • Impecável o filme é uma nova definição de roteiro, atuações, efeitos.. enfim vale cada centavo de fato!

  • 16 de novembro de 2010 às 05:47 -

    edgar

  • ao contrario do colega ali de cima na minha sessão estava lotada ninguem saia só com os olhos grudados na tela! e no final todo mundo levanto e bateu palmas (coisa raríssima)

    eu adorei o filme ele e perfeito será um classico(já é)

    se não ganhar o oscar sacanagem a cena final e impressionante…

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *