Dragon Age 2 (PC, PS3, X360) Review: Um RPG mais simples e com mais ação

21 de março de 2011

Dragon Age 2 (PC, PS3, X360) Review: Um RPG mais simples e com mais ação

O primeiro Dragon Age surpreendeu os fãs de RPG com sua excelente execução e um sistema de batalha único. Quando a sequência do jogo foi anunciada pela Bioware, desde seu primeiro trailer ficamos com expectativas altas pois o jogo prometia muito. Entretanto, após ver alguns previews e hands-on mostrando que o sistema de batalha havia sido modificado, uma certa dúvida com relação à qualidade do jogo começou a surgir. Para a nossa sorte, as mudanças, em sua maioria, melhoraram o jogo, o que comprova mais uma vez a qualidade da Bioware em jogos de RPG.

O roteiro do jogo, como já é costume em jogos da Bioware, é impecável. A história é complexa e muito bem desenvolvida, Dragon Age 2 frequentemente deixa o jogador em dúvida, colocando decisões importantes no seu caminho que influenciarão o destino de seu herói.

Durante a customização do personagem você pode escolher a história de background ou abrir um save de Dragon Age: Origins. O personagem principal está muito mais carismático, ele participa mais ativamente da história e agora possui voz. Aliás, todos os personagens do jogo parecem muito mais humanos que no primeiro jogo, e carregam consigo muito mais personalidade e drama pessoal, o que afetará as interações entre personagens e também o gameplay.

O jogo possui um sistema aparentemente simples de classes, com o jogador escolhendo entre três principais classes: Mago, Guerreiro ou Assassino. Mas não se engane, se você achou pouco para um RPG, cada classe possui diversas árvores de especialização. O assassino (rogue) por exemplo, pode desenvolver habilidades com duas lâminas, arco e flecha e camuflagem, entre outras. A customização visual do personagem é possível, assim como no primeiro jogo, mas desta vez o personagem principal tem um rosto padrão para quem não fizer questão de criar seu herói.

O jogo inteiro foi simplificado de uma forma incrivelmente boa, e dá uma aula de como uma interface deve ser: suave, explicativa, visualmente agradável e ergonômica, com um polimento final digno de Steve Jobs. É fácil localizar o que você quer encontrar. O jogo conta também com um ótimo sistema de mapas e quests, mostrando as localizações de cada objetivo.

O sistema gráfico de Dragon Age 2 é onde acontecem os altos e baixos do jogo. Por rodar em cima da engine do primeiro Dragon Age, os gráficos são um pouco datados (na versão de PC, pelo menos), e isto é bastante perceptível em algumas texturas e modelos de personagens. Alguns efeitos, tal como cabelos e água não aproveitam ao máximo o suporte a Directx 11 que o jogo carrega.

Uma vantagem do jogo utilizar a engine antiga é para jogadores que querem desfrutar o jogo mas não possuem PCs com capacidade gráfica atualizada, pois ele roda liso sem necessitar de uma configuração poderosa. As cutscenes são um show à parte, todas muito bem desenhadas em um traço que lembra o desenho Samurai Jack. Os cenários são muito bonitos e a ambientação bem trabalhada, apesar de o mundo parecer pequeno. A aventura se passa primariamente em cidades e repete os cenários de algumas dungeons.

A principal mudança com relação primeiro jogo é o sistema de batalhas, que ficou muito mais rápida e intensa. Os golpes estão mais poderosos e há uma grande variedade de habilidades e magias ao jogador. O sistema de batalha de Dragon Age: Origins, mais orientado para estratégia, parecia ter sido feito para PC e adaptado para consoles. Já em Dragon Age 2 aconteceu o inverso, o sistema é mais orientado para ação, feito para consoles e sofrendo adaptação no PC. O sistema de batalha mais rápido e orientado à ação pode espantar um pouco jogadores de RPG mais puristas, mas acreditem, é um sistema inovador que deu muito certo!

O jogador ainda pode pausar a qualquer momento o jogo para dar ordens aos membros da party, entretando você não precisará fazê-lo com tanta frequência. O combate ficou mais dinâmico. Se em Dragon Age: Origins os combates lhe pareciam longos e intermináveis, em Dragon Age 2 eles são recheados de ação, e vão deixar você na beirada da cadeira. Cada classe possui golpes que vão matar (e despedaçar!) os inimigos de uma forma diferente. Os efeitos de sangue mancham o corpo dos personagens conforme eles cortam e destroem os inimigos, dando mais realismo às batalhas. O sistema de ataque nos consoles é o clássico button-smashing, enquanto no PC é clicar e atacar, estilo MMO.

Dragon Age 2 (PC, PS3, X360) Review: Um RPG mais simples e com mais ação

Como no primeiro Dragon Age, é necessário cuidar também dos outros membros do grupo, os personagens secundários, mas agora isto é feito de forma muito mais simples. O sistema de level-up automático dos personagens secundários da party é excelente para quem não quer se preocupar com a escolha de habilidades. É necessário, entretanto, criar estratégias para os membros da sua party. Este gerenciamento, apesar de avançado, é fácil de ser usado e possui modelos pré-definidos que podem lhe ajudar muito. É importante escolher bem a tática da sua party, e ao longo da jornada você aprenderá a não cometer erros tal como entrar em uma batalha longa sem um healer.

As escolhas e diálogos também ficaram mais simples. Agora o jogador tem tipos de respostas para as situações com ícones classificando-as, no mesmo estilo de Mass Effect, o que torna útil quando você não sabe exatamente que tipo de reação quer ter. Dependendo das suas interações com os personagens você pode ganhar ou perder pontos com eles ao estilo de The Sims. Estes pontos indicarão se eles estão mais para ser seus amigos ou rivais, e isto influenciará nas futuras interações com o jogador.

Como todo jogo da Bioware, o áudio é impecável. A música, o som ambiente e os efeitos são ótimos. Todas as falas são bem dubladas e o jogo possui muitos diálogos, logo, para entender bem a história é necessário entender inglês.

No PC o movimento de câmera é um pouco chato com o mouse. A câmera é livre e pode ser movimentada como em World of Warcraft, mas o jogador não pode afastá-la tanto quanto no primeiro Dragon Age, o que pode atrapalhar um pouco a visão durante as batalhas. O jogo possui um ótimo framerate e tempo de carregamento rápido até mesmo em computadores não muito poderosos, e não apresentou bugs aparentes na versão para PC como Dragon Age: Origins apresentou em seu lançamento. A versão de Xbox 360, entretanto, sofre de quedas de framerate durante as batalhas.

Com a ausência de um modo multiplayer, alguns podem achar o fator replay de Dragon Age 2 fraco e talvez seja improvável que você queira jogar de novo após terminá-lo. Entretanto suas mais de 40 horas de gameplay, divididas entre quest principal e secundárias, garantem uma longevidade razoável para o jogo, que ainda conta com vários achievements, unlockables, e DLCs.

Dragon Age 2 é tão bom quanto o primeiro, e desde já é um candidato a melhor RPG do ano. Mesmo se não jogá-lo agora, separe um dinheirinho aguarde uma promoção na Steam, você não vai se arrepender. Se você utiliza PS3 ou Xbox 360 e procura um RPG de qualidade, Dragon Age 2 com certeza será uma boa aquisição.

Este texto foi originalmente publicado na edição 21 da Revista Arkade.

31 Respostas para “Dragon Age 2 (PC, PS3, X360) Review: Um RPG mais simples e com mais ação”

  • 21 de março de 2011 às 17:59 -

    Felipe

  • Quando eu joguei o demo e vi que retiraram a camera de cima, essencial para um rpg bem jogado em PCs, ja cagaram o jogo inteiro.
    Claro q eh muitos aspectos está melhor que o primeiro, mas o fator estrategia e posicionamento foi altamente prejudicado.

    • 21 de março de 2011 às 19:06 -

      Raphael Cabrera

    • A camera superior não é essencial para um RPG de PC, na verdade inúmeros excelentes RPGS não possuem vista por cima, por exemplo: Oblivion, Might and Magic, World of Warcraft, Wizardry, Fallout..

      • 22 de março de 2011 às 01:40 -

        Felipe

      • O jogo eh bom sim. MAS tenta mirar um Fireball com um mage bem posicionado muito atras da linha dos inimigos e warriors do seu time com akela camera lixo, eh muito ruim. Que mantivesse a camera superior e akela estrategia que teve no DA1. Se vc pode pausar e pensar oq melhor fazer (considerando o modo Hard ou Nightmare, não o Normal que ate a minha avó consegue jogar) tem q ter essa posibilidade de ver o campo de batalha inteiro. Que mantivessem as 2 cameras para os mesmos fins do DA1. Tinha quem gostasse de andar com a camera atras (ala gears of war) ou la de cima mesmo.
        Da uma olhada nos comentarios dos uruarios e a nota q o DA2 recebeu no Metacritic (que eh um dos sites mais conceituados de critica a jogos), geral descrevendo o mesmo problema de camera, e varias outras coisas.

      • 22 de março de 2011 às 01:43 -

        Felipe

      • Nada que um patch não resolva é claro. Mas eles deveriam ter ouvido as criticas do jogadores do demo no PC que é necessario akela camera top view, alem da outra de ombro para combates para quem quiser.

      • 22 de março de 2011 às 01:46 -

        Raphael Cabrera

      • Pois é.. eu percebi que a camera dele atrapalha um pouco.. podia ter mais zoom out pelo menos.

    • 7 de maio de 2012 às 19:31 -

      Leonardo

    • Perfeito, concordo com o Amigo.

  • 21 de março de 2011 às 18:22 -

    Samuca

  • Vou estar com Dragon Age 2 semana que vem, entao so la poderei ter uma ideia melhor do jogo.

    Mas, pelo demo e fontes de informacoes coletadas pela internet a unica coisa que eu acho que deveriam mudar no jogo eh o genero… ele esta listado como RPG/adventure, pelo que eu vi eh exatamente ao contrario, eh um adventure/RPG… As mudancas de camera, complexidade das lutas, facilidade de matar os inimigos garantiram essa mudanca no genero.

    E nao adiantam vir dizer que apesar dessas mudancas Dragon Age 2 continuou sendo um RPG, eh a mesma coisa que o pessoal do restart falando que o rock colorido eh rock.. bleeeerrrgghhhhh

    • 21 de março de 2011 às 19:03 -

      Raphael Cabrera

    • A mudança de câmera altera a forma que você vê o jogo mas não influencia diretamente no gameplay. A complexidade e facilidade depende de você.. coloca no hard e habilita o friendly-fire.. daí vc me diz se tá facil. Dragon Age continua sendo um (excelente) RPG.. não acredite em tudo que a IGN te diz.

      • 21 de março de 2011 às 22:02 -

        samuca

      • Ola amigo gamer,

        Primeiro – acho que vc deveria ler o review da IGN e comparar o que ela disse e o que eu disse, vc vai reparar um pequena diferenca entre os dois textos,

        Segundo – quando eu disse pesquisei pela net, foi uma pesquisa em forum de jogadores de RPG inclusive o proprio forum oficial do Dragon Age 2, entra la e ve as discussoes sobre o jogo, inclusive a GRANDE discussao se Dragon Age 2 ‘e ou nao ‘e um RPG

        Terceiro – Discordo com vc em outro ponto, a camera nao muda apenas a visao, muda sim a maneira de jogar, se nao mudasse nao teria diferenca em jogos em 1 pessoa, 3 pessoa, vista de cima ou vista de plataforma.

      • 21 de março de 2011 às 22:05 -

        samuca

      • Quarto – Qual RPG que se preze manda ordas de inimigos que qualquer um mata apertando apenas um botao ? qual RPG se queira dar juz ao nome, faz vc conseguir acabar o jogo apenas com taticas pre-definidas, e esmagando um botao pro cara sair dando espadada? ‘E quase uma obrigacao de um jogo de RPG fazer com que vc controle todos os personagens da equipe, dando comando para cada acao que eles vao realizar

        Quinto – Pelo que eu li nos foruns da vida, vc nao pode nem equipar as armaduras dos outros membros da equipe, WTF??!!!!

        Sexto – Na minha opniao de tudo que eu li sobre o jogo ele nao pode ser considerado um RPG, pelo menos pelo o meu ponto de vista, mas isso nao quer dizer que o jogo seja ruim, mas eu o comprei pensando que o jogo ‘e um adventure, pq se fosse comprar com a cabeca de que era um RPG sei que acabaria desapontado.

        Setimo – Nos dois temos ideias diferentes de RPGs, ; )

      • 22 de março de 2011 às 00:30 -

        Raphael Cabrera

      • Os gamers precisam parar com essa mania de ter medo de inovação.. Dragon Age 2 mudou o sistema de combate, não mudou o gênero do jogo por causa disso. Não faz sentido uma discussão se “é ou não é um RPG”, pois ele traz todos elementos de um RPG: não-linearidade, evolução de levels, ítens, skill trees, quests, party, etc..
        Ao contrário do que dizem os puristas de DA1, vc não mata apertando um botão.. ele só mudou o modo RPG-estratégia do DA1 para RPG-ação, você trata o combate de uma forma mais direta, o jogador pode, por exemplo, usar uma habilidade do rogue para teletransportar atrás de um orc, impedindo que uma pedra que ele lançou te acerte.. eu ja vi gente fazendo isso até em RPG de mesa! Concordo com você, talvez tenhamos alguns conceitos diferentes de RPGs.. :]

      • 22 de março de 2011 às 00:38 -

        Raphael Cabrera

      • Isto na versão de PC, não sei se está igual nos consoles.. talvez esteja button smasher, assim como foi com Fable e até mesmo Dragon Age Origins. o sistema de combate de RPGs para consoles atuais é algo que poucos jogos conseguiram executar bem. (sinceramente eu sinto um pouco de falta do bom e velho turn-based)

      • 22 de março de 2011 às 14:16 -

        Samuca

      • Entao cara,

        Eh exatamente isso… Essa diferenca de estrategia para mais acao, que me deixa com a pulga atras da orelha… Um que mudou um pouco esse maneira foi o Tales Of Vesperia, as batalhas sao mais ativas, mas vc ainda precisa de estrategia para buffs, healing e etc, se nao ferro tudo… Eu considero um excelente RPGJ

        Eu vou jogar a versao para 360 )( chega segunda feira o DA2 ), a um tempo ja eu dividi a minha tecnologia.. PC para trabalho e 360 para diversao, tava cansado de ter que ficar comprando uma placa de video novo a cada 6meses.. rs

        E comcordo com vc com relacao aos jogos de turno, tb sinto uma puta saudades…

        Completamente Off-Topic mas tenho que compartilhar… acabei Dead Space 2 nessa madrugada, o jogo tesao da porra…

  • 21 de março de 2011 às 20:25 -

    Bruno

  • Dragon Age nunca me chamou a atençao, e olha que eu gosto de rpg >.<
    Mas pra quem gosta deve se um prato cheio!

  • 21 de março de 2011 às 21:33 -

    High Summoner

  • eu estou jogando e curtindo muito,sempre salvo antes de um evento para poder escolher todas as opções e ver os caminhos da historia que mais me agradam.
    ele está melhor que o primeiro no meu gosto de jogo,mais rapido,fluido e simplificado.
    vale cada centavo no @steam.

    esse ano vai ter muitos jogos boms pqp.

  • 21 de março de 2011 às 22:24 -

    rasec

  • olha deve te muita diferença do de console para pc pq eu tenho ele de pc e mapa é uma merda para achar coisas do tipo compra etc e poucas magias n tem muita n mais achei bacana ate mais podia melhora fora q até agora n achei armas novas e armaduras fazendo eu morrer muito em batalha mais o jogo é bom até pelo menos de inicio , pra mim o melhor jogo rpg de todos é mass effect 2 :P

    • 21 de março de 2011 às 22:27 -

      rasec

    • até achei armas e armaduras mais só para niveis bem superiores

      • 21 de março de 2011 às 22:44 -

        eduardito

      • concordo absolutamente uma pena meu pc roda tudo hasuashuashasu

  • 21 de março de 2011 às 23:46 -

    beduschi

  • ainda nao joguei o primeiro os dois sao bns jogos?

    • 22 de março de 2011 às 00:28 -

      Erick

    • Os dois são ótimos. Vale a pena começar a jogar pelo primeiro pra entender toda a história.

      • 22 de março de 2011 às 12:40 -

        beduschi

      • sempre tive vontade de joga,quero ve se jogo :D,vlw

  • 22 de março de 2011 às 12:58 -

    Rapha.

  • Particularmente, “estava” gostando muito de DA2. Muitos não se indentificaram, mas gostei muito do roteiro e dos personagens. Estou jogando a versão do PC e um dos seus pontos positivos é que eu o acho bem mais dinâmico do que o primeiro. Mas DA2 não é um jogo perfeito. Realmente é graficamente datado, no caso do PC, quando utilizado o DX11 o desempenho é péssimo mesmo com uma máquina high-end. Tive que baixar o Patch de HiRes. E o pior são os Bugs, me deparei com um bem complicado, daqueles que faz a gente se perguntar como a Bioware lança oficialmente um jogo sem reparar nisso? Procurem por: “Slow Hawke Bug”. Não vou detalhar porque existem alguns spoilers, mas é isso.

  • 22 de março de 2011 às 17:53 -

    Sergio

  • Eu achei muito pior que o 1o. Os personagens são fracos (tudo muito estereotipado, não tem nenhum que chegue perto do que era a Morrigan – aliás, o personagem principal tem uma história muito fraca, quem se importa quando o irmão morre no início?), tem quests bizarras que são completadas sem sentido (achar um pedaço de pano jogado numa dungeon e magicamente saber pra quem entregar), combate mais button smashing que qualquer outra coisa, sem contar a luta final que dói de tão fácil (ao contrário da casca grossa no fim do 2o ato).

    Dragon Age 2 pisou na bola muito feio em relação ao primeiro, mas como a comparação é com um RPG muito bom, dá pra dizer que DA2 é um RPG legal.

    • 22 de março de 2011 às 19:27 -

      High Summoner

    • foi minha irmã que morreu o irmao esta vivo e viro paladino FFFUUU

  • 29 de março de 2011 às 04:11 -

    Madeira

  • Acabei de zerar DA2..
    Achei um BOM jogo de RPG sim, indico pra qualquer um jogar.
    No entanto em comparação com o DA1.. PIFF.. não dá pra comparar.. Vamos tentar..

    Pra começar a história do DA1 era muito mais envolvente!
    Fugir.. Conquistar aliados.. se fortalecer e acabar sendo aclamado! Enquanto que no DA2 pra mim soou como um mercenário e ponto. Sem profundidade.

    Mapa: Os Mapas do DA1 eram primorosos e variados, cada qual com sua particularidade! Voce rodava o mundo todo e era dificil perceber mapas iguais.

    DA2? Eu fiquei profundamente irritado de ir nos MESMOS LUGARES SEMPRE. Era exatamente TUDO igual TODA HORA.
    A mesma caverna, trocando o “boss”, se é que pode ser chamado de boss aquelas coisas mixurucas que tinha pra enfrentar no fim. (..)

    • 29 de março de 2011 às 04:18 -

      Madeira

    • As casas na cidade, todas com o mesmo mapa, mudando as portas que podiam ser abertas, a MESMA TEXTURA em todas.
      Quem repara nessas coisas certamente sabe do que eu estou dizendo.

      Habilidade: Da1 parece que foi pensado 10 anos só pra parte de habilidades de cada classe. Magias nos Magos muito bem distribuidas, as Habilidades dos Guerreiros de linha de frente (os tanques) TUDO.

      No DA2 simplesmente pegaram tudo que foi feito, jogaram metade fora, colocaram 2 ou 3 coisinhas novas e pronto.

      Achei os “mercados” meio confusos, assim como as armas.
      E o pior foi nao poder ajustar os equipamentos dos membros da party.. ¬¬” (PRA QUE ISSO? No Da1 dava pra deixar a galera pelaaada se eu quisesse ¬¬”)

      Pra não falar que nao observei nenhuma qualidade.. kkk
      Gostei MUITO de os personagens terem (..)

  • 29 de março de 2011 às 04:25 -

    Madeira

  • (..)combinações de golpes com ataques normais (principalmente os magos). Ficou muito melhor nesse aspecto.
    Os desenhos que passam enquanto a historia é contada são bem feitos, mas esse estilo nao me agrada muito, mas mesmo assim, achei bacana.

    E o Som continua impecável XD. Mas é só isso.

    É um ótimo jogo, mas infelizmente não superou as expectativas impostas pelo nível do primeiro.

    PS. Desculpa pela BULA que escrevi! kk

    E, repito, é a minha opnião XD
    deixem a de vcs =D

    abraços!

  • 7 de maio de 2011 às 00:24 -

    Ataides

  • Jogo exelente, gráfico ótimo, jogabilidade intuitiva, camera muito boa e realista, otimo enredo (aliás a série Dragon Age tem enredo), tão bom quanto o DA Origins, efeitos muito bons.
    Ressalto que não é um jogo de comandar exércitos com um avião ou helicóptero então para que serve a vista de cima? Se alguém disser que é ruim por que não é fácil de jogar então jogue jogos de tabuleiro e a vista melhora.
    Esse jogo não foi feito para ser igual aos outros… se quiser um igual a outro já jogado apenas crie outro profile e jogue ele denovo e nem compre Dragon Age II.
    Jogo por diversão pois detesto NOVELAS REPETITIVAS.
    vALEU!!

  • 15 de julho de 2011 às 22:42 -

    otvio

  • como ponho de 2

    • 28 de novembro de 2011 às 11:25 -

      lucas

    • põe o console no cú retardado!!!!!!!!! q ai habilita o jogo de 2!!! burro!!!!

  • 28 de novembro de 2011 às 11:24 -

    lucas

  • vão estudar seus merdas ficam ai descutindo sobre jogos e o brasil continua nessa merda pq a juventude brasileira só pensa em jogos, baladas e drogas!!!!! vcs deveriam cuidar mais dos estudos pq os caras que criaram o jogo concerteza estudaram muito para isso!!! dai vcs podem criar um jogo conforme vcs gostam e param de criticar os jogos criados por programadores profissionais!!!! resumindo todos somos inuteis!!! mas vcs são mais!!!!

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *