F1 2018: Como ajustar o seu carro para o GP do Bahrein, vencido por Hamilton

31 de março de 2019
Autor: Junior Candido

F1 2018: Como ajustar o seu carro para o GP do Bahrein, vencido por Hamilton

O GP do Bahrein é um dos Grandes Prêmios tradicionais da Fórmula 1. Entretanto, é um circuito considerado jovem no calendário. Construído em 2002, e parte do circo da F1 apenas a partir de 2004, Sakhir tem como o seu maior vencedor Sebastian Vettel. O piloto alemão ganhou duas vezes com a Red Bull Racing, e outras duas com a Ferrari.

O circuito é uma boa pedida pra quem gosta de pisar fundo. São duas retas enormes, mais várias partes que podem ser feitas com o pé no acelerador. E também é uma das pistas mais seguras da Fórmula 1, com suas largas áreas de escape. Permitindo assim, em alguns setores, que um piloto erre, e se recupere. Voltando para o circuito sem acertar pneus ou muros.

No F1 2018, obviamente, Mercedes e Ferraris são os carros ideais para conquistar bons tempos. Com uma ligeira vantagem pelo carro vermelho, conhecido como ideal para iniciantes no jogo. Mas, como definir o carro para aproveitar o máximo possível de Sakhir no game? Vem com a gente conferir o melhor ajuste possível para o GP do Bahrein.

Nós conseguimos 1:30.066 no circuito. E você, quanto tempo consegue fazer? Não se esqueça de compartilhar seus tempos com a gente. E, claro, de mostrar a sua configuração, se tiver. Independente de você jogar F1 2018 de forma casual, ou mais dedicada, venha conversar com a gente sobre a melhor forma de deixar o carro tinindo, na sua opinião.

Ajustando seu carro

F1 2018: Volta rápida no Bahrein

Estamos no fim de semana do GP do Bahrein na F1. Então resolvemos dar uma volta no circuito com o F1 Games from Codemasters. Você, que joga casual, ou é mais dedicado: qual é o seu tempo? Compartilhe com a gente!

Posted by Arkade on Saturday, March 30, 2019

Como uma pista com boas retas, mas com curvas complicadas, especialmente a primeira e a quarta, temos que equilibrar o carro, mesmo perdendo um pouco nas retas. Assim, a asa dianteira pode ficar no padrão, e a traseira ganha uma mínima alteração.

Já a transmissão, foi preciso deixá-la no ponto para recuperar a velocidade rapidamente nas retas. As curvas fechadas exigem uma diminuição imensa de marchas, mas a retomada precisa ser rápida. A suspensão tem uma traseira mais leve, para ajudar a manter a tração, e retomar a direção após as pesadas curvas.

Os freios em Sakhir não exigem muitas adaptações, precisando apenas de atenção na hora das curvas mais acentuadas. Já que, tirando curvas específicas, guiar no circuito exige mais atenção do que freios mais duros. Os pneus também podem perder um pouco de pressão, para durarem mais. E por fim, colocamos mais peso na parte traseira, para ajudar na tração e na recuperação do traçado após as curvas.

Veja a volta que garantiu a pole para Charles Leclerc, para entender melhor o circuito.

Assim, a configuração do carro ficou desta forma:

  • Asa dianteira: 6
  • Asa traseira: 7
  • Diferencial aceleração ativa: 65%
  • Diferencial aceleração inativa: 100%
  • Cambagem dianteira: -2.80
  • Cambagem traseira: -1.30
  • Toe dianteiro: 0.08
  • Toe traseiro: 0.29
  • Suspensão dianteira: 5
  • Suspensão traseira: 3
  • Barra estabilizadora dianteira: 9
  • Barra estabilizadora traseira: 7
  • Altura frontal: 4
  • Altura traseira: 4
  • Pressão do freio: 85%
  • Balanceamento dos freios dianteiros: 56%
  • Pressão nos pneus dianteiros: 23.8 psi
  • Pressão nos pneus traseiros: 21.1 psi
  • Lastro: 7

GP do Bahrein de 2019 tem azar de Leclerc e vitória de Hamilton

F1 2018: Como ajustar o seu carro para o GP do Bahrein, vencido por Hamilton

Imagem: Getty Images

No “mundo real”, após uma impressionante pole de Charles Leclerc, a jovem promessa da F1 que assumiu a Ferrari com apenas 21 anos, fazia uma boa corrida, porém problemas com o seu carro fizeram com que seu desempenho caísse, cedendo a vitória para Lewis Hamilton, e o segundo lugar para Valtteri Bottas. Seu terceiro lugar foi um prêmio de consolação, somada ao ponto extra pela volta mais rápida.

Vettel, que também teve problemas durante a corrida, terminou em quinto. Em um final de semana ruim para a Ferrari, que viu sua rival Mercedes fazer nova dobradinha, e ampliar a vantagem no mundial de construtores. O fim de semana também foi terrível para a Renault, que, perto do fim da prova, perdeu seus dois carros, por problemas mecânicos, de uma só vez. E acabaram, assim, ajudando Leclerc, pois garantiram o fim da prova em bandeira amarela.

Duas coisas boas a se observar na corrida: A McLaren, que esboçou reação e terminou a prova com Lando Norris em sexto; e Kimi Raikonnen, que, mesmo a bordo de uma Alfa Romeo, mostrou que é um grande piloto e terminou em sétimo. Além da Renault, a prova teve como decepção Pierre Gasly, que ainda não conseguiu se firmar em sua Red Bull, e a Haas, com Magunssen em décimo terceiro, e Grosjean fora.

Após a corrida de hoje, Bottas segue em primeiro com 44 pontos, Hamilton é o segundo com 43, e Verstappen é o terceiro, com 27. Leclerc (26), Vettel (22) e Raikkonen (10) fecham o “Top 6”. A próxima corrida será no dia 14 de abril, no GP da China. Esta corrida marcada o GP de número 1000 da Fórmula 1.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *