F1 2019 – Chegou a hora do GP Brasil. Configure seu carro em Interlagos, em corrida vencida por Verstappen

17 de novembro de 2019
Autor: Junior Candido
F1 2019 - Chegou a hora do GP Brasil. Configure seu carro em Interlagos, em corrida vencida por Verstappen

Interlagos é lendária. O autódromo, que completará 80 anos em 2020, é palco da F1 desde 1972, com a primeira corrida valendo pontos em 1973. Em 75, viu José Carlos Pace (que hoje dá seu nome ao autódromo) vencer, com Emerson Fittipaldi em segundo, fazendo a primeira dobradinha brasileira da história da categoria. Ficou alguns anos fora do calendário, com as corridas brasileiras acontecendo no Rio de Janeiro.

Mas voltou, em 1990. E desde então foi palco de momentos memoráveis. Em 1991, a vitória épica de Senna com problemas de câmbio. Em 1993, a vitória definitiva do mesmo Senna, com direito a invasão de pista e um momento inesquecível para a história da Fórmula 1. E além disso, o autódromo, desde que começou a sediar as últimas corridas da F1, também já foi palco de decisões.

F1 2019 - Chegou a hora do GP Brasil. Configure seu carro em Interlagos, em corrida vencida por Verstappen
José Carlos Pace fez história, vencendo o GP Brasil de 1975. E também foi a primeira dobradinha brasileira na Fórmula 1

Alonso foi bicampeão no Brasil, em 2005 e 2006. Em 2007, Alonso, Raikonnen e o então novato Hamilton decidiram uma rara “final” com três pilotos disputando o título. Raikonnen, pela Ferrari, levou. Button foi campeão em 2009, com a lendária Brown. Vettel foi tricampeão em uma corrida dramática em 2012. Mas foi em 2008 que a pista viveu o seu momento mais épico.

Felipe Massa precisava vencer a todo custo, e Hamilton deveria chegar de sexto para trás, para o brasileiro ser campeão mundial. Mas, na última curva, da última volta, da última corrida do ano, o piloto inglês, então na McLaren, passou Timo Glock, e chegou em quinto. Levando o seu primeiro mundial.

F1 2019 - Chegou a hora do GP Brasil. Configure seu carro em Interlagos, em corrida vencida por Verstappen
O título de 2008 foi decidido na última curva, na última volta, da última corrida do ano

Interlagos exige muito do piloto. Considerada uma “pista raiz”, o circuito tem subidas, descidas, e locais conhecidos, como o S do Senna, que exige cuidado por ser em descida, e o trecho que vai da Ferradura à Junção, que, com seu traçado, faz do circuito um dos poucos que ainda, nos dias atuais, exigem muito do piloto, independente de seu carro.

Por ser uma pista “selvagem”, é necessário uma configuração que faça seu carro responder bem nas difíceis curvas do circuito, aproveitando, se possível, as duas boas retas que a pista oferece. Assim, a configuração sugerida é esta:

  • Asa dianteira: 6
  • Asa traseira: 5
  • Diferencial aceleração ativa: 85%
  • Diferencial aceleração inativa: 70%
  • Cambagem dianteira: -2.80
  • Cambagem traseira: -1.00
  • Toe dianteiro: 0.10
  • Toe traseiro: 0.29
  • Suspensão dianteira: 4
  • Suspensão traseira: 2
  • Barra estabilizadora dianteira: 9
  • Barra estabilizadora traseira: 9
  • Altura frontal: 5
  • Altura traseira: 5
  • Pressão do freio: 85%
  • Balanceamento dos freios dianteiros: 58%
  • Pressão nos pneus dianteiros: 23.0 psi
  • Pressão nos pneus traseiros: 21.1 psi

Para mostrar a volta, fui com a lendária McLaren MP4/6 de 1991 que Senna venceu o GP Brasil daquele ano. Veja só o traçado, com o nostálgico ronco daquele motor V12 da Honda:

Em corrida cheia de ultrapassagens, Verstappen vence Ferraris se estranham, e Gasly faz segundo lugar épico

F1 2019 - Chegou a hora do GP Brasil. Configure seu carro em Interlagos, em corrida vencida por Verstappen

Com o campeonato definido e Hamilton campeão, as disputas são outras. A McLaren queria definir o seu quarto lugar no mundial de construtores, e Leclerc disputava com Verstappen o terceiro lugar no mundial de pilotos. O piloto monegasco largou bem, após sua classificação ruim, ganhando quatro posições logo na primeira volta. tudo foi tranquilo até a volta 9, com um acidente leve entre Magnussen e Ricciardo, com o piloto da Renault indo trocar o bico do carro.

Hamilton parou na volta 20, já focado em fazer duas paradas, pensando em ganhar a prova nos boxes. Verstappen parou na volta seguinte para seguir a estratégia, mas foi atrapalhado por Kubica na saída dos boxes, saindo atrás do piloto inglês. Na volta seguinte, o piloto holandês, na entrada do S do Senna, passou Hamilton, em uma excelente manobra. E em mais uma volta, foi a hora do troco: Hamilton tomou a posição no mesmo lugar.

Verstappen voltou a tomar a posição e retomou a liderança após a parada de Bottas. Naquela altura, na volta 27, a corrida já registrava 38 ultrapassagens. Mais pra frente, na volta 42 e 43, Hamilton e Verstappen voltaram aos boxes, dando a ponta para Vettel. Outra briga boa aconteceu na volta 45. Bottas e Leclerc disputaram a quinta posição, com o piloto da Ferrari defendendo por sete voltas a sua posição. Até a volta 52, quando fumaça foi vista no carro de Bottas. O piloto da Mercedes precisou abandonar, por problemas com o motor.

Vettel não aguentou correr com os pneus médios até o fim, e trocou os pneus na volta 50, dando a ponta, mais uma vez, para Verstappen. E, com o abandono de Bottas, que gerou bandeira amarela, o holandês trocou os pneus novamente, para que ele pudesse correr no máximo no fim da prova. E, faltando voltas para o fim, a corrida retornou com Hamilton na ponta, e Verstappen mais Vettel na cola.

Na relargada, Verstappen fez uma ultrapassagem incrível pra cima de Hamilton, no S do Senna, enquanto Albon passou Vettel. O piloto tailandês, que já faria história sendo o primeiro piloto de seu país a subir em um pódio na F1, sentiu que podia mais, defendeu sua posição da pressão de Vettel.

Leclerc foi pra cima de Vettel, que em um combate entre os dois, pela quarta posição, se tocaram e ambos saíram da prova. Leclerc quebrou a parte da roda, enquanto Vettel furou o pneu. Com os dois pilotos extremamente bravos com a situação, nova entrada do Safety Car.

A duas volta do fim, nova relargada, com Verstappen na ponta, Albon em segundo, e surpreendentemente, Gasly, na Toro Rosso, em terceiro. Hamilton pegou a terceira posição logo na relargada, e Albon acabou rodando na briga ao tentar retomar a posição, perdendo a chance de seu primeiro pódio na F1, que seria também o primeiro pódio de um piloto tailandês.

Verstappen venceu, mas o grande momento veio com uma Toro Rosso. Gasly defendeu o segundo lugar com pôde e conquistou um segundo lugar heróico. Chegou em segundo por meio carro de diferença pra Hamilton, que chegou em terceiro. A disputa entre Hamilton e Albon foi investigada.

Carlos Sainz também fez uma ótima corrida, saindo de último, e chegando em quarto. E ainda herdou a terceira posição, após o incidente de Hamilton, que foi punido, e perdeu cinco segundos de seu tempo final na corrida. Com Lando Norris em oitavo, a McLaren praticamente carimbou o “título” simbólico de “melhor do resto”. Verstappen, com a vitória, retoma a terceira posição do mundial de pilotos, tendo vantagem sobre os dois pilotos da Ferrari na última corrida. As duas Alfa Romeo, com Raikonnen em quinto, e Giovanazzi em sexto, também fizeram ótima corrida.

A Fórmula 1 volta para a sua última corrida de 2019 no dia 1 de dezembro, no GP dos Emirados Árabes, em Yas Marina.

Uma resposta para “F1 2019 – Chegou a hora do GP Brasil. Configure seu carro em Interlagos, em corrida vencida por Verstappen”

  • 18 de novembro de 2019 às 23:35 -

    Helinux

  • A corrida foi boa…talvez a melhor do ano em termos de emoções!!!! Bons tempos de Ayrton Senna do Brasil!!!!
    Gostei muito da corrida e o pódio foi legal por sair um pouco da mesmice de sempre…Hamilton ganhando!!!! valeu galera gamer!!!!

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *