F1 2020 – Como mandar bem na “bota” de Monza

6 de setembro de 2020
Autor: Junior Candido
F1 2020 - Como mandar bem na "bota" de Monza

Pista que mais viu GPs da Fórmula 1, Monza é uma daquelas pistas que são “sinônimo” da categoria. A “bota” exige dos pilotos muita concentração, por ser uma das pistas que mais pede pé fundo. Vale lembrar que a pista tem até um oval, não mais usado, que soma ainda mais ao espírito de “alta velocidade”.

Monza também representa uma paixão. O italiano ama velocidade. E tem na Ferrari, seja nos dias bons ou ruins, uma literal “febre”. A Tifosi, como são chamados os torcedores fanáticos da Scuderia, tem em sua origem a palavra “febre”.

Sendo a pista mais veloz da Europa, no videogame o jogador precisa aprender a “domar” o seu possante na velocidade máxima. Como a pista é plana e com retas longas, é última marcha e pé fundo, com exceção das chicanes, que ali estão exatamente para a segurança de todos. Talvez o grande desafio aqui seja a “prima variante”, a chicane que finaliza a longa reta final, e que exige uma freada perfeita, para não passar reto, e nem perder velocidade a mais.

F1 2020 - Como mandar bem na "bota" de Monza

A partir da “curve di lesmo”, a pista fica um pouco mais técnica, até a famosa “parabólica”, curva que leva à reta final, feita em alta velocidade, sendo o mais próximo de uma oval de Indy que a Fórmula 1 tem hoje (lembrando que não houve corrida na Holanda neste ano).

Assim, a recomendação é fazer um setup que valorize mais a velocidade do que o controle. Lembrando que é preciso tomar os devidos cuidados na hora de frear, ok? A configuração recomendada é esta:

  • Asa dianteira: 4
  • Asa traseira: 9
  • Diferencial aceleração ativa: 65%
  • Diferencial aceleração inativa: 100%
  • Cambagem dianteira: -2.50
  • Cambagem traseira: -1.00
  • Toe dianteiro: 0.05
  • Toe traseiro: 0.20
  • Suspensão dianteira: 4
  • Suspensão traseira: 4
  • Barra estabilizadora dianteira: 9
  • Barra estabilizadora traseira: 6
  • Altura frontal: 4
  • Altura traseira: 4
  • Pressão do freio: 83%
  • Balanceamento dos freios dianteiros: 55%
  • Pressão nos pneus dianteiros: 23.4 psi
  • Pressão nos pneus traseiros: 21.1 psi

Aproveite e confira a volta rápida que fiz, a bordo de uma Ferrari, no F1 2020. O volante, como já mostrado em outras corridas, é o Logitech G29.

Gasly faz história vencendo sua primeira corrida de forma épica

F1 2020 - Como mandar bem na "bota" de Monza

A prova começou bem interessante. Culpa de Bottas, que largou mal, e deu a chance para Norris saltar de quarto para terceiro. E tudo indicava que hoje não seria “mais uma” daquelas corridas que Hamilton some na frente e vence. Mas não, hoje o dia estava reservado para situações bem diferentes. A “passada reta” de Vettel na volta 7, na prima variante, por problema de freios, seria apenas um “prenúncio” do que estava por vir. O alemão abandonaria na volta seguinte.

Na volta 20, foi a vez de Magnussen abandonar, e levar o Safety Car para pista, por ter parado o carro em local considerado perigoso. E, na volta 24, foi a vez de Leclerc perder o controle do carro, e mandar sua Ferrari direto na proteção de pneus. Apesar da batida forte, os recursos de segurança protegeram o piloto, que saiu ileso. Mas, levantou a bandeira vermelha, para que a proteção pudesse ser consertada.

F1 2020 - Como mandar bem na "bota" de Monza

Na parada dos pilotos, nova confusão. Desta vez, foi com Lewis Hamilton, que foi “condenado” a pagar 10 segundos por ter entrado nos boxes antes da janela de parada. O piloto chegou a ir na sala de controle questionar, mas a punição seguiu. A situação foi tão inusitada, que a relargada aconteceu com Hamilton em primeiro, mas devendo os dez segundos, Stroll em segundo e Gasly em terceiro, acompanhados por duas Alfa Romeo, as duas McLaren e até a Williams de Latifi em nono, na zona de pontos.

Na relargada, mais caos. Stroll errou feio e Hamilton fez a sua parada de punição. Isso colocou Pierre Gasly na liderança, com duas Alfa Romeo na liderança. Enquanto isso, no fim da fila, a “impressionante” disputa de Hamilton e Verstappen (que abandonaria em seguida) contra as Williams pelas últimas posições. Sainz começou a acreditar na prova e na improvável vitória, passando Raikkonen na volta 34.

E, quem diria, Pierre Gasly venceu a prova! O piloto da Alpha Tauri, que passou por altos e baixos na Fórmula 1, conseguiu se manter na frente e defender a primeira posição contra Carlos Sainz, que também fez uma excelente corrida com sua McLaren. O espanhol tentou, mas mostrou um pouco de prudência em não arriscar tudo. Stroll em terceiro, fechou o inesperado pódio.

No fim, tocou o hino italiano, afinal. Se não foi para a Ferrari, foi para a Alpha Tauri. A equipe, espécie de satélite da Red Bull, tem suas origens na italiana Minardi. Que foi vendida e mudou de nome, mas não deixou o país.

Semana que vem a Fórmula 1 volta, em Mugello, ainda na Itália. Será a corrida mil da Ferrari. A pista não está disponível no F1 2020, afinal foi adicionada posteriormente, devido à mudança do calendário ocasionada pela pandemia do coronavírus.

Uma resposta para “F1 2020 – Como mandar bem na “bota” de Monza”

  • 6 de setembro de 2020 às 12:50 -

    Helinux

  • O bom é que saiu da ¨mesmice¨!!!! Show de velocidade e marcando o fim e o recomeço da Williams no futuro!!!! valeu!!!!

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *