Melhores do Ano: Shenmue III

28 de dezembro de 2019
Autor: Junior Candido
Melhores do Ano: Shenmue III

Dezoito anos. Apenas os fãs de Star Wars entendem o que é esperar por tanto tempo uma sequência. Mas quem jogou os dois games Shenmue no Dreamcast (e depois no Xbox original, e recentemente, na remasterização para Playstation 4, Xbox One e PC), ficou com ainda mais expectativas. Pois, se a saga de George Lucas encerrou uma trilogia para expandir o universo em uma nova, pelos lados da história de Ryo Hazuki, tudo estava sem conclusão, a história havia parado na metade.

O game, que foi projetado para ter várias sequências, ainda no final dos anos 90, “emperrou” por causa da desistência da Sega do mercado de consoles, e pelo prejuízo que a série causou à empresa, uma vez que milhões de dólares foram gastos para trazer o conceito que é característico do jogo. Como todos sabemos, Yu Suzuki, o criador do game, fez campanha no Kickstarter, arrecadou dinheiro suficiente para fazer o terceiro game e aqui está ele, ainda bom o bastante para figurar em nossa lista de Melhores do Ano.

Shenmue III chama a atenção por duas coisas bem peculiares: a primeira, é por mostrar a perseverança de Suzuki — hoje fora da Sega — em continuar sua saga. E a segunda, a mais curiosa, é pelo fato do game parecer um “game de Dreamcast em HD”. A direção do jogo não mudou praticamente nada do gameplay. Até o sistema “datado” de diálogos está ali. É um jogo de 2019 que “ignora” toda a evolução que houve de 2001 para cá, a fim de se manter fiel ao que a série apresentou em seus primórdios.

Melhores do Ano: Shenmue III

A impressão que temos, ao jogar Shenmue III, é a de que estamos jogando um game antigo, mas com filtros em alta definição. Ou de que estamos jogando aqueles remakes feitos por fãs na Unreal Engine. Mas, isso não é nenhuma crítica, é só algo curioso, de um game que segue trazendo “a mesma coisa” para os fãs. E, como foi feito com foco nestes jogadores — que aguardavam há tanto tempo uma sequência e ajudaram a custeá-la –, é compreensível este apelo nostálgico que, no fim as contas, agradou os fãs.

Sim, confesso: Shenmue III me decepcionou em alguns pontos, como esta “não-evolução” de gameplay, e especialmente pelo final horroroso (tanto no gameplay, quanto na história). Mas, eu gostei de, novamente, explorar os locais do game, conversar com as pessoas, perguntar pela rua onde fica o lugar que deveria ir e, principalmente, de lutar.

Melhores do Ano: Shenmue III

Shenmue III trouxe um foco maior nas lutas, com dojos, locais de treino e luta, que evoluem o personagem. É legal evoluir seu kung-fu, mesmo com os poucos três mini-games de treinos disponíveis. Por fim, apesar de esperar um game que poderia evoluir a franquia de maneira semelhante ao que fez Yakuza, acabei me contentando com este jogo, que é datado, mas claramente foi feito para os fãs da série.

Leia aqui nossa análise de Shenmue III. Agora, só nos resta aguardar por Shenmue IV. Capricha, Suzuki!

Uma resposta para “Melhores do Ano: Shenmue III”

  • 28 de dezembro de 2019 às 16:45 -

    Ryo Di

  • Enfim!

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *