Veja quais são os jogos móveis mais visados por hackers e saiba como se proteger

12 de outubro de 2016
Autor: Junior Candido

Veja quais são os jogos móveis mais visados por hackers e saiba como se proteger

Não adianta. Por mais que você tome os cuidados, os hackers sempre irão buscar meios de invadir programas e games. Seja pelo simples prazer da invasão, mostrando as falhas de segurança, ou com intenções maldosas, como a de coleta de dados e até de informações financeiras, a verdade é que sempre são necessários cuidados ao viver neste mundo digital.

Um “top 10” foi levantado pela empresa de segurança PSafe, e mostra os games móveis mais visados pelos hackers. Os games apresentados não são problemáticos e suas respectivas empresas sempre oferecem atualizações para melhorar a segurança e evitar problemas, mas por estarem na lista dos mais baixados, sempre são alvo de ataques, que se tornam mais fáceis com o usual descuido ao usar um smartphone, computador ou tablet. Também é importante lembrar que muitos dos problemas são causados por downloads em fontes não oficiais.

Marvel Champions: O jogo sofreu mais de 218 mil tentativas de invasão, e a maioria delas funciona como um sequestro: os dados do usuário são capturados e o aparelho bloqueado, só sendo liberado após um depósito para o criminoso.

Minecraft: Por se tratar de um game pago, muitos jogadores, especialmente crianças e adolescentes, acabam procurando Internet afora métodos gratuitos para baixar o game. Sabendo disso, os hackers colocam apps gratuitos que imitam o gam oficial para acessar os dados do dono do aparelho. Lembre-se que muitas crianças jogam em aparelhos de seus pais, ou com dados de seus pais, logo, dados bancários podem ficar disponíveis para transações indevidas.

Asphalt 7: A série de corrida da Gameloft já está em sua oitava edição, mas o sétimo game ainda é baixado e jogado por muita gente. E assim como o Minecraft, se trata de um app pago, que acaba sendo baixado de forma gratuita em fontes não oficiais. E com isso, o game sofreu mais de 144 mil tentativas de ataque, induzindo o usuário a se inscrever em programas pagos de SMS.

Need for Speed: Shift: Mais um game pago que vai parar no submundo dos downloads ilegais e que foi alvo de 99 mil tentativas de invasão. As ameaças são semelhantes ao do Asphalt 7: indução a participação de programas pagos de SMS, e ainda por cima, espalha este conteúdo infectado pelo Whatsapp.

Plants Vs Zombies: 82 mil vezes foi o número de invasão do game, também focando o usuário a participar de programas pagos de SMS.

Tetris: 78 mil tentativas de invasão, focados nos programas pagos de SMS e disseminação pelo Whatsapp. 

Pokemon Go Guide: Baixado por acidente, ao confundir o app com o game da Niantic, ou mesmo com consciência de que se trata de um guia para aproveitar melhor o game, o fato é que sua popularidade que pega carona no jogo oficial fez dele alvo de 62 mil tentativas de ataque, que dão ao hacker controle remoto do aparelho. 

My Talking Tom: Nem o gato que fala esquisito fugiu dos ataques. Ao todo, 64 mil tentativas de invasão atingiram o game.

My Talking Angela: E se não respeitam nem o gatinho dos smartphones, o mesmo vale para a fêmea, que sofreu 59 mil tentativas de invasão. 

Head Soccer: E fechando a lista, temos o jogo de futebol Head Soccer, com 56 mil tentativas de infecção. Neste caso, anúncios indevidos aparecem na tela do smartphone.

Quem avisa amigo é… proteja seu smartphone

Veja quais são os jogos móveis mais visados por hackers e saiba como se proteger

Não é a primeira vez que tocamos no assunto segurança digital. No lançamento de Pokémon GO, tivemos a participação de Jorge Lordello, o Doutor Segurança, que nos ofereceu dicas importantes para o jogo em si e para o uso seguro do smartphone, da segurança de dados até do próprio aparelho na rua.

Para os downloads de aplicativos, e isso vale não só para o smartphone, mas para qualquer outro dispositivo, é importante antes de tudo verificar a reputação do aplicativo, observando se o mesmo conta com suporte, site oficial e outros meios que o tornam legítimo. E mesmo assim, o correto é baixar os games apenas de fontes confiáveis, como as lojas oficiais dos smartphones, como o Google Play ou a App Store. Os jogos móveis em sua maioria não são muito caros e promoções que os dão de graça ou os oferecem a preços muito baixos estão sempre acontecendo, além de facilidades nos pagamentos, como o uso de cartões pré-pagos, ou programas de recompensa que dão créditos, como o Opinion Rewards.

Outra coisa, que ninguém faz, mas deveria ser feito, é ler as permissões dos aplicativos, disponíveis em suas páginas de download. O próprio Pokémon GO foi alvo de polêmica em seu lançamento, já que o app poderia ter acesso a o GMail do usuário, caso o mesmo autorizasse o acesso completo.

O Root, que libera o Android para inúmeras funções a mais do que seu formato original, também deve ser realizado com extremo cuidado, já que o aparelho fica ainda mais vulnerável, assim como mantê-lo atualizado, apesar de chato para alguns, também vale a pena. Manter o bluetooth desligado quando não estiver em uso e instalar o anti-vírus também pode ajudar muito, mas vale o mesmo conselho já oferecido: pesquise bem antes de sair colocando qualquer “anti-vírus milagroso” que aparece por aí.

Sim, muitos destes procedimentos soam bem chatos, semelhante ao fato de muita gente odiar dirigir com o cinto de segurança, mas no mundo em que vivemos, cheio de pessoas que se aproveitam de situações para causar mal a outras, todo cuidado é pouco, não é mesmo?

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *