Red Bull Player One tem vencedor brasileiro e acerta na busca de talentos para o eSport

21 de novembro de 2017
Autor: Junior Candido

Red Bull Player One tem vencedor brasileiro e acerta na busca de talentos para o eSport

A Red Bull realizou neste último sábado (18) as finais de seu Red Bull Player One, campeonato internacional X1 de LoL que procurou os melhores no gênero, em disputas que exigem muita concentração, improviso e raciocínio bem rápido. Para este ano, a organização decidiu sair na busca de novos talentos, abrindo espaço para jogadores amadores, dando a eles visibilidade e a chance de participar do mundo do eSport, fechando contratos e disputando torneios.

Após a seleção, os quatro jogadores que restaram participaram das finais, no estúdio da ESL, em São Paulo, mas antes ficaram incubados nas gamings houses de CNB e Red Canids, para treinarem com os jogadores destas equipes e se prepararem melhor para as disputas, que foi vencida por um brasileiro: Lucas “Gregio” Vernier.

Gregio venceu o português Fearless e o brasileiro Nosferus na fase de grupos, e em uma disputa melhor de cinco, venceu Cipher, dos Emirados Árabes Unidos. Os jogadores contaram com um jogador profissional como coach e o que mais chamou a atenção de todos os presentes na disputa, era o alto nível da competição. Os jogadores, vez ou outra, deixavam um pouco a estratégia de lado e partiam para o tudo ou nada, trazendo emoção e reviravoltas a cada partida.

Tão interessante quanto o alto nível das disputas, foi poder conferir um pouco mais dos novos talentos do eSport. Sabemos o quanto o eSport está dando certo no Brasil, e como as equipes e jogadores tem crescido muito ano a ano, porém muito pouco é mostrado para o público em geral em relação a busca de novos talentos. Não que as equipes não o fazem e nem que estão erradas, mas iniciativas como esta da Red Bull nos mostram que não só o Brasil mas todo o mundo tem vários jogadores com potencial para figurar entre os grandes.

Já para os jogadores, só a exposição garante muita coisa para eles. Nosferus, jogador que não chegou à final, foi contratato pela Operation Kino, enquanto várias equipes acompanharam o projeto, buscando encontrar algum talento em especial. Era um espaço em aberto que foi sabiamente explorado por Red Bull e a agência eBrainz que, ao tirar o foco nas disputas amadores x profissionais e fazer da disputa um espaço de projeção de potenciais atletas, trouxe novidade para o cenário e já chama atenção de mais jogadores, que poderão se inscrever em uma próxima edição.

Transformar este processo de seleção em um torneio-reality show, dando aos competidores a chance de ter um gostinho do que é treinar em uma Gaming House e ter a companhia de grandes nomes do eSport, também funcionam bem por trazer exposição para todos, e somar mais ainda em um segmento que cresce a cada dia. o Player One poderia ser apenas mais um evento entre equipes, mas colocar aspirantes no lugar, dando a eles destaque e poder conferir as suas qualidades, foi algo bem interessante e que poderia ser melhor explorado no futuro, aproveitando a variação enorme que o eSport oferece.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *