RetroArkade: 20 jogos para celebrar ainda mais os 20 anos do Playstation

7 de dezembro de 2014
Autor: Junior Candido

RetroArkade: 20 jogos para celebrar ainda mais os 20 anos do Playstation

Sim, você está ficando velho e te lembrar disso é um dos intuitos da RetroArkade. Mas como lembrança boa também é lema por aqui, então vamos relembrar juntos 20 jogos e comemorar os 20 anos do primeiro Playstation!

De 1994 até hoje, o Playstation original, aquele cinza que depois ficou branco, aquele que ganhou alavancas analógicas durante sua vida e que nos ensinou o valor de organizar um Memory Card, continua firme e forte na memória e na prateleira de muitos jogadores (inclusive na minha: memória e prateleira).

O “Super Nintendo de CD” que seria lançado em parceria da Sony com a Nintendo que depois acabou se tornando um projeto independente depois da canelada da Big N nas negociações foi lançado em 1994 com a mente brilhante de Ken Kutaragi comprando a briga e fazendo com que os japoneses, no começo resistentes com o “brinquedo”, depois o ajudassem a transformar a palavra Playstation em sinônimo de videogame, causando um impacto cultural semelhante a outro sucesso da Sony: o Walkman.

Você conhece muito sobre o Playstation e existem muitos artigos pela Internet e revistas recheados de informações importantes sobre este console que tantas alegrias nos trouxe. Eu mesmo ganhei o meu em 1998, em plena era de ouro, pois além dos jogos animais que ele oferecia, também foi na época em que estreou o Dual Shock. Por isso, ao invés de simplesmente contar a história do console da Sony, te convido a conferir 20 jogos que marcaram a minha vida gamer. Não é nenhum top 20, pois alguns jogos que irei citar nem são tão bons assim, quero apenas compartilhar com você alguns jogos que gostei muito enquanto o PSOne tinha uma vida ativa cheio de lançamentos.

Faça a sua lista também. Não se preocupe em falar dos melhores, vamos deixar a nostalgia falar mais alto e relembrar até daquele jogo ruim mas que marcou de alguma forma. Vamos lá?

Metal Gear Solid

Não tem como não começar esta lista sem mencionar o melhor jogo de todos os tempos, na minha humilde opinião. Metal Gear Solid me cativou (e terá sua RetroArkade própria em breve – enquanto isso leia a matéria sobre o primeiro Metal Gear de MSX/NES) não só pela jogabilidade espiã até então inédita, pelos gráficos acima da média no console e pela sua trilha sonora perfeita: me cativou mais ainda por sua sensibilidade. Além do clima de cinema, nós não estávamos vendo personagens frios se matando uns aos outros: eles tinham sua própria personalidade, intenções e motivações, o que nos faz criar elos emocionais até com vilões. Quem jogou (e joga) sabe do que estou falando e não dá pra falar de Playstation sem falar de Solid Snake.

Syphon Filter

E como Snake praticamente criou um novo gênero, era normal que outras opções aparecessem. E antes de Sam Fisher tentar competir com o lendário soldado clonado a 989 lançou Syphon Filter e nos apresentou Gabriel Logan. Embora eu nunca gostei de controlar o personagem e sempre achei ruim demais o seu gameplay, por outro sempre gostei dessa coisa de ação, intrigas e espionagem, por isso fui até o fim na aventura. O jogo é bem mais ou menos, mas legal pra caramba e com certeza esteve no seu Playstation.

Crash Team Racing

Poderia citar os três Crash Bandicoot que são ótimos, e até já falei deles em outra oportunidade, mas já que o assunto é o que marcou e não os melhores, fico com o “Mario Kart do Crash“. A franquia tinha personagens carismáticos o suficiente para não ser um clone genérico da corrida entre os cogumelos e cá pra nós: o mundo de Crash é muito mais maluco que o de Mario e na minha opinião, isso é mais legal. Quem não tinha um N64 na época (eu!), tinha CTR pra se divertir e continuar correndo atrás de gemas, diamantes e safiras.

Resident Evil

Aí você anda em um dos corredores da mansão e… CACHORRO ZUMBI DO NADA APARECENDO E QUERENDO A SUA CABEÇA! Como a maioria de nós éramos crianças ou pré-adolescentes em 1996, não preciso falar das noites sem dormir só por causa disso, não é mesmo? Eu com 12 anos não tinha paciência nenhuma em decifrar enigmas e nem em ficar rodando a mansão feito barata tonta (até porque estava acostumado ao “andar em frente e terminar a fase” dos 16-bit). Mas Resident Evil me fez procurar revistas de detonados para ir mais a fundo na história. E ainda hoje é um excelente jogo de quebra-cabeça e sobrevivência, com dublagem tosca e tudo. Aliás, essa dublagem tosca (e os filmes com qualidade de Hermes e Renato) é o charme do jogo e que me faz preferir ele ao remake até hoje.

E vou compartilhar um “pecado” aqui pra fazer com seus amiguinhos: certa vez liguei pra alguns amigos durante a noite e quando a pessoa falava “alô” eu começava a metralhar vários zumbis com o som bem alto e desligava logo após a carnificina. Quem nunca?

Winning Eleven 2000

Você jogou International Superstar Soccer e depois descolou um Playstation. O que iria jogar? Sim, Winning Eleven. O que mais me marcou foi o meu presente de amigo secreto de 1999. Cara, como era legal ver os jogadores pela primeira vez identificados como tal e os uniformes cada vez mais reais, só faltavam os times agora terem uniformes parecidos. E sobre colocar o Roberto Carlos no ataque? E sobre dominar os “dibre”? E sobre passar horas jogando WE com os amigos? E o modo Sub-23 por causa das Olimpíadas que aconteceram em 2000? E a narração em japonês? E o amigo chato que ficava pausando toda hora pra “arrumar o time”? Nem preciso mencionar muito sobre este jogo pois ele marcou muita gente. E como menção honrosa, cito aqui a série FIFA e Ronaldinho Soccer (o da Infogrames, não o jogo pirata) que também divertiam muito.

Batman & Robin

Estes dias tentei jogar de novo esse jogo e me perguntei: como eu me divertia com um jogo tão ruim? Bom, pra começo de conversa eu gosto mesmo do Batman e acabo consumindo qualquer produto com o logo do morcego na capa (até a série Lego). Mas analisando melhor hoje, a intenção não é ruim. O jogo explora algo de mais legal que o Batman tem que é a capacidade de detetive, onde ele precisa recolher pistas, definir quem é o culpado pelo crime e ir capturar o vilão. E ainda tinha um Batmóvel para andar por Gotham no melhor estilo Driver da vida, mas pena que o jogo é ruim até dizer chega e não nos cativa para continuar jogando hoje.

Medal of Honor

Antes de Call of Duty e Battlefield, existiu Medal of Honor. Tinha acabado de assistir O Resgate do Soldado Ryan e aquele clima de “vamos invadir a França e tirá-la dos alemães” me contagiou. Na falta de um jogo “oficial” do jogo, Medal of Honor apareceu pela própria Dreamworks. Medal of Honor funcionou como jogo oficial d’O Resgate do Soldado Ryan assim como Modern Warfare 4 foi o jogo “extra-oficial” de Falcão Negro em Perigo e em suas épocas, fizeram o mesmo sucesso. Em Medal of Honor se destaca a sua trilha sonora, sempre tensa e até amedrontadora, além dos vários filmes que eram exibidos entre as missões. Imperdível.

Mega Man X4

Na minha opinião, o melhor Mega Man de todos os tempos. O jogo é acessível, gostoso de jogar e tem uma trilha sonora irrepreensível (principalmente se estivermos falando da versão japonesa). Os jogos de Mega Man sempre eram muito bons, mas o X4 marcou de fato por trazer mais drama em sua história com os animes que ajudavam a mostrar mais sobre o ambiente e as motivações dos personagens. É daquele tipo de jogo que vale a pena jogar até hoje e nem precisa de remake, pois continua muito bonito em seu visual.

Marvel Super Heroes

Tá, o Playstation não era as mil maravilhas quando o papo era jogo de luta: X-Men vs. Street Fighter que o diga. Mesmo assim os jogos de porrada da Capcom sempre estavam presente no console da Sony e dentre todos, Marvel Super Heroes até que conseguiu desempenhar um bom papel nas águas do Playstation. Tudo bem que alguns frames foram removidos mas vamos falar a mais franca verdade: quem reparava nisso (na condição de jogador, não de crítico) era um tremendo dum chato! O legal era juntar os amigos e disputar altos combates no Vs. Mode, com direito a espancar o perdedor já inconsciente.

Final Fantasy VIII

Claro que Final Fantasy praticamente deu os louros da vitória para o Playstation, mas eu nunca fui muito chegado em RPGs. Minha vontade de ir direto ao ponto nunca deixou com que eu ficasse nessa de evoluir personagens, embora gostasse muito das histórias e ideias dos RPGs. Por isso eu tentava jogar alguns, como Star Ocean ou Grandia. Mas o que me fez chegar mais longe foi o FF VIII. Tinha algo de legal ali que me fazia tentar ficar evoluindo os personagens e ver o que aconteceria com Squall. Até hoje não sei o que aconteceu mas quem sabe um dia não tome juízo e vá conferir novamente esse grande jogo?

Xenogears

Outro RPG que me cativou foi “um tal de” Xenogears. Sua história que envolve filosofia e religião somado aos robôs e aos animes MUITO BEM FEITOS, além do fato de que aqui pelo menos eram menos personagens para evoluir e administrar, me fez dar uma chance. Ao contrário do FF VIII, eu ainda estou jogando Xenogears, mas com a disposição que já demonstrei em evoluir em jogos assim (creio que o único RPG que terminei na vida até hoje foi o Pokémon Silver) me dá tempo para terminar este clássico com a presença de meus netos, quem sabe?

Tomb Raider II

Lara Croft! A musa que nasceu no Playstation tem uma segunda aventura muito interessante. Assim que ganhei meu Playstation, fui testar o CD de demonstração que vinha junto e entre alguns jogos tinha o Tomb Raider II. E que jogo legal! A exploração, as escaladas, as alavancas e todo o resto que foi padrão da franquia por anos está lá. Depois conferi o primeiro e também o terceiro quando foi lançado, mas foi no segundo que conheci a Mansão Croft e passei horas “fazendo nada” por lá.

Tekken 3

Esse era o preferido da família. Minha irmã e minhas primas adoravam os “filminhos” que passava nos finais dos personagens, enquanto alguns primos curtiam passar horas no Vs. Mode. Eu gostava de jogar com o Eddy Gordo e dar altos golpes de capoeira no pessoal. E mesmo bem tosco, aquele “modo Final Fight” também era interessante. Era legal ver um jogo de luta de alto nível que ás vezes nos fazia pensar que não estávamos jogando um Playstation.

Spider Man

Em 2000, o Homem-Aranha já tinha sofrido um bocado nas HQs e pelo menos no jogo de Playstation o jogo era muito divertido, graças ao selo Neversoft de insanidade. Além de termos o controle de um Homem-Aranha mais old school, mais fanfarrão e que fica soltando piadinhas a todo momento (o Aranha tosco e despretensioso que a gente tanto adora), também temos um jogo divertido que rola em boa parte pelos arranha-céus de Nova York e conta com missões que envolvem surpreender os bandidos para salvar reféns e se livrar de bombas instaladas em bancos. O sentido aranha que funciona semelhante ao que temos hoje como o reflexo de Batman nos jogos Arkham também está de parabéns!

Driver

Tirando a maldita primeira parte do jogo que te exigia muita coisa no estacionamento e que demorava para pegar o jeito, Driver é um jogo legal pra caramba. Não teríamos GTA como ele é hoje se não fosse o Driver. E assim como adorei rodar “Miami” nos anos 80 em Vice City, gostei muito de rodar em Miami, San Francisco, Los Angeles e Nova York dos anos 70. Mas desde aquela época sentia que faltava um “algo a mais” no jogo além de só correr atrás e fugir, que acabou sendo o GTA 3 que saiu dois anos depois. Você sentia essa impressão também? Mas dane-se o jogo era legal mesmo assim.

Bust a Groove (Bust a Move)

Quando ganhei meu Playstation fui procurar alguns jogos e acabei levando um tal de Bust a Move pra casa sem nem saber do que se tratava. Ligando o videogame vi que era um jogo de dança com alguns comandos “impossíveis” na tela. Jogo chato que ficou de canto até que um dia comecei a experimentar, a dominar seu jeito de jogar e… jogo até hoje! O “jogo chato” facilmente virou um dos jogos mais legais que joguei até hoje, pois tinha músicas bem legais e não precisava daquele diacho de tapete pra jogar. Você podia “dançar” largado no sofá e isso era muito bom! Sem mencionar os personagens, todos carismáticos.

Gran Turismo 2

O Playstation tem muito jogo bom de corrida e Gran Turismo 2 que está num patamar acima. Aqui era legal “evoluir” ganhando corridas e equipando seu carro. E por sinal carros que eram bem legais como o Ka ou o Golf que podiam ser escolhidos, criando a tendência de corrermos com carros mais a ver com nossa realidade que foi melhor explorada em NFS: Underground anos mais tarde. A trilha sonora também arrebentava e dava gosto jogar com o som bem alto até ouvir um ABAIXA ISSO MOLEQUE!

Need for Speed: Porshe Unleashed

Sim, Gran Turismo estava um passo a frente, mas Need for Speed era legal também. E essa versão com Porshes era mais legal ainda por ser praticamente uma enciclopédia da marca alemã. E como sempre gostei das transformações sociais/visuais/culturais das gerações, ver o jogo “evoluindo” dos anos 50 até a década de 2000 (e isso envolvia as pistas, as músicas e até os temas dos menus) era legal demais. Foi um presente de natal que ganhei daqueles que a gente não esquece.

Tony Hawk Pro Skate 2

RAGE AGAINST THE MACHINE! MILLECOLIN! \m/ Comecei a gostar destas e outras bandas por causa de Tony Hawk 2. E mesmo nunca sendo lá um grande “andador de skate”, sempre curti o esporte e as manobras. Então agora era a minha hora de tentar alguma coisa e como tinha “pulado” o primeiro jogo, fui conhecer uma das franquias mais populares e divertidas do final dos anos 90/começo de 2000 através do segundo game. Não me arrependi e com certeza você também não.

Jackie Chan Stuntmaster

Desde criança sempre assistia os filmes do Jackie Chan, aqueles feitos na China mesmo (Police Story, Detonando em Barcelona…), com aqueles golpes rápidos e replays nas cenas de ação. Aí saiu o Mr. Nice Guy e o divertido ator virou um ícone maior na cultura pop. Baseado especialmente neste filme e em vários outros, tivemos o jogo de Jackie Chan no Playstation e cá pra nós: o jogo é ruim embora a gente goste dele! Eu gostava por gostar do Jackie e também por ter uma história divertida como os seus filmes, mas o jogo era uma tortura, por não conseguir te dar nem um controle decente ao seu personagem. Ou você não perdeu vidas inúteis por errar pulos bobos? Mesmo assim me diverti muito, apesar das raivas com a jogabilidade.

Parabéns pra você, nesta data querida!

Com os vinte anos do Playstation, que arrebatou um gigantesco número de fãs no mundo inteiro, mesmo concorrendo com plataformas de peso de Nintendo e Sega, já veteranas na época, vários eventos e homenagens foram programados, tudo para fazer a melhor festa de aniversário que alguém (ou algo, no caso) poderia ter.

O canal Playstation Acess divulgou um vídeo contando com o grupo instrumental SquidPhysics, em que tocam uma compilação especial de vários temas iconicos de grandes jogos que já passaram pelas plataformas Playstation nesses 20 anos de vida do sistema.

O resultado é um grande mashup instrumental, contando com trilhas sonoras de jogos da própria Sony, como Gran Turismo, ICO, God of War, Uncharted, Little Big Planet, The Last Of Us, Tearaway e Resogun, e também de grandes jogos de outras empresas que fizeram sua estréia ou ficaram famosos nas plataformas Playstation, como Crash Bandicoot, Tekken, Metal Gear Solid, GTA: San Andreas, Final Fantasy X, Skyrim e Destiny.

Além disso, podemos ouvir a nostalgica introdução do PSX, altamente nostálgica e também o som de desbloqueio de um troféu. Confira o vídeo e veja se a sua trilha sonora preferida está representada:

E é isso. O Playstation ofereceu grandes momentos na sua vida gamer? O que aquela caixa cinza (depois branca) proporcionou em diversão para você? Sinta-se a vontade para comemorar conosco, compartilhando suas experiências e seus 20 jogos que mais te marcaram. Não precisa ser o melhores, apenas os que marcaram.

* Participou desta matéria com as 20 trilhas sonoras o colaborador Luan Barbosa.

20 Respostas para “RetroArkade: 20 jogos para celebrar ainda mais os 20 anos do Playstation”

  • 7 de dezembro de 2014 às 11:09 -

    Thiago

  • Putz! Meus olhos suaram com essa musica T_T 

  • 7 de dezembro de 2014 às 11:27 -

    camaroon

  • Faltou coisa pra caramba, só pra começar castlevania symphony of the night! Metal gear solid o melhor jogo?!… deve ser pq vc nunca jogou esse castlevania! Faltou tb: wwf attitude, street fighter collection, mortal kombat mythologies, mortal kombat trilogy, courrier crisis, r-type delta, gran turismo, mdk, etc, Agora tenho que concordar que o homem aranha é espetacular!

    • 7 de dezembro de 2014 às 11:59 -

      Junior Candido

    • Contei aí e tem 9 jogos, coloque mais 11 e vamos fazer mais “20 jogos aqui”, pois tem muita coisa legal na sua opinião tbm! Sobre Castlevania, joguei e achei ele EXCELENTE, um dos melhores jogos de todos os tempos, porém deixei claro que a lista era mais nostálgica do que técnica, tanto que tem jogo ruim no meio. Street Collection veio junto com o meu PS e MK Mythologies achei esquisito no começo mas depois eu curti. Da sua lista só não joguei o WWF, eu jogava um outro de luta livre mas agora fugiu o nome. Valeu!

  • 7 de dezembro de 2014 às 11:44 -

    Juliano Muller

  • Muito boa lita e os comentários, puts, senti que você teve a mesma infância-adolescência que eu. Castlevania precisava estar nesta lista mas, que bom que o amigo lembrou né, digimon 1 era muito bom, dragom ball legends, vanguard bandits e harvest moon são alguns dos meus preferidos, mas realmente o melhor de todos os tempo pra mim continua sendo metal gear solid. Parabéns pelo site, baita trabalho, já pensei em desenvolver um projeto de mestrado relacionado a games esse site seria o primeiro que eu utilizaria. 

    • 7 de dezembro de 2014 às 12:11 -

      Junior Candido

    • Como falei, a lista é mais focada em nostalgia do que qualidade. Pois colocar Batman (o jogo do filme) no lugar de Castlevania em um olhar mais criterioso é blasfêmia! Digimon eu pulei na época, preferia Pokémon (olha a treta!). Dragons Ball Legends é legal e não tinha paciência pra Harvest Moon. E valeu pelo apoio, nosso intuito é sempre somar.

  • 7 de dezembro de 2014 às 12:39 -

    Chrono Redfield

  • Impressão minha ou tocou o tema pra Final Fantasy X também? Isso é do PS2 Oo

    • 8 de dezembro de 2014 às 09:16 -

      Junior Candido

    • O vídeo tá mostrando as trilhas do Playstation como um todo, não só do PSOne =D

  • 7 de dezembro de 2014 às 12:40 -

    Carlo Henrique

  • Gostei muito da lista, principalmente porque no PS1 era normal que tanto jogos bons quanto ruins passassem por nossas mãos e nos marcassem. Vou deixar também minha lista para que sirva de sugestão para discussão aqui nos comentários e também para o caso de alguém querer jogar algum jogo antigo mesmo hoje em dia.Final Fantasy VIII (O jogo que mais joguei no videogame e meu favorito de longe)Tony Hawk’s Pro Skater 2, Resident Evil 3, Legacy of Kain – Soul Reaver, Harvest Moon – Back to NatureParasite Eve, Chrono Cross (Não é melhor que o Trigger, mas também é uma das grandes obras primas do PS1)Crash Bandicoot 2 – Cortex Strikes Back , Shadow Tower (Um survival horror em primeira pessoa ruim demais)Silent Hill, Resident Evil 2 (Gosto muito dos RE do ps1, mas escolho esse por ser mais longo e complexo) 

    • 7 de dezembro de 2014 às 12:54 -

      Carlo Henrique

    • Parte 2Worms World Party, Vagrant Story, Metal Gear Solid, Theme Hospital, Road Rash (Apesar do Jailbreak ser melhor, esse foi o que me marcou), Fifa 2000, Winning Eleven 4, Sheep Raider e Driver 2. 

  • 7 de dezembro de 2014 às 13:57 -

    Maicon

  • Eu era viciado no Test Drive 6!.

  • 7 de dezembro de 2014 às 14:34 -

    Marcio

  • Um jogo que eu nunca esqueço é o “Fighting Force”. Jogava horas com a galera lá em casa. 

    • 8 de dezembro de 2014 às 09:14 -

      Junior Candido

    • Sempre achei ele feiosão mas ao mesmo tempo bem divertido.

  • 7 de dezembro de 2014 às 20:17 -

  • sei que não foi tão popular, mas eu colocaria Medievil nessa lista 

  • 7 de dezembro de 2014 às 21:16 -

    Renan do Prado

  • Ahhh a lista começou de forma perfeita <3

    Metal Gear Solid sem dúvidas é o melhor do PSOne!!!!

  • 7 de dezembro de 2014 às 21:27 -

    Renan do Prado

  • Jackie Chan Stuntmaster e Spider-Man, como eu amava esses jogos!!!!!

  • 7 de dezembro de 2014 às 23:21 -

    Thomas Oliveira

  •  Gran turismo não chegava nem perto do jogo onde o dodge viper era o carro mais foda (se não era o melhor, era com certeza o mais legal): Test Drive, era fantástico. E colocava aí também o jogo que me fez parar de odiar a fazenda: Harvest Moon

  • 9 de dezembro de 2014 às 12:29 -

    watt

  • 1-Metal Gear Solid: Me surpreendi com a seriedade passada no jogo(apesar dos inimigos com superpoderes) e o clima de filme;me fez gostar do gênero stealth. 2-Resident Evil3: Minha estréia no gênero horror/adventure. 3-Silent Hill: O jogo de terror mais assustador que já joguei até hoje. 4-Medal of Honor: Minha incursão no gênero 1°pessoa; o jogo tinha maior clima de suspense por sua trilha sonora e outros detalhes. 5-Syphon Filter3: Tomei gosto pelos jogos de tiro em 3° pessoa. 6-Legend of Legaia: Não era grande coisa mas era o primeiro RPG tradicional que joguei e ajudou a confirmar o meu gosto pelo gênero. 7-Final Fantasy Tactics: Antes de jogar esse jogo, pensava que RPG estratégicos eram “bichos de sete cabeças”, pois imaginava uma enorme complexidade para se dominar. 8- Castlevania Simphony of the Night: Inesquecível. 9- Ace Combat 3: Graças a esse jogo desenvolvi meu gosto por simuladores. 10-Gran Turismo 2: Me surpreendi com o nível de detalhes e o realismo; se tornou a minha série de corridas favorita. Bem, essa foi a minha lista. Obviamente não são todos os jogos. A ordem não reflete, necessariamente um ranking. 

  • 13 de dezembro de 2014 às 00:03 -

    João Vitor

  • Cara, faltou Harvest moon Back to nature, puta jogo foda mano, e eu pensava que não poderia existir gráficos melhores. 

  • 15 de dezembro de 2014 às 17:47 -

    moises_bender

  • Feliz e bem aventurado aquele que pegou essa época.Cara…que época!

  • 16 de dezembro de 2014 às 15:24 -

    Eduardo M

  •    Falta muitos cara,mas a matéria ta boa.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *