RetroArkade: Você sabia que o Mario já fez algumas visitas fora da Nintendo?

21 de janeiro de 2018
Autor: Junior Candido

RetroArkade: Você sabia que o Mario já fez algumas visitas fora da Nintendo?

Personagens da Nintendo não aparecem em jogos de outros estúdios e para outros consoles. Se você quer ver Mario, Link, Samus e todo o rico elenco da Big N, a única maneira é a de ter um Super Nintendo, um DS, um Wii U, ou atualmente, um Nintendo Switch e um 3DS. Mas você sabia que o Mario, no passado, fez algumas visitas em outros consoles?

Se hoje você acha curioso ver o Mario correndo pelas telas do iOS e do Android, fique sabendo que o bigodudo preferido dos videogames já fez aparições em consoles que não são da Nintendo. Seja por questões comerciais, ou pela possibilidade de obter melhores vendas, venha com a gente conferir as vezes em que o nosso herói de chapéu vermelho saiu do Reino dos Cogumelos para cuidar de seus negócios em outros lugares.

Donkey Kong – Atari 2600

O clássico Donkey Kong, inspirado livremente em King Kong, saiu para os arcades em 1981, época a qual a Nintendo não tinha um console próprio, levando então seus games para os arcades, e posteriormente, para diversas versões, o que inclui o Atari 2600, o Commodore 64 e o TRS-80, da Tandy. Nesta época, seu nome era Jumpman, mas ainda é a estreia de Mario no mundo dos games.

Hotel Mario – CD-i

Lembra do Super Nintendo em CD que seria feito com em parceria com a Sony, e depois com a Phillips? Pois bem, todos sabemos que o projeto não deu certo e, enquanto a Sony foi em frente e preparou o seu Playstation, a Phillips apostou em um centro de multimídia para CDs, e com a licença da Nintendo, produziu alguns games para o seu sistema.

Hotel Mario foi uma destas aberrações, que colocava o nosso querido personagem em um jogo sem pé nem cabeça, e com cutscenes que traumatizam todos aqueles que tem a coragem de assistí-los.

Mario Teaches Typing – PC

Nos anos 90, os computadores começaram a se popularizar mais e mais, e cursos de digitação iam aos poucos substituindo a datilografia, com a vantagem de softwares educativos ajudarem as pessoas a aprenderem melhor. Quem fez um curso de Informática nesta época com certeza lembra daqueles programas que simulavam na tela a sua escrita, e acabou que, através da Interplay, o Mario apareceu para ensinar digitação.

O jogo é basicamente uma versão adaptada de fases de Super Mario World, com trilha sonora e tudo, só que, o controle aqui são palavras ou textos que você precisa ir digitando para passar de fase, e aprender brincando. Apesar da voz tosca que deram pro Mario, e para as animações simples demais, até que o jogo cumpre bem seu objetivo.

Mario Bros. – Atari 2600

E o Mario não fez apenas uma visita ao Atari 2600, ele voltou ao console depois para sua própria aventura. O clássico Mario Bros. saiu para os arcades em 1983, mas logo chegou aos consoles, e desta vez, para o Famicom, o mais novo sistema da Nintendo. Porém, em um caso bem raro de se acontecer, a Big N também autorizou versões do jogo para diversas plataformas, como o Atari 2600, o Atari 5200, o Apple II e vários outros computadores. Como o Famicom ainda era novidade, talvez a Nintendo queria levantar uma grana com a ajuda destas outras plataformas… imagina se isso acontecesse hoje?

Punch Ball Mario – PC 8801

O PC 8801 foi um computador japonês da NEC, que depois chegou aos Estados Unidos que permitia rodar jogos, entre outras funções. E, curiosamente, aqui o Mario Bros. ganhou uma versão com uma bola vermelha, semelhante aquelas de queimada que a gente brincava na escola. Ou seja, além de pular para derrotar os inimigos, era possível jogar a tal bola também.

Mario is Missing – PC

Outro patinho feio da história de Mario, este aqui não foi produzido pela Nintendo. Obra da The Software Toolworks, que contou com a licença da Nintendo, Mario is Missing saiu para o NES e o Super Nintendo, mas também ganhou versões para Macintosh e DOS. É um jogo educativo, com perguntas sobre Geografia, para investigar a procura pelo herói, que está sumido.

Super Mario Bros & Friends: When I Grow Up – PC

Além do Paint, existiam softwares de colorir que faziam a alegria da criançada na época em que ter um computador significava fazer nada durante o tempo em que não se podia conectar à Internet. E, mais uma vez, a Nintendo licenciou seu personagem para que a Merit Software desenvolvesse um software educativo, que permitia que as crianças colorissem diversas imagens, podendo até imprimí-las depois.

Super Mario Bros. Special – PC-8801

Olha mais uma versão sem noção aparecendo para o PC-8801 aí! Desta vez, além de um jogo bem desengoçando e com um pisca pisca surpreendente, que denuncia a má qualidade do port, a versão de Super Mario Bros. para o computador da NEC, foi lançada apenas no Japão e ainda bem que ficou por lá.

Nelsonic Super Mario Bros – Relógio

Pra quê smartwatch, se você pode ter um relógio bacana desses? A Nelsonic teve a brilhante ideia de pegar o conceito de Game & Watch, ou seja, de aproveitar imagens de fundo com personagens interagindo em uma camada superior, e levou o gameplay de Donkey Kong para um relógio, que contava com direcional e tudo.

Apesar do nome Super Mario 3 e da arte do game para NES, nada de passar fases no pulso, pelo menos nesta época. Hoje já é possível, através de smartwatches Android, rodar emuladores no pulso, que podem até contar com controles para a jogatina, se ambos os dispositivos tiverem bluetooth.

Mario’s Time Machine – PC

A Nintendo deve ter ganhado uma boa grana licenciando o Mario para jogos educacionais. Desta vez, o alvo era a história, que, com uma máquina do tempo, levava o bigodudo para várias épocas da história, com jogabilidade bem precária.

Mario’s Game Gallery – PC

Mario um dia gritou Interplay antes de um jogo, quem diria? Pois nossa jornada se encerra com mais uma aventura de Mario no PC, com o seu Game Gallery levando a turma do Reino do Cogumelo para uma emocionante disputa de… cartas e tabuleiro! Com algumas animações até que interessantes, e um sotaque italiano para o nosso herói, a ideia de pegar o universo de Mario para estes games até que foi um ótimo embrião para o que seria o Mario Party que chegaria depois.

Via (Finder)

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *