RetroArkade – O bom e velho futebol de Winning Eleven 4

28 de junho de 2020
Autor: Junior Candido
RetroArkade - O bom e velho futebol de Winning Eleven 4

O ano era 1999. Apesar de o Brasil ter perdido a Copa do Mundo no ano anterior, nossa seleção ainda era a mais respeitada do planeta, e havia vencido de maneira maíscula a Copa América daquele ano. Ronaldinho Gaúcho começava a chamar atenção do mundo com o seu talento. E havia muitas expectativas quanto aos Jogos Olímpicos de Sydney, em 2000.

Neste contexto, a série Winning Eleven, que já tinha prestígio com os jogadores daqueles dias, e que disputava com FIFA a atenção e as páginas das revistas de games, chegou em seu quarto jogo, durante o ano de 1999. A ideia, além de evoluir o futebol, era a de oferecer novidades no game, que, já naquela época, já pedia mais do que apenas “torneios”.

RetroArkade - O bom e velho futebol de Winning Eleven 4

Surgia, assim, ideias que se mostraram sucesso e padrão para os anos seguintes. Foi em Winning Eleven 4 que a Master League nasceu. Foi neste game também que se iniciou a possibilidade de se jogar com times europeus. E um modo olímpico trazia ainda mais conteúdo para um game que ditaria, pelos próximos anos, o que era futebol de qualidade nos videogames.

Já escolheu seu time preferido e colocou Roberto Carlos no ataque? Então vamos relembrar este clássico já!

Um festival de conteúdo

Nos Estados Unidos o game chegou com o nome de ISS Pro Evolution. A Konami ainda gozava de sucesso com o International Superstar Soccer e a decisão foi de manter este nome. Pro Evolution, que daria o nome para a série em definitivo nos anos seguintes, já estava em uso aqui. No Japão, no entanto o nome foi o mesmo dos games anteriores: Winning Eleven.

E nós, graças à pirataria, ficamos com a versão japonesa. Por isso ficamos, também, com a narração inesquecível de Jon Kabira. Mesmo sem entender nada (lembre-se, éramos crianças dos anos 90, praticamente sem internet e dependendo apenas das revistas de games que ensinavam alguma coisa), íamos conhecendo as novidades.

Até aquele momento, games de futebol contavam com poucos modos. Era o modo amistoso, e torneio, que geralmente eram subdivididos entre um “mundial”, e torneios “regionais”, com as mesmas seleções. Era apenas o ISS que trazia o modo “cenário”, que era bem interessante. Mas Winning Eleven 4 apostou em mais conteúdo.

Havia, além dos modos tradicionais, um amistoso nos moldes “Europa x Mundo”, comuns naqueles tempos, um modo de liga, na qual você jogava com as seleções do game de maneira semelhante às ligas europeias, com jogos todos contra todos, e ida e volta. Havia as copas regionais, além do torneio mundial. Mas também havia o modo olímpico. Eram 22 seleções com seus elencos sub-23, a idade máxima permitida nos Jogos Olímpicos.

Você podia escolher uma seleção asiática e jogar as eliminatórias, ou escolher um time de outro continente e ir direto para o torneio propriamente dito. Mas a cereja do bolo vinha com um nome que todo jogador de futebol de videogame naqueles tempos sabe muito bem: Master League.

A inesquecível Master League

RetroArkade - O bom e velho futebol de Winning Eleven 4
Qual era o seu time preferido da Master League?

A ideia era simples: jogar com um clube europeu, e transformá-lo no maior do continente. Não apenas nos resultados, mas também no elenco. Eram 16 times da Europa: Manchester (o United), London (Arsenal), Chelsea, Liverpool, Monaco, Marseille, Dortmund (o Borussia), Munchen (o Bayern), Barcelona, Madrid (o Real), International (a Inter de Milão), Torino (a Juventus), Milano (o Milan), Roma (a Lazio), Parma e Amsterdam (o Ajax).

Uma vez escolhido seu time, seu esquadrão passava a ser genérico, e não necessariamente o elenco da equipe naquela época. O que você precisava fazer, então, era reforçar o seu elenco. Você ganhava pontos no torneio (8 pontos para vitória e 4 para empate, além de pontos bônus) e que funcionavam como dinheiro, para que possam ser contratados jogadores reais dentro do game.

RetroArkade - O bom e velho futebol de Winning Eleven 4
O mercado de transações pegava fogo

O funcionamento era bem simples, mas revolucionário e divertido para a época: você jogava os jogos, se esforçava para ter sempre bons resultados, que renderia mais pontos, e que permitiria a contratação de nomes como Ronaldo, Rivaldo, Zidane, Bergkamp, entre tantos outros. Era a sua chance de montar o “time das estrelas” ideal.

Como haviam apenas 16 times, não tinha rebaixamento e nem divisão. Tais mecânicas viriam naturalmente, com o passar dos anos. Naquele momento, o que acontecia, após o fim do torneio, era começar tudo de novo. Porém, com o seu elenco atualizado, com as contratações feitas e salvas no Memory Card. Seu esquadrão ainda podia ser utilizado em amistosos.

Tal modo deu tão certo, que se tornou uma das grandes armas contra a concorrente FIFA, que, naqueles tempos, tinha a seu favor a licença oficial da FIFA, que permitia jogos oficiais de suas competições, como a Copa do Mundo. O modo foi sendo evoluído com o passar dos anos, conquistando ainda mais jogadores na era 128-bits.

Um game de futebol que diverte até hoje

RetroArkade - O bom e velho futebol de Winning Eleven 4

Uma coisa interessante em Winning Eleven 4 é que, até hoje, o jogo é bem interessante de ser jogado. Mesmo com visual bem ultrapassado, sua dinâmica cativa, e o gameplay é divertido. Você pode construir jogadas, não precisando apenas “chegar no gol e chutar”. Dá pra fazer lançamentos em profundidade, pelo alto, tabelinhas, dribles, e construir um estilo próprio de jogo. Isso sem falar no realismo dos estádios, baseados nos reais, e nos replays.

Era uma evolução assombrosa no gênero, que em cinco anos viu mudanças gritantes em seus games. Era, também, a Konami daqueles dias já mostrando que daria o máximo de atenção possível ao seu game de futebol. Tanto que hoje em dia, a Konami “existe” apenas por Pro Evolution Soccer, além de lançamentos menores aqui e ali.

Mas sim, este é um game que diverte até hoje. E que seria interessante vê-lo nos consoles atuais. Nos mesmos moldes de The King of Fighters ’97, que ganhou versão online, seria divertido jogar novamente a Master League, criar nossos times e colocá-los no mundo online. Você também acha que Winning Eleven 4 teria espaço no mundo atual, ou é melhor jogá-lo apenas no Playstation original, nos famosos “contra perdeu passa o controle”?

Uma resposta para “RetroArkade – O bom e velho futebol de Winning Eleven 4”

  • 29 de junho de 2020 às 22:48 -

    Helinux

  • jogo até hoje!!!! A narração inglesa é uma merd…!!!! Existem jogos em que o PS1 fez bem feito em termos de tudo e um deles é esse game de futebol!!!! Bons tempos de antigamente!!!! valeu!!!!

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *