RetroArkade: Qual era o seu ‘Nintendinho brasileiro’ preferido?

31 de agosto de 2014
Autor: Junior Candido

RetroArkade: Qual era o seu 'Nintendinho brasileiro' preferido?Pelo menos no Brasil o Nintendo foi o maior sucesso, mas sem a Nintendo. Tudo graças a vários clones nacionais que rodavam jogos do sistema 8-bit. Vamos relembrar de alguns?

O NES é a cara da década de 1980 e todos nós concordamos com isso. O console da Nintendo foi um divisor de águas naquele período e praticamente reinventou a indústria de videogames em seu momento de maior crise, em 1984. Super Mario, Zelda, Mega Man e tantos outros começaram sua história no Nintendinho.

O Nintendinho também fez história no Brasil, mas de maneira bem diferente dos outros países: vivíamos em meio ao fim da ditadura e com o movimento Diretas Já fazendo com que a democracia fosse estabelecida em nosso país. Com o poder conservador ainda emitindo as leis, tínhamos a Reserva de Mercado, que entre várias restrições, proibia a importação de videogames no Brasil.

Tanto é que a Sega só lançou seus videogames por aqui graças a eterna parceria com a Tectoy, que fabricava, dava suporte e fazia as propagandas de Master System e depois do Mega Drive. A Nintendo por sua vez, não demonstrou interesse nenhum em fazer parcerias neste sentido na época (fazendo depois parceria com a Playtronic em 1993 e lançando oficialmente produtos da empresa por aqui durante alguns anos).

Com o desinteresse da Nintendo e o apoio do governo, empresas brasileiras começaram a fabricar os seus próprios videogames compatíveis com o NES e isso incluía jogos, acessórios e muito mais. Devido a isto, jogadores brasileiros podiam ter várias opções de Nintendinho, agradando bolsos e gostos.

Como um feliz proprietário de um Dynavision 3 (instalado e pronto para o jogo), convido você a relembrar alguns dos Nintendinhos brasileiros que foram sonho de consumo das crianças da década de 1980.

RetroArkade: Qual era o seu 'Nintendinho brasileiro' preferido?

O Dynavision foi o primeiro. Não contente de clonar o console da Nintendo ainda clonou também a fonte do filme Indiana Jones na caixa do aparelho. Mas foi quem “trouxe a Nintendo” ao Brasil em 1989. Seu primeiro modelo tinha uma alavanca e um botão select no console (como no Master System). Os anos foram se passando e Dynavisions 2, 3, 4, Radical e afins popularizaram ainda mais a marca que foi muito querida entre os games desta época.

Um dos fatores de sucesso do console foi o suporte a cartuchos dos dois padrões de NES, o americano e o japonês. A Dynacom continuou lançando versões de seus consoles até o fim da companhia, em 2011. E lembre-se: o Dynavision é “quase um Playstation 2”.

 

RetroArkade: Qual era o seu 'Nintendinho brasileiro' preferido?

E além do Dynavision, a Dynacom produzia também o Handyvision, um “portátil”. O console era prático e cabia “em qualquer mala, mas para jogar, era preciso ligar o console na TV por frequência de rádio. As fitas “padrão americano” podiam ser colocadas de maneira semelhante ao Game Boy e quatro pilhas AA cuidavam da “portabilidade” do aparelho, que concorria com o Master System Super Compact.

 

RetroArkade: Qual era o seu 'Nintendinho brasileiro' preferido?

E a Dynacom aparece de novo: mas este aparelho tinha um outro apelo: além de ter um slot para cartuchos de Nintendo e oferecer controles e jogos, o Magic Computer aparecia como opção para quem vivia em 1995 e não tinha dinheiro para um computador. Ele vinha com alguns programas instalados (incluindo editor de texto) e até impressora poderia ser configurada no “computador” para fazer os trabalhos escolares.

 

RetroArkade: Qual era o seu 'Nintendinho brasileiro' preferido?

O BiT System era dos clones, o mais clone. Tudo isso porque ele tinha um design que lembrava muito o NES original, incluindo a entrada de controles que era idêntica ao console da Nintendo. Ele recebia apenas cartuchos no padrão americano e vinha com uma pistola para atirar na tela como parte do conteúdo da caixa.

 

RetroArkade: Qual era o seu 'Nintendinho brasileiro' preferido?

Talvez o mais popular NES brasileiro. Até o Lucas Silva e Silva tinha um (claro que todo adaptado e sem logotipos), lembra? O Nintendinho da Gradiente oferecia um layout “menos frágil” que a concorrência, controle semelhante ao do Mega Drive (mas  e carcaça curiosa: ela foi feita para receber um clone do Atari 7800 (inclusive o design lembra muito o console da Atari), mas desistiu e aproveitou as peças já construídas para “enfiar o Nintendinho dentro”.

 

RetroArkade: Qual era o seu 'Nintendinho brasileiro' preferido?

A CCE sempre foi vista com certa desconfiança entre os consumidores em geral, mas mesmo assim fez relativo sucesso com seu Top Game, talvez por causa das entradas para os cartuchos de 60 e 72 pinos. E seu controle que era geralmente elogiado pelos gamers “radicais” da época.

 

RetroArkade: Qual era o seu 'Nintendinho brasileiro' preferido?

E com o sucesso do Top Game, tivemos o Turbo Game que é a evolução natural da família Nintendo da CCE. No Turbo Game, dois elementos em especial chamam a atenção: o controle, que é o mesmo do Mega Drive, mas ao contrário e a função Turbo que quando ativada, disparava tiros e socos em volume maior, fazendo a alegria da turma da apelação.

 

RetroArkade: Qual era o seu 'Nintendinho brasileiro' preferido?

A empresa Milmar lançou três versões de seus consoles entre as décadas de 1980 e 1990. Não tinha nada de mais comparado a concorrência mas desempenhava bem a função principal de um console: rodar jogos.

 

RetroArkade: Qual era o seu 'Nintendinho brasileiro' preferido?

Se o BiT System imitava o Nintendo americano, o Super Charger imitava o Famicom japonês e além disso, oferecia o Eject para retirar os cartuchos.

 

RetroArkade: Qual era o seu 'Nintendinho brasileiro' preferido?

Um dos preferidos dos apelões, pois vinha com o GameGenie dentro do console. O GameGenie era aquele cartucho que permitia adicionar códigos para trapacear nos jogos e neste caso o “sistema de trapaças” já vinha junto com o próprio console. Era ligar e trapacear.

 

RetroArkade: Qual era o seu 'Nintendinho brasileiro' preferido?

A Chips do Brasil fabricava controles competentes para todos os consoles e também arriscou o seu Nintendo. Além de ter um controle que junto com o Turbo também possuía a função Slow, que diminuía a ação dos jogos, seu design era semelhante ao do Super Famicom, o Super NES japonês.

 

RetroArkade: Qual era o seu 'Nintendinho brasileiro' preferido?

MENÇÃO HONROSA: E não tem como não terminar esta matéria com ele que por si só merece um espaço na RetroArkade: o Polystation. Você já viu/ouviu alguma história de alguém que “ganhou um Playstation” e ao ligar o aparelho descobre que no lugar de CD o videogame vinha com uma entrada com cartuchos e a euforia foi pro brejo depois disso?

Pois bem, tenho certeza de que esta história aconteceu um monte de vez e o clone de Nintendo com cara de Playstation que vem “direto da China” para nossas salas fez sucesso a sua maneira, com componentes de qualidade duvidosa e mesmo não tendo nada a ver com Reserva de Mercado, nem com consoles fabricados no Brasil com garantia (ha ha!), o Polystation merecia ser lembrado neste material.

 

E você? Qual o seu Nintendo preferido? Detonava com um Phantom System ou com um Dynavision 3 Radical? Hora de relembrar quando podíamos escolher o nosso Nintendinho preferido no Mappin.

17 Respostas para “RetroArkade: Qual era o seu ‘Nintendinho brasileiro’ preferido?”

  • 31 de agosto de 2014 às 11:30 -

    Douglas Rodrigues

  • O meu, sempre foi o Dynavision 3. Principalmente porque vinha acompanhado de fones de ouvido stereo! (a entrada era no controle).Época boa! 

  • 31 de agosto de 2014 às 12:31 -

    Kleiton

  • Tive um nintendinho original quando era mlq… depois troquei por um dynavision 3… bons tempos!Lembro que fui na feira trocar uns jogos com o pessoal e achei um chip sem carcaça, levei pra casa e era o jogo Contra! Fiquei igual a pinto no lixo kkkkk

    • 31 de agosto de 2014 às 12:47 -

      Junior Candido

    • Uma vez comprei uma fita sem etiqueta por 10 reais. Coloquei no SNes e era Donkey Kong Country… original! :)

  • 31 de agosto de 2014 às 14:01 -

    Saulo

  • Eu tenho o Hi-Top Game da Milmar e correção: o botão select não fica no console, fica no controle mesmo.  Os botões do console são o Lig.Desl.  e Reset.

    • 31 de agosto de 2014 às 14:08 -

      Giovani

    • Exatamente.Meu amigo tinha um destes.O console é muito bem feito,e o botão é “Reset” mesmo,só o controle que é pequeno em relação ao Phantom,isso pode atrapalhar um pouco.

  • 31 de agosto de 2014 às 14:03 -

    Giovani

  • Embora o Dynavision seja o mais famoso devido sua forte presença em revistas e na TV(como prêmios em programas do SBT,por exemplo) acredito que o Phantom System seja o mais icônico e lembrado console Nintendo da época.Joguei muito no Phantom mas tive um Turbo Game CCE,este console com a vantagem das duas entradas(60/72 pinos) tinha um ótimo hardware ,a fonte era dentro dele e praticamente não esquentava.A CCE acertou a mão nele.

  • 31 de agosto de 2014 às 15:45 -

    Edgar

  • Tive um TOP GAME da CCE, lembro que veio um jogo de helicoptero junto bem difícil e sem final hhehehe. Bons tempos!

    • 31 de agosto de 2014 às 16:24 -

      Giovani

    • Tiger Heli.Coisas da geração NES/SMS he he he. :)

  • 31 de agosto de 2014 às 16:53 -

    jhenrrike

  • eu tive o nitendinho originalm mesmo com o jogo mario 3 e o jogo de onlempiadas que vinha junto com 1 tapete! mais aprendi a distravar ela era so arrancar a 4 perninha do chip da placa mae dele e ai pegava os cartuchos todos tinha ate o adptador pra pega fica pequena!

  • 31 de agosto de 2014 às 20:04 -

    Raphael Cabrera

  • Nostalgia pura! Eu tinha um Phantom System

  • 31 de agosto de 2014 às 21:56 -

    rodrigo

  • Eu tive um Microgenius. Não sei como meu pai conseguiu ele. Rodava jogos de 60 pinos e eu tinha o adaptador.

  • 1 de setembro de 2014 às 19:04 -

    Marck

  • Nunca vou esquecer quando minha mãe me deu um Dynavision 3 de natal, era a coisa mais foda que tinha naquela época.  #valeumãe

  • 2 de setembro de 2014 às 07:57 -

    Renan do Prado

  • Joguei muito no Magic Computer de um amigo meu!!!! Lembro que até comercial de TV tinha!!!!!

  • 2 de setembro de 2014 às 10:04 -

    Eduardo

  • O meu foi o Top Game. Adorava esse videogame!  Mesmo sendo da CCE como disseram aí, foi o videogame que durou mais tempo na minha mão. Boas lembranças!

  • 2 de setembro de 2014 às 22:00 -

    Rone

  • eu tinha dynavision 3 era show de bola na época 

  • 22 de maio de 2015 às 01:48 -

    Julio Montalvão

  • Na época quase meu sobrinho morreu de desgosto quando ganhou um destes Polystation

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *