RetroArkade: Side Pocket é sinônimo de sinuca no videogame até hoje

10 de agosto de 2014
Autor: Junior Candido

RetroArkade: Side Pocket é sinônimo de sinuca no videogame até hojePresented By Data EastSide Pocket! Se estas palavras fazem algum significado em sua vida, pedimos a gentileza de relembrar conosco nesta RetroArkade o jogo que até hoje é sinônimo de sinuca virtual.

Para alguns, um esporte como qualquer outro e para outros, um jogo obscuro envolvendo botecos, apostas e brigas. Não importa. Os dois pontos de vista podiam a partir de sua própria casa em 1987, quando o NES recebeu o primeiro Side Pocket, o jogo que definiu a maneira de se jogar sinuca digital e que rende frutos até hoje, como o recém-analisado Pure Pool para PS4.

Vale lembrar também que a Arkade já tem uma matéria interessante sobre esta lenda. Como a RetroArkade tem uma proposta onde a nostalgia fala um pouco mais alto que a análise, os dois materiais podem se completar e vale muito a pena ler os dois textos.

E antes de começar, preciso compartilhar e relembrar sobre o melhor jogador de sinuca de todos os tempos. Com vocês, Tio Phil do Maluco no Pedaço “zerando” a mesa!

Assim como International Superstar Soccer que definiu em seu tempo a maneira de se jogar futebol nos videogames, Side Pocket também “ensina” como um bom jogo de sinuca deve ser feito. Outros jogos existiam antes dele, como o Billiards para os Atari 8-bit. Mas eram jogos estranhos e até difíceis de se entender.

No jogo, uma “turnê” envolvendo de disputas locais a mundiais ofereciam desafio crescente. E caso você achava que o jogo “nasceu” no Super Nintendo, fique sabendo que além do jogo ser mais velho do que você pensa, esta versão é um remake. O jogo de NES oferecia tudo o que você conhece e gosta: pontos por bola derrubada (e a necessidade de atingir um número X de pontos para passar de fase), a força e efeito específico para cada jogada e até as caçapas que ofereciam mais pontos (ou chances de jogadas especiais) aleatoriamente já existiam antes do Super NES aparecer.

Até as jogadas especiais estavam presentes, e tudo obviamente apresentado de maneira “inferior” (gráficos e som) por razões óbvias. Veja o primeiro Side Pocket e relembra (ou conheça) a sensação de sinuca em sua primeira aparição:

E alguns anos depois, o “remake” foi ao ar. Mas pra nós (inclusive este que vos escreve) foi a primeira vez. E foi o típico amor a primeira vista: como era gostoso jogar Side Pocket! O clima “Vegas” te fazia se sentir naqueles bares luxuosos com meia luz e uma vida tipo Born to Run ao pegar sua moto e ir até a próxima cidade competir. A música embalava e te trazia a paciência necessária para acertar cada bola (afinal o jogo terminava quando errava um número de jogadas, mas te dava todo o tempo do mundo para fazer uma tacada).

O controle evoluiu o que o NES oferecia, inclusive com os “novos” botões L e R auxiliando para uma maior precisão e os desafios envolvendo as taças (ah, essas taças…) que descabelavam mais ainda os jogadores que queriam mais desafio. Desafio que o jogo oferece e muito: quando você pega um jogo que exige habilidade e estratégia semelhante a um jogo real de sinuca, apesar de ter algo difícil em mãos, não é o jogo difícil que vai te fazer desistir. Pelo contrário, Side Pocket te convida a ensaiar e tentar novas jogadas a todo momento.

Pelo menos comigo funcionou por bons 20 anos.

Claro que hoje você “zera” mais fácil assistindo um vídeo no Youtube e imitando todas as jogadas indicadas, mas quem nunca passou a madrugada toda tentando passar da segunda fase? Ou tentando passar dos primeiros desafios? Sim, Side Pocket pode ser encarado como um jogo difícil, porém ele não é frustrante.

Diferente do NES, agora não havia a “escalada ao sucesso” partindo do torneio local e terminando no mundial. Agora os torneios eram disputados nos EUA em cinco cidades: Los Angeles, Las Vegas, San Francisco, Nova Iorque e Atlantic City, onde o troféu de melhor jogador de todos o aguada. No caminho, mesas variadas e os desafios com taças (que também podem ser jogados à parte).

Também houveram versões para 32-bit. Side Pocket 2 (exclusivo de Saturn), que como qualquer jogo do começo da geração 32-bit se tratava de uma versão dos jogos antigos com gráficos e músicas atualizadas (Isso sempre aconteceu, ouvir? Pra quem reclama dos jogos “relançados” para o PS4 e Xbox One).

E Side Pocket 3, para Saturn e Playstation, que foi lançado apenas no Japão. Que além de trazer o “mesmo de sempre” trouxe algumas “inovações” como um negócio que tenta ser uma exploração no estilo Sonic Jam mas que parece um Resident Evil sem zumbi (e sem tiros e sem enigmas e sem nada) onde desafios acontecem em uma mesa 3D. Sabe quando inventam moda demais e estragam uma boa ideia? Pois é exatamente o que acontece aqui.

E como é jogar Side Pocket hoje? É DEMAIS! Quando minha cabeça está cheia de jogos com tanta informação e tanta coisa para se fazer ao mesmo tempo, sem mencionar notificações de celular e iPad e tudo o que a nossa vida moderna enfrenta, não tem nada melhor que desligar todas essas parafernalhas, manter apenas o Super Nintendo ou Mega Drive e a TV ligados, curtir a boa trilha de Jazz e jogar descompromissado o jogo, mesmo que seja a primeira e a segunda fase umas vinte vezes.

Então, meu caro amigo ou minha cara amiga saudosita: a RetroArkade existe para dois motivos: o primeiro, o mais óbvio é relembrar grandes jogos ou itens da cultura gamer. E o segundo é que mesmo por um curto período de tempo, você possa aproveitar um tempo relembrando os bons momentos que os jogos mencionados ofereceram. Por isso, dê um jeito de relembrar este clássico o quanto antes. Você não vai se arrepender.

4 Respostas para “RetroArkade: Side Pocket é sinônimo de sinuca no videogame até hoje”

  • 10 de agosto de 2014 às 18:58 -

    leandro leon belmont alves

  • eu joguei apenas uns 30 minutos desse jogo, pois gostava mais de ver alguém experiente jogar nas locadoras do que eu mesmo fazer isso, e a trilha sonora era bacana também. você se sentia num bar vendo a ação do jogo realmente

  • 11 de agosto de 2014 às 15:35 -

    Carlos Schneider

  • Cara obrigado por relembrar esse jogo que marcou minha infância. Jogava sempre num buteco que tinha na rua de baixo da minha casa de precisar da minha mãe ir lá me buscar kkkk.  Até hj tenho essa musiquinha de fundo grudada na cabeça.

  • 11 de agosto de 2014 às 15:41 -

    Jarlison

  • Eu tinha esse jogo, que chamávamos carinhosamente de sinuquinha, bom jogo pra jogar com os amigos…

  • 13 de agosto de 2014 às 07:32 -

    Felipe B. Barbosa

  • Demais! Esse é jogo é muito bom! Porém, nunca consegui finalizá-lo! :(Mas quem sabe um dia? :)Belo artigo! Parabéns!

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *