Conheça Day of Infamy, jogo da II Guerra que valoriza o multiplayer

4 de setembro de 2016
Autor: Rodrigo Seger

Conheça Day of Infamy, jogo da II Guerra que valoriza o multiplayer

No início deste ano a New Interactive World fez algo um pouco diferente quando lançou um mod de Insurgency que transformou o Oriente Médio do jogo Insurgency nas frentes da Segunda Guerra Mundial. A popularidade foi tanta que resolveram lançar uma versão standalone completa do mod através do Steam Early Access, trazendo jogadores de volta a uma era familiar dos FPS sem tantos acessórios para te ajudar no gameplay. Day of Infamy irá introduzir mais mapas, novas armas e recursos, e está custando R$ 35 desde o lançamento que foi em 28 de julho. E depois de algumas horas jogando com a M1 Thompson, estou ansioso para atacar mais algumas praias.

Mas é através desse combate mais realista, de ritmo mais lento que o Day of  Infamy estabelece as bases para um jogo de tiro multiplayer que, acima de tudo, valoriza o trabalho em equipe e coordenação. Cada um dos mapas que você luta, tem objetivos que mais se pareciam com os tipos encontrados no Insurgency. Em Bastogne, por exemplo, que se luta por um ponto de controle neutro. Se o inimigo capturar primeiro, eles poderiam, então, ir para o nosso território e capturar um segundo ponto que garante a vitória. Como uma equipe, é necessário defender simultaneamente o nosso próprio ponto enquanto correpara retomar o neutro e virar o jogo.

Através de tudo isso existe as ondas de reforço, o que permite que jogadores mortos em ambos os lados possam reaparecer periodicamente e se juntar à luta. Cada grupo tem apenas um determinado número de ondas, no entanto, toda vez que capturar um objetivo elas podem encher de volta o número de ondas. Assim como em Insurgency, este é um excelente jogo que cria momentos incríveis de tensão, como sendo o último homem vivo e conseguir capturar um objetivo, fazendo com que surja das cinzas toda a equipe.

Day of Infamy não é apenas um mod de Insurgency com uma variedade de cores verdes e algumas armas familiares, mas apesar de tudo, há novas mecânicas que foram adicionadas que o tornam um FPS distinto em seu próprio direito.Talvez o mais notável para um jogador novo será o bombardeio de morteiro que constantemente vai estar caindo na sua cabeça. Os jogadores podem escolher jogar como o Oficial da sua equipe, e com a ajuda de outro soldado, que se escolher por renunciar a alguns equipamentos em favor de um rádio, pode chamar um bombardeio.

E eles também destacam o Day Of Infamy pela comunicação de voz embutido no jogo. Quando se fala em chat local, os inimigos podem ouvir você, se eles estiverem perto o suficiente, e eu adorei ouvi-los gritando quando ouviam o apito penetrante dos morteiros.

Lança-chamas é um outro bônus que pode realmente semear a destruição no campo de batalha, mas também apresentam algumas oportunidades interessantes, se você conseguir disparar com uma arma de calibre grande no tubo de combustível, ele explode em chamas. Calibre inferior pode fazer um dano, fazendo com que o combustível vaze, tornando o lança-chamas inútil. Embora, eu vou ter que admitir que eu estava muito ocupado sendo queimado vivo por eles para conseguir acertar um tiro bastante preciso no tanque de combustivel.

Com todo lançamento independente traz para a mesa, Day of Infamy me deixou surpreso. A ênfase na comunicação e o trabalho de equipe fez por alguns momentos maravilhosos nas poucas horas que eu joguei, e a New Interactive World demonstrou mais uma vez que eles sabem o que fazem para deixar o combate multiplayer emocionante. A Segunda Guerra Mundial poderia ter sido sugada pelos FPS do passado, mas o Day of Infamy me provou que há algo de novo para esse clássico gênero.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *