Revista Arkade #57 – Os melhores jogos de 2012

28 de dezembro de 2012
Autor: Arkade

Revista Arkade #57 - Os melhores jogos de 2012

Revista Arkade #57 - Os melhores jogos de 2012 Revista Arkade #57 - Os melhores jogos de 2012

Clique aqui para assinar a revista Arkade.

A Arkade é uma revista digital totalmente gratuita. Venda proibida.

49 Respostas para “Revista Arkade #57 – Os melhores jogos de 2012”

  • 28 de dezembro de 2012 às 16:08 -

    FeeH

  • Começando a ler em 3 , 2 , 1 …

    • 28 de dezembro de 2012 às 16:24 -

      FeeH

    • Excelente lista dos melhores do ano, só faltou o Ac 3 e Hitman que podia ter um lugar ai , e o que falar ( escrever ) do Walking Dead que ta muito modinha ¬¬ ate nos jogos .

      • 28 de dezembro de 2012 às 18:45 -

        DanielWarfare

      • Você ta com tanta raiva assim de The Walking Dead só porque ele desbancou o Assassin’s Creed III? LOL

      • 28 de dezembro de 2012 às 18:58 -

        Kubrick Stare Nun

      • Quando eu ainda só tinha jogado os dois primeiros episódios de TWD eu também estava achando ele um pouquinho overrated, mas depois eu joguei o resto do jogo e… não sei porquê, começou a cair ciscos nos meus dois olhos o tempo todo.

      • 28 de dezembro de 2012 às 22:14 -

        FeeH

      • Eu não me importo pelo AC 3 ou Halo 4 ter perdido e o TWD ter ganhado , pois não vou ganhar nada com isso ! fica a dica pra você !!! , só disse que ele não é melhor que Ac3 , Dishonored , Halo 4 e outros que concorria , ele é um excelente jogo ! , porém está muita modinha em torno a série , igual aqueles cantores colorido que são uma bosta e ganhará vários prêmios pois tem muitas fãs que ficam na internet votando ! Entendeu o que eu quis dizer ou quer que eu desenhe kk !

      • 28 de dezembro de 2012 às 23:08 -

        Henrique Gonçalves

      • Cara, mas ai que está a coisa. The Walking Dead The Game não tem NADA A VER com a série, se você jogar o jogo e depois comparar a série com os quadrinhos você verá como o jogo é muito mais cativante, emocionante e pesado quando os quadrinhos. Este talvez seja um dos jogos que eu mais aconselho a todos comprarem, porque ele realmente fez um roteiro impecavel que faz o jogador realmente se importar os personagens que estão em sua volta;.

      • 29 de dezembro de 2012 às 22:41 -

        Bruno

      • Você não ta sabendo distinguir modinha de coisa boa, se tem gente que “vota na internet”, é por que tem que ser mainstream? O Universo do The Walking Dead é muito bom, ele não é só uma história sobre zumbis, e sim sobre a sobrevivência em grupo num apocalipse zumbi. Toda a tensão que personagens do mesmo grupo causam, os conflitos de opiniões, o modo de agir, as brigas entre grupos diferentes, a prioridade de um lugar seguro dos mortos vivos e recursos… tudo isso da um ar de tensão intenso, tanto pro HQ, pra série ou pro jogo.
        Até agora o universo de The Walking Dead foi explorado de uma forma correta, só que as pessoas tem uma visão de que tudo que é muito, não é bom. Eu só acho que esse FPS de TWD que tão fazendo não é uma boa ideia, mexer com personagens importantes da série é perigoso. Espero que saia coisa boa.

      • 29 de dezembro de 2012 às 22:55 -

        Bruno

      • Pera aí Henrique, eu concordo com tudo, mas o jogo não é mais pesado do que o HQ nem a pau. O nível de violência dos quadrinhos é até exagerado as vezes. Se você não se importa com spoilers (do HQ) lê essa parte aqui, da Michonne torturando o governador:
        http://www.maxmangas.com.br/the-walking-dead/33/1/

      • 30 de dezembro de 2012 às 00:26 -

        Renan do Prado

      • “só que as pessoas tem uma visão de que tudo que é muito, não é bom.”

        Concordo plenamente. Esse é um dos problemas da geração atual.

    • 29 de dezembro de 2012 às 01:20 -

      DanielWarfare

    • Nada a ver cara. Como o Henrique disse, o jogo não tem nada haver com a série, além do nome, é claro. A historia é separada, mesmo que exista um ou dois personagens dos quadrinhos/serie no jogo.

      Mas eu acho que foi justo TWD ganhar como jogo do ano. Pois eu aposto que você não consegue nem fazer um top 5 com o seguinte tema:”Jogos cujo final fez vários jogadores chorarem”. O que eu quero dizer é o seguinte:

      Tivemos vários jogos esse ano, mas só um conseguiu cativar seus jogadores a ponto de faze-los chorar. E se isso não é incrível, eu não sei o que é incrível. Pode falar o que quiser, mas que é merecido, isso é. Mesmo eu, que não gosto de TWD, admito isso.

      E mesmo falando tudo isso, eu ainda me divirto mais com Dishonored e Hitman, mas TWD mereceu…é uma coisa estranha, mas ele mereceu LOL.

    • 12 de janeiro de 2013 às 16:37 -

      Nino

    • quando sai a revista 58?

  • 28 de dezembro de 2012 às 16:17 -

    DanielWarfare

  • Mas que capa maravilhosa…vou ler agora mesmo XD

  • 28 de dezembro de 2012 às 17:15 -

    leandro(leon belmont) alves

  • lerei agora.

    • 28 de dezembro de 2012 às 17:54 -

      leandro(leon belmont) alves

    • li a Revista, e achei legal resumir os lançamentos do ano. Dishonored é legal e pá….mas não pago pau. desde quando numa busca por vingança, o herói não mata ninguém? que droga! eu zerei o game e dei o jogo a um primo de enjoado que estava do game.

      Far Cry 3 ainda não tenho, mas espero ter em breve.

      Journey é um dos games que fiquei seco para jogar,mas é de PS3…Max Payne é Chuck Norris Style desde o PS2. terei esse game e admitam. o povo pagou um pau monstro por esse jogo devido ao game se passar no Brasil. se fosse na Argentina, queria ver esse hype todo.

      Black OPS 2….BAH! duplo BAH!

      Street vs Tekken?é sério isso? o game que mostrou que a Capcom é uma FPD de primeira categoria. sem falar que nada a ver o choque de mundos, como é que Asuka ou Xiaoyu iriam enfrentar Akuma? é feito mandar um fusquinha trombar com um Trem bala. até mesmo Sakura e Cammy teriam uma chance contra ele pois estão do mundo de Street. do Tekken, somente Jin,Heihachi,Kazuya e Paul teriam condições de enfrentar Ryu e seus amigos. Persona 4 Arena merecia o destaque nessa area. pois traz a sensação do Auge da SNK, como KOF ou Real Bout.

      esse é problema dos brasileiros gamers, sempre preferem jogos conhecidos a se aventurar a explorar outros games que podem ser melhores do que os jogos com um marketing maior. tsc, tsc.

      Torchlight é muito bacana,admito e Diablo 3…cara, é batata! TODO GAME que ponho a minha expectativas gigantes e até jogue e goste, o planeta inteiro acha defeitos no jogo…não dá para entender, sério. a minha unica reclamação do jogo é que achei muito fácil comparado a Diablo 2. mas é gosto. fazer o que?

      e cadê Hitman Absolution e Bordelands 2 caras? eles mereciam estar na lista.

      • 28 de dezembro de 2012 às 18:43 -

        DanielWarfare

      • Porque toda vingança tem que ter morte? e pelo o que eu me lembre, o jogo não te obriga a jogar de algum jeito, ao contrario, você escolhe como seguir. Se não quiser matar ninguém, essa será sua escolha. E se quiser matar todo mundo, você pode fazer, só deve arcar com as consequências.

        Dá para ter o final bom matando, só não se deve matar os civis.

        Só estou tentando mostrar que Dishonored é um jogo que qualquer um pode jogar. Quer da uma de postal e matar tudo? pode ir lá!!! quer dar uma de Snake e ser discreto? pode ir lá!!! quer um equilíbrio entre esses dois? pode ir lá.

        A primeira vez que joguei, eu não matei quase ninguém. Foi um pouco enjoativo, mas depois de ter finalizado o jogo. Eu pude re-jogar o mesmo de uma forma muito diferente. Matando tudo a volta!!! e acredite, isso nunca enjoa. Ai quando eu estava enjoado de matar tudo, eu voltava a jogar o mesmo de uma forma diferente…e assim se inicio um ciclo vicioso que até hoje eu encaro.

        Dishonored, junto com Hitman Absolution, foram os melhores jogos do ano na minha opinião. Joguei o tão vangloriado “Assassin’s Creed 3” e achei que o mesmo não tinha o mesmo brilho que AC e ACII tinham. Joguei a maioria dos lançamentos desse ano, e acho que fora Max Payne 3, os outros não se destacaram tanto assim.

      • 28 de dezembro de 2012 às 19:32 -

        leandro(leon belmont) alves

      • só que Daniel, tem aquela coisa de final bom. e SEMPRE banco o bom samaritano em qualquer jogo. até em Postal 2 nem saía tocando o Rebú, acredite se quiser. e faço o melhor final a qualquer custo. vou fazer o final ruim para quê?

        e fiquei grilado com isso, que para fazer o final bom, é necessário não matar ninguém. eu somente matei 4 guardas e nem foi numa mesma fase. até os Weepers evitava matar. pois até no final bom, eles tem algo a haver na zerada…e isso me incomodava nas missões. eu passavas horas numa missão onde tinha que esperar o momento para atacar os guardas e atordoa-los ao invés de ser mais prático e matar todo mundo.

        em AC e Hitman, os heróis matam uma nação inteira e ainda tem zerada legal para eles, porque não aqui caramba? que diabos….

        antes da metade do game, nem queria mais jogar de tanto tédio. e nem tem personagens marcantes. a Emily deve ter problema cara, ela vê a mãe morrer na frente dela, fica sequestrada por seis meses e sabe Deus o que os bandidos faziam com ela e quando resgatada, não sei dizer. ela não passa sentimento pelo Corvo.

        mas é um bom game. mas eu não rejogaria esse game.

      • 28 de dezembro de 2012 às 20:41 -

        DanielWarfare

      • Mas o agente 47 e os assassinos VIVEM disso. É o trabalho deles. Corvo só é um ex-guarda que quer recuperar sua tão querida filha(de tanto jogar esse jogo, eu achei a maioria dos easter eggs, e tem vários que indicam que ela é a filha dele).

        Mas concordo. A Emily me pareceu muito tranquila para alguém que perdeu a mãe e foi sequestrada logo depois. Mas olhe pelo lado bom, Dishonored virou uma franquia. Já que devido as vendas, o jogo irá ir até o numero 3! :D

      • 28 de dezembro de 2012 às 23:20 -

        Henrique Gonçalves

      • Só tenho uma coisa a dizer sobre o seu comentário Leandro, eu acho que se Max Payne 3 ambientasse na Argentina nós ficariamos mais felizes ainda porque estariamos matando argentinos hauauhauhauha.

      • 28 de dezembro de 2012 às 23:29 -

        Renan do Prado

      • E todos os bandidos da Argentina teriam a cara do Tevez e Masquerano. O chefão do crime seria o Maradona, e nesse eu teria o prazer de descarregar todo o pente de uma M249-E2 SAW. Ou melhor, de uma bela M61 Vulcan!!!

      • 29 de dezembro de 2012 às 23:08 -

        Bruno

      • Você ta falando besteira. Os soldados você pode matar a vontade que não vai interferir pro final ruim. Você só não pode matar civis.

  • 28 de dezembro de 2012 às 19:05 -

    Kubrick Stare Nun

  • Bem que podiam ter colocado Hitman e Mark of the Ninja ao invés de Halo e Call of Duty. Foram de muito mau gosto essas duas escolhas.

    • 28 de dezembro de 2012 às 19:18 -

      leandro(leon belmont) alves

    • de Halo até gosto. mas o Black Ops é mais do mesmo, ainda com os 5 finais. eu no caso faria o pior final.

      adoro explosões! hehehehehe.

      • 29 de dezembro de 2012 às 23:26 -

        Bruno

      • Black Ops 2 não é mais do mesmo cara, eu concordo que os outros podiam até ser. Eu só comprava Call of Duty por causa do multiplayer mesmo,
        Mas BO 2 é um jogo completo. Você tem a campanha com história muito cativante (melhor chefão que eu já vi em um jogo), vários finais que são definidos através de várias escolhas que você tem que decidir, você escolhe o jeito que você joga, o cenário é bem mais aberto pra você seguir o caminho que você quiser pra chegar no objetivo. Tem o multiplayer que ta muito divertido e equilibrado. E o modo Zombies, que é o que eu mais passei tempo jogando. É muuuuito divertido joga tranzit com os amigos, parece que quando mais você joga mais coisa você descobre, tem o modo aflição também, que é muito legal ficar “trollando” os inimigos pra eles perderem.
        Resumindo, é um jogo completo. Se você quer diversão ele tem, se você quer história ele tem, se você quer um jogo mais sério e competitivo também tem. A Treyarch calo a boca de muita gente com esse jogo, mas parece que não foram todas não.
        Mas agora você, me da um motivo pra Black Ops 2 ser mais do mesmo.

      • 30 de dezembro de 2012 às 00:32 -

        Renan do Prado

      • Ele é FPS, esse é o principal motivo. O que é curioso pois não vejo reclamações de “aff, mais um jogo de corrida onde o objetivo é vencer em 1º”, nem “aff, mais um jogo de luta que tenho que ser campeão vencendo todos”, e muito menos vejo comentários do tipo” aff, mais um RPG, tô cansado de ter que tomar um monte de decisões e viajar pro lugar que for pra coletar um anel pra um cara que não quer sair da própria cidade”.

        FPS é tão mais do mesmo quanto QUALQUER jogo existente.

        O dia que inventarem o game mais divertido do mundo e todo mundo dizer que precisa ter continuação, o dia que sair o game com o número 2 no nome, já condenarão.

        Infelizmente é isso o que eu vejo sempre. Se Limbo tiver um novo jogo, “Limbo 2”, que já foi até que “prometido”, não importa se será muito bom, veremos comentários “jamais devia ter saído do 1”, por melhor que o game seja.

        Tal como o multiplayer do GOW Ascension. Foi anunciado, condenado sem ninguém ter jogado, e é algo incrivelmente divertido e que me fez quase perder uma madrugada inteira jogando.

      • 30 de dezembro de 2012 às 06:54 -

        leandro(leon belmont)alves

      • simples, prefiro o Modern Warfare do que Black Ops. joguei o primeiro BO e era só legal, não era fodástico como MW. as fases do BO achei chatas na sua maioria. apenas gostei da fase que controlamos Reznov. e de boa, as cenas de BO eram copiadas na cara dura de Rambo e outros filmes de guerra dos anos 80 e 90. e não gostei de BO 2 por se passar no passado e no futuro. mesmo que a história seja explicada, isso embola as coisas.

        pelo menos concordo que Menendez é um FDP de primeira categoria.

      • 30 de dezembro de 2012 às 13:11 -

        Kubrick Stare Nun

      • Renan:
        Quem disse que o problema é só ele ser um FPS? Me desculpe, mas me parece que essa suposta “crítica” você acabou de inventar. E sobre os FPS x RPG/Corrida/Luta, se você contar todos os títulos de grande porte lançados nos quatro generos você vai perceber que o número FPSs no mercado é muito maior do que o que tem se você somar todos os outros três gêneros, e além disso; há muito mais variedade no gameplay de jogos de RPG e Luta (talvez não corrida) do que há no gênero do FPS.

        O problema de COD é simplesmente este: Ele é uma “milk cow”; um jogo feito sem nenhum prósito além de arrancar o máximo de dinheiro possível do público, devido a esse propósito ganancioso que é ditado pelos “engravatados” COD sempre apela para o “mínimo denominador comum” usando a mesma formula extremamente genérica e burra: get guns + shoot “bad guys” + repeat. Tendo no máximo a eventual variação online: get guns + shoot your friends + swear like a dumbfuck teenager + repeat.

        E, talvez o pior de tudo, Call of Duty é um pináculo da glorificação da máquina de guerra capitalista; é um jogo onde os “heróis” americanos matam os “vilões” do resto do mundo usando das armas produzidas pelo multibilhonario complexo militar-industrial dos EUA. COD não faz nada além de aumentar o número de jovens norte-americanos debilódes que viram “bucha-canhão” para o seu exército genocida.

      • 30 de dezembro de 2012 às 13:55 -

        Renan do Prado

      • Eu digo isso pois essa é a visão que muitos me passam. Eu já vi gente falando “mais um FPS? Certeza que será igual qualquer outro”, e logo depois esse mesmo FPS era considerado um dos melhores já lançados.

        Não é invenção, é algo que eu vejo, quando comparei a outros gêneros, o que quis dizer que se a fórmula de FPS já está batida por sempre se repetir (já vi gente dizer que o mundo sem FPS seria um lugar melhor), não é diferente de qualquer outro gênero.

        Porém, temos todo tipo de game diferente dentro de cada gênero, que o renovam ou ao menos se diferenciam de outros games, mas ainda assim, cada um tem seus elementos comuns.

        Já vi gente dizer que não importa se é CoD ou Battlefield, “é FPS, é lixo”. Foi por isso que eu fiz esse comentário. Pois já vi muita gente que pensa da forma que eu descrevi.

      • 30 de dezembro de 2012 às 14:19 -

        Kubrick Stare Nun

      • É.. falar que todo FPS é ruim é uma generalização tola, pois tem sempre um Far Cry da vida que consegue ser bastante divertido. Mas vamos combinar; esses FPS genéricos que não adicionam nada ao modelo de gameplay tradicional além de quicktime events cansam.

    • 28 de dezembro de 2012 às 22:50 -

      Rodrigo Pscheidt

    • Então, estes jogos só não entraram mesmo porque a gente definiu que cada um escolheria apenas um jogo.

      Confesso que me doeu deixar Mark of the Ninja de fora, e o Henrique só se decidiu por The Walking Dead aos 45 do segundo tempo, depois de ver a “magnitude” do game.

      Sua escolha inicial provavelmente era Hitman, mas sabe como é, todo mundo que joga The Walking Dead se apaixona por ele. =D

      Porém, se ele fizesse de Hitman, Sleeping Dogs não entraria, pois eu falaria sobre The Walking Dead.

      Eu adorei Sleeping Dogs, mas confesso que foi com dor no coração que deixei para trás Fez, Mark of the Ninja, Darksiders II e principalmente Skullgirls, que para mim é o melhor jogo de luta lançado não só este ano, mas em um bom tempo.

      Enfim, a ideia era não deixar a lista democrática e não muito extensa, mas é fato que todos da equipe tiveram que deixar para trás muitos ótimos games para escolher só um. =)

      • 28 de dezembro de 2012 às 23:29 -

        Henrique Gonçalves

      • Complementando o que Rodrigo falou: Neste ano muitos jogos foram extremamente divertidos, nesta semana aconteceu a promoção do steam e eu comprei Hotline Miami, e devo dizer que quase me arrependi em escolher The Walking Dead pela insana diversão que Hotline Miami me deu nos primeiros minutos de jogo.

        O que eu quero dizer é, muitos jogos desde Hitman Absolution, Hotline Mami, Mark of The Ninja, Borderlands 2, Fez e vários outros perderam seus lugares porque acabou sendo uma lista democrática para cada escritor e colaborador da Arkade que sentiu que aquele foi o jogo do ano.

        Particularmente mesmo titubeando um pouco com Hotline Miami, eu não poderia deixar de lado The Walking Dead, um jogo que me deixou pela primeira vez chorando de verdade por causa do seu final. E isto para mim mostra como videogames podem ser fortes tanto quanto outras formas de entretenimento e mídia.

      • 28 de dezembro de 2012 às 23:34 -

        Renan do Prado

      • (ainda) não joguei o The Walking Dead, um dia vou jogar. Mas como foi dito, na hora de montar a lista, tivemos que fazer escolhas as vezes difíceis, escolher entre um game ou outro, imagina a dor no coração que alguns de nós sentimos por deixar um game de lado!!! Eu por exemplo fiquei com vontade de falar de Slender, pois mesmo sendo um game gratuito, foi uma das melhores surpresas de 2012. Mas… Journey é Journey!!!

      • 29 de dezembro de 2012 às 00:32 -

        Kubrick Stare Nun

      • Putz, realmente tiveram que fazer umas escolhas crueis ein? Deve ser o mesmo sentimento que se tem jogando TWD :D

  • 28 de dezembro de 2012 às 19:05 -

    m0zilla

  • Bem eu entendi a moral da revista; 15 caras = 15 jogos na revista

    Mas se cada 15 caras pudessem escolher 2 jogos, seria otimo porque acho que faltou muitos jogos nessa revista como bordelands 2, AC III, Hitman, CS global offensive etc…

    FELIZ ANO NOVO ARKADE!!!

    • 28 de dezembro de 2012 às 20:02 -

      Renan do Prado

    • Essa foi a ideia!!!! Cada um deu sua própria opinião de qual foi um dos melhores jogos do ano pra cada um!!!!

  • 28 de dezembro de 2012 às 19:21 -

    Victor

  • AC já deu que tinha que dar mesmo… E TWD foi merecido game of the year, quase chorei no final.. Emocionante. :)

  • 28 de dezembro de 2012 às 19:51 -

    Giselle

  • Ótima edição, mas o AC 3 e o RE 6 não merecem uma menção?? Quanto ao Journey, maravilhoso meu favorito este ano!!

    • 28 de dezembro de 2012 às 20:37 -

      DanielWarfare

    • Assassin’s Creed III eu até acho que merece ser mencionado. Mas Resident Evil 6? claro que não estou falando mal da sua opinião. Mas para mim, esse jogo é o pior de 2012. Talvez ele mereça o premio de “o pior jogo do ano” ou do “melhor jogo não jogável do ano” LOL

    • 28 de dezembro de 2012 às 20:50 -

      Raphael Cabrera

    • RE 6 mereceria se fosse uma edição piores do ano heheh

  • 29 de dezembro de 2012 às 06:24 -

    Wilson Silva

  • Cara eu to puto com uotra coisa eu sei que não te nada aver mas eu tenho que desabafar , a coisa que me deixa mais puto da vida é quando eu chego na locadora e um noob qualquer diz (cara vou jogar resident evil6 e muito legal) pts mano só porque e ó 6 , da vontade de fazer que nem o palhaso do mundo canibal só que em vez de biscoito eu meto o disco no meio da cara de .

    E resident 5 e muinto mas superior tanto na jogabilidade quanto no grafismo , RE6 e muinto facil , no RE5 eu joguie no veterano é passei maus bucados no game sem contar na dificuldade profisional que é muinto mas muinto dificil mesmo até agora ñ vi niguem zerar sem armas infinitas , ja RE6 em veterano eu quebrava todo mundo no casete quase ñ gastava bala é ainda saia com metade do life, sem contar que no RE6 ñ é muinto viciante parece que só aquilo o jogo inteiro śo aquelas amars ao contrario do RE 4 e 5 que cada vez que agente zera libera alguma coisa !.

    É jente a capcom acabou com a franquia do game mas fazer o que né sé o verdadeiro gamer é fã da franquia esta sendo desvalorizado !

    Bem valew abraço espero não ter falado de mais .

    • 29 de dezembro de 2012 às 06:00 -

      leandro(leon belmont) alves

    • embora não tenha entendido quase nada do que você falou, acho que concordo….

      e velho, RE é do 1 ao Code Veronica.

      • 29 de dezembro de 2012 às 12:05 -

        m0zilla

      • RE 6 é tão ruim quanto seu português xD

      • 30 de dezembro de 2012 às 11:53 -

        Wattylla

      • “…e velho, RE é do 1 ao Code Veronica.” Assino embaixo!:)

    • 29 de dezembro de 2012 às 12:43 -

      DanielWarfare

    • Acho que nosso amigo acima queria explicar o porque de RE6 ser superior ao RE5. E depois de ler, com certa dificuldade, eu concordo com ele.

      • 30 de dezembro de 2012 às 11:55 -

        Wattylla

      • DanielWarfare, não quis dizer “inferior”? xD

    • 30 de dezembro de 2012 às 17:31 -

      Patrick Lima

    • Cara, na boa … até tentei ler seu ponto de vista, mas é tanto erro de Português que desisti.

  • 30 de dezembro de 2012 às 21:06 -

    Edivaldo Nunes Suero

  • fresco do mometo

  • 30 de dezembro de 2012 às 22:55 -

    Isaac Sousa

  • Sempre falta algum jogo nessas listas então denunciarei o jogo que falta na da Arkade: Persona 4 Ultimate Mayonaka Arena

  • 8 de janeiro de 2013 às 13:21 -

    vitor

  • Qual programa vc usa para fazer a revista ?

  • 10 de janeiro de 2013 às 20:23 -

    Scarlet

  • Eu gosto muito da revista, mas posso ser um pouquinho chata? Gostava mais do estilo da revista antiga, onde falavam sobre vários assuntos numa mesma revista. Achava mais dinâmica e, até mesmo, mais interessante. Até mesmo essa revista de agora, parece mais um resumo dos jogos do que propriamente uma opinião. Não digo que é ruim, mas acho que era melhor como antes.
    Mas enfim, no geral gostei da lista, só achei que faltou mesmo o Hitman :)

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *