Tribuna Arkade: ex-jogadora de Counter-Strike é condenada a 116 anos de prisão por estelionato

4 de março de 2020
Autor: Rodrigo Pscheidt
Tribuna Arkade: ex-jogadora de Counter-Strike é condenada a 116 anos de prisão por estelionato

A jovem Shayene “shAy” Victorio, que até recentemente era uma pro-player de Counter-Strike: Global Offensive, foi condenada a 116 anos de prisão. O motivo? Ela era sócia de uma loja online acusada de não entregar as compras dos clientes.

De acordo com a sentença, proferida pela juíza Daniella Camberlingo Querobim, da 3ª Vara Criminal de São Paulo, a empresa de comércio online da qual shAy era sócia foi acusada de não efetuar a entrega de dezenas de pedidos entre os anos de 2013 e 2017.

Isso infringe o artigo 171 do código penal brasileiro, que criminaliza o ato de “obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento”.

O comércio online de qual shAy era sócia envolvia mais duas pessoas, seu pai e seu ex-marido, que parece ser o maior culpado. Além de denúncias de mais de 180 clientes que foram lesados por produtos nunca entregues, a quebra de sigilos bancários, fiscais e de e-mails antigos da ex-jogadora de CS:GO confirmaram a fraude, após uma extensa investigação por parte do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO).

Tribuna Arkade: ex-jogadora de Counter-Strike é condenada a 116 anos de prisão por estelionato

Um comunicado postado no Instagram de shAy (imagem acima) acusa o colunista Leo Dias (que noticiou em primeira mão a condenação) de ser tendencioso, visto que a maneira “irresponsável” com que a notícia foi dada poderia manchar a imagem de Shayene, que não estaria diretamente envolvida com o caso.

O TechTudo conseguiu uma nota do advogado de shAy, que reproduzimos na sequência:

“Se trata de uma empresa do ex-companheiro de Shayene e que de maneira indireta lhe afetou. Foi um problema de administração das empresas e que após uma busca e apreensão questionável, fez com que a empresa não conseguisse fazer a entrega de produtos a alguns consumidores, falamos alguns, pois a empresa tinha mais de 10.000 vendas e entregas. Conforme conta no feito, o valor destes 116 consumidores foram creditados em juízo e várias ações estão ajuizadas pela Mega Vendas.

Estamos recorrendo da sentença que foi absurda e o valor reclamado pelos consumidores não atinge R$ 50.000,00, bem como foram creditados em ações no âmbito cível, devolvidos e tudo por força de atos arbitrários que estão sendo discutidos e recorridos

Nas alegações e embargos de declaração que enviamos em anexo, consta reclamação da acusada, contra atos arbitrários na busca e apreensão e que comprovam que a promotoria deixou de devolver mais de 5.000 notas que comprovam a lisura da empresa.

Shayene hoje está sendo alvo de difamação na internet, com pessoas criando páginas falsas para atacá-la, simplesmente com intuito de fofocas e maldades, o que a compeliu em uma ação indenizatória de conhecimento de Vossa Senhorias. Vamos recorrer da sentença que consideramos desumana, esperando nova decisão e sob o manto do princípio da inocência, pois somente pode ser alguém considerado culpado, quando houver o trânsito em julgado da sentença condenatória.

Consideramos levianos os atos de terceiros que estão com finalidades espúrias, buscando resolver problemas pessoais e com finalidade a autopromoção. Agradecemos o respeito que esta coluna nos direcionou e anexamos cópias das alegações finais e embargos feitos nos autos“.

Ou seja, pode ser que a culpa seja apenas do ex-marido, afinal de contas. Porém, shAy era sócia do comércio online acusado de estelionato, e obviamente, quando a m*rda bateu no ventilador, respingou nela também.

shAy ficou conhecida no cenário competitivo de CS:GO entre os anos de 2008 e 2019. Atuou por diversos clubes nacionais de eSports, como aiMuse, FireGamers, GamerHouse, ProGaming, Santos e Vivo Keyd. Em maio do ano passado, ela anunciou sua “aposentadoria” dos eSports. Atualmente, ela namora o goleiro Jean, do Atlético Goianiense.

(Via: TechTudo)

Uma resposta para “Tribuna Arkade: ex-jogadora de Counter-Strike é condenada a 116 anos de prisão por estelionato”

  • 7 de março de 2020 às 11:45 -

    Jair

  • De estelionataria para maria chuteira….ahhhhh,mulheres…..

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *