Análise Arkade: Relembrando o passado dos point-and-clicks com bonecos de massinha em Armikrog

24 de agosto de 2016
Autor: Renan do Prado

Análise Arkade: Relembrando o passado dos point-and-clicks com bonecos de massinha em Armikrog

Estava com saudades dos clássicos games feitos com massinha e animações em stop-motion? Então se prepare para Armikrog!

O gênero point-and-click volta e meia reaparece nos dias atuais, esse estilo de jogo já não é mais tão popular como era antigamente, mas jamais deixou de ser bom. E pelas mãos dos mesmo criadores de Earthworm Jim, chega Armikrog prometendo ser o sucessor espiritual do clássico The Neverhood. Hora de ver como o game se saiu!

O RETORNO DOS BONECOS DE MASSINHA

Análise Arkade: Relembrando o passado dos point-and-clicks com bonecos de massinha em Armikrog

Armikrog já começa nos agradando por esse simples fato, ele é um game feito com bonecos de massinha em técnica de animação stop-motion, isso por si só é algo muito bonito de se ver, até porque, exceto casos de pessoas anormais gosto pessoal, todo mundo gosta de bonecos de massinha, e animações com esses bonecos são muito legais de ver, pela simplicidade e “complexidade”, afinal, é um simples boneco de massinha se mexendo de várias formas diferentes na frente da tela, um trabalho que na vida real leva muito, muito tempo pra se fazer.

O game chega trazendo de volta a experiência pura dos point-and-clicks mais clássicos, então se você nunca jogou esses títulos mais antigos, vai precisar se acostumar com a forma que o game progride para pegar o jeito. Armikrog é bem old-school, o que significa que ao iniciar o game, você tem apenas um mouse e sua mente pra resolver os puzzles e seguir em frente, e mais nada. Nenhum tutorial, nenhuma dica, nem nada.

A BUSCA PELA SOBREVIVÊNCIA

Análise Arkade: Relembrando o passado dos point-and-clicks com bonecos de massinha em Armikrog

Armikrog conta a história da última esperança da população do planeta Ixen de sobreviver, enviando três irmãos astronautas para o planeta Spiron 5 em busca de cristais de P-Tonium, que são cristais poderosos o bastante para gerar a energia necessária para salvar todo o planeta Ixen.

Dos três irmãos, controlamos o mais novo e com menos experiência entre eles: Tommynaut, acompanhando de seu fiel cachorro-alienígena falante Beak-Beak. Com um pouso violento, Tommynaut chega ao planeta e é calorosamente recebido por criaturas sedentas por sangue, e vê como única salvação se refugiar em uma fortaleza que acabou encontrando, um lugar cheio de mistérios e armadilhas chamado Armikrog. Agora cabe a ele e a seu cão superarem os diversos puzzles de Armikrog, enquanto se aprofundam em sua misteriosa história.

O game possui uma história simples, mas bem desenvolvida. Porém cabe ao jogador ir atrás de sua história para conhecê-la melhor. A história do game se desenvolve através de algumas cutscenes habilitadas em momentos específicos, mas para entendê-la, caberá ao jogador querer isso. A maioria da história é contada de forma direta por criaturas estranhas que encontramos ao longo da jornada, inicialmente em sua estranha língua, enquanto elas nos apresentam desenhos e símbolos para ilustrar tudo. Até o momento em que conseguiremos entender o que elas falam, e aí, cabe ao jogador procurar novamente cada criatura para ouvir novamente suas histórias de forma possível de se entender, ou não.

Análise Arkade: Relembrando o passado dos point-and-clicks com bonecos de massinha em Armikrog

Essas criaturas no entanto contam apenas a história presente, pois se o jogador quiser, pode ler a história completa da fortaleza de Armikrog em um mural encontrado em uma área do game, esse mural possuem muitos textos contando toda a história de seus moradores e da construção da fortaleza, uma história realmente cativante e interessante, porém muito extensa. A menos que o jogador tenha o hábito de leitura, não se interessará em ler toda a história, que é realmente muito grande, mas felizmente muito detalhada.

Por outro lado, o game não aproveita para contar melhor as histórias de Tommynaut Beak-Beak, deixando ambos os personagens com poucos diálogos e interações entre si. O que é realmente uma pena, pois ambos são bastante carismáticos, mas o próprio game não os expande. E seria muito legal ver os personagens conversando entre si em vários momentos, e não andando pra lá e pra cá em total silencio.

PUZZLES DE ESMAGAR CÉREBROS DE MASSINHA

Análise Arkade: Relembrando o passado dos point-and-clicks com bonecos de massinha em Armikrog

Como todo bom pont-and-clickArmikrog possui puzzles bem desafiadores. Basicamente porque o game não dá nenhuma dica “amiga” de como resolvê-los. Por exemplo, nos dias de hoje, estamos acostumados com games em que quando encontramos um puzzle, um pequeno tutorial aparece explicando como o puzzle funciona, para que aí possamos resolvê-lo. Em Armikrog não. Você encontrou um puzzle? Se vira rapá! A tarefa é sua entender e resolver o puzzle.

Por si só isso já torna o game desafiador, pois os puzzles não são fáceis. Ao longo do game encontramos formigas personificando antigos presidentes americanos que nos dão dicas sutis de como resolver alguns puzzles. Por isso, a atenção aos detalhes é crucial, pois uma dica recebida poderá ser usada só mais pra frente, e se você esquecer da dica, terá que voltar todo o caminho para relembra-la.

E como o game não dá nenhuma dica, há algo que alguns jogadores podem acabar nem mesmo percebendo: Beak-Beak é um personagem jogável! Basta clicar nele e ele poderá ser controlado por você. Ambos os personagens são necessários para resolver os puzzles. Beak-Beak pode entrar em espaços apertados, apertar botões no chão ou perto do chão, ao comer um item que Tommynaut o dá, ele ganha asas e pode voar, e pode engolir itens encontrados no chão e vomitá-los para que Tommynaut os apanhe… e guarde dentro de seu próprio peito! Enquanto isso, Tommynaut fica encarregado de operar manivelas, portas, painéis e botões de máquinas e em alturas que Beak-Beak não alcança.

GRÁFICOS SONS

Análise Arkade: Relembrando o passado dos point-and-clicks com bonecos de massinha em Armikrog

Na verdade, não precisamos falar muitos dos gráficos. Como já dito, Armikrog é feito com animação em stop-motion utilizando bonecos de massinha, sendo assim, os gráficos são exatamente os próprios bonecos de massinha e os cenários construídos com diferentes materiais. A maioria dos cenários é feita manualmente, assim como os bonecos de massinha. Mas algumas das áreas possuem montagens gráficas aliadas aos cenários artesanais, contando com animações computadorizadas.

Porém algumas áreas não ficaram tão bem como poderiam. Como mencionado, a história completa da fortaleza de Armikrog pode ser encontrado em uma sala do game, escrita em um mural, o texto é muito longo e dividido em várias colunas de texto nesse mural, obrigando o jogador a clicar em cada uma das colunas para ler tudo. O problema é que as telas que aparecem para lermos os textos possuem uma péssima resolução. O fundo é hora escuro demais ou não é claro o suficiente para ser agradável aos olhos. E as letras possuem uma resolução bem baixa, para se ter uma ideia, sabe quando você dá um zoom em uma tela na internet e as letras ficam desfocadas? É exatamente assim. Fora isso, a maioria das áreas possui um visual bem legal, e que muitas vezes esconde coisas úteis de forma bastante sutil, nos fazendo achar que na verdade são simplesmente decoração.

Na parte sonora o game mande bem em alguns pontos, mas não muito bem em outros. As músicas do game são empolgantes e inspiradas, com detalhe na música de abertura do game, que conta a história do planeta Ixen e dos três irmãos viajando em busca do P-tonium. 

No game em si, a maior parte do tempo o game fica em silêncio absoluto, apenas quebrado pelas ações do jogador. Na verdade,n não é bem um silêncio absoluto, pois em algumas áreas tem música tocando, mas tão baixo que mal podemos ouvir, algo estranho, pois são músicas que, apesar de terem como propósito apenas “preencherem o silêncio”, são boas. Fora o silêncio, tempos os passos de Tommynaut Beak-Beak, que nem sempre são ouvidos, provavelmente por algum bug na parte sonora. Infelizmente o game fica alternando entre áreas com bos efeitos sonoros, e áreas onde os sons parecem falhar.

E infelizmente o game foi lançado com um estranho bug onde nenhum texto aparece na tela. As telas de menu do game são feitas também com massinha e textos digitais “colados” por cima. Porém eles não apareciam. Um patch á foi lançado para corrigir esse erro, mas se mesmo assim você passar por isso, a forma de “corrigir” esse problema é mudar o idioma de seu sistema operacional para inglês. Uma solução incomum, mas que funciona. Falando em menus, o game possui saves automáticos, então você não precisa se preocupar em perder o seu progresso ao encerrar o game, porém, para dar load em seu progresso, você deve entrar no menu de opções do game. Algo estranho, visto que é padrão em todo game existente mesmo de gerações passadas ter a opção de iniciar um novo jogo ou continuar um jogo salvo na tela principal de menu.

Felizmente, as dublagens dos personagens é muito boa, e apesar de ouvirmos suas vozes poucas vezes ao longo de todo o game, elas fazem bem na hora que aparecem. Uma pena que os personagens não foram muito bem explorados no game, o que certamente renderia bons diálogos e muitas cenas hilárias.

CONCLUSÃO

Análise Arkade: Relembrando o passado dos point-and-clicks com bonecos de massinha em Armikrog

Armikrog é um ótimo game, que com certeza vai agradar os jogadores que ansiavam por um point-and-click mais “de raiz”. O alto desafio do game certamente consumirá muitas horas dos jogadores para resolver seus puzzles complicados. O game agrada facilmente fãs de longa data de point-and-clicks e até aqueles não muito familiarizados com o gênero, desde que tenham em mente que enfrentarão longas horas para conseguir entender e resolver tudo.

Armikrog é um jogo curto, o que dá uma certa sensação de o game na verdade poderia (e deveria) ter sido muito maior. Mas vale lembrar que Armikrog tornou-se realidade graças a seu projeto no Kickstarter, que conseguiu arrecadar quase $ 1 milhão, sendo que a meta do projeto era de $ 900 mil.

No fim, Armikrog é realmente um bom jogo, com ótimos (e bem difíceis) puzzles, uma boa história, principalmente para quem tiver paciência de ler o mural no game, que conta uma história realmente emocionante. E as animações com bonecos de massinha dão o toque especial no game! Esse é um game recomendado pra quem quer um bom desafio e ter que martelar a cabeça além do normal.

Armikrog está disponível para PCs desde setembro do ano passado. No dia 23 de agosto deste ano, o game chegou ao PS4, Xbox One e WiiU.

Uma resposta para “Análise Arkade: Relembrando o passado dos point-and-clicks com bonecos de massinha em Armikrog”

  • 7 de outubro de 2015 às 12:28 -

    Podegoso Shumy

  • Esta na minha lista de Natal do fim do ano.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *