Análise Arkade: pegando altas ondas no divertido Surf World Series

9 de setembro de 2017
Autor: Rodrigo Pscheidt

Análise Arkade: pegando altas ondas no divertido Surf World Series

Convenhamos: o surf é um dos esportes mais mal representados no mundo dos games. O pessoal do Climax Studios faz um bom trabalho para reverter isso em Surf World Series, jogo simples, mas competente e cheio de manobras radicais!

Aprenda a jogar jogando

O foco de Surf World Series são os torneios, porém, antes de encarar os desafios pra valer, passamos pela Escola de Surf, uma praia artificial com ondas “infinitas” onde o jogo tenta nos ensinar o básico de seu gameplay.

Análise Arkade: pegando altas ondas no divertido Surf World Series

Tenta? Pois é: o tutorial do jogo é super raso, e passa as instruções de maneira bem superficial. Para piorar, ele é daqueles que te obriga a cumprir os objetivos antes de poder avançar, o que acaba sendo bem mais desafiador do que muito do jogo em si.

Confira um pouco de gameplay e algumas manobras no modo Free Surf:

Confesso que passei quase uma hora no tutorial, e depois de finalizado, ainda fiquei um bom tempo no modo Free Surf — sem placar, sem limite de tempo, nem nada — simplesmente para me habituar aos comandos e pegar a manha dos saltos e manobras. Recomendo que faça o mesmo, pois é bom estar preparado antes de ir para os torneios.

Pegando ondas

Acho que desde o bom e velho California Games que os jogos de surf são um pouco complicados de se dominar, e aqui não é diferente. O gameplay não é realmente complexo, mas tem uma curva de aprendizado bem ampla, e o fator sorte também deve ser levado em conta, uma vez que o comportamento das ondas é um tanto aleatório.

Análise Arkade: pegando altas ondas no divertido Surf World Series

Achei bem legal que aqui temos coisas que não lembro de ter visto em outros jogos de surf, como remar na prancha para alcançar a onda ou se agachar para surfar dentro do tubo (imagem acima). E se der bobeira perto da crista da onda, pode simplesmente perder o timing e ser ultrapassado por ela.

Para se manter na onda, o lance é ficar “ziguezagueando” em uma zona segura (leia-se longe da arrebentação) Conforme enche os medidores no rodapé da tela, você pode “programar” manobras, que serão executadas assim que você realiza um salto.

Análise Arkade: pegando altas ondas no divertido Surf World Series

As manobras mais legais compreendem sequências de 3 botões, e possuem diferentes graus de complexidade. Aterrissar com perfeição também concede mais pontos, então preste atenção nisso e alinhe sua prancha pouco antes dela tocar a água. Como em Tony Hawk, também é possível fazer uma espécie de ollie, equilibrando-se bem no limiar de onde a onda quebra.

Depois que você pega a manha do jogo, surfar se torna um verdadeiro prazer, e encadear várias manobras em combos cada vez mais irados torna-se um desafio extra, que deve ser aperfeiçoado caso você queira chegar aos torneios mais exigentes.

Surfando pelo mundo

O principal modo de jogo de Surf World Series compreende uma série de torneios, que começam no nível amador e vão até o profissional, passando por meia dúzia de praias em locais emblemáticos pelo mundo — inclusive o Brasil, em uma praia “genérica” que parece ambientada em Fernando de Noronha.

Análise Arkade: pegando altas ondas no divertido Surf World Series

Ainda que o nível de dificuldade vá subindo — você precisa fazer mais e mais pontos — não existe lá muita variedade de tipos de desafios. Em algumas fases você tem um tempo livre para surfar, e a média de suas 2 melhores baterias deve superar o mínimo estipulado pelo jogo. Temos ainda desafios de sobrevivência (fique na onda sem cair) e outros onde em cada onda você precisa superar a pontuação estipulada. Se forem 3 ondas consecutivas e você falhar na terceira, começa da primeira novamente.

Confira abaixo meu gameplay de um evento completo:

Fora isso, existe um ou outro desafio extra, mas não se pode negar que variedade não é o forte aqui. Talvez isso seja inerente ao surf em si, que não possibilita uma ampla gama de sub-modalidades, mas estou só chutando, sem conhecimento de causa.

Depois que encarar (ou enjoar) dos torneios, você pode tentar encontrar outros jogadores para partidas online, mas durante os meus testes não consegui experimentar este recurso. Fora isso, o modo Free Surf sempre é uma boa pedida quando você quer simplesmente relaxar e pegar umas ondas sem stress.

Audiovisual

Ainda que não seja o jogo mais bonito já feito com a Unreal Engine 4, Surf World Series tem seu charme. Os personagens são bem modelados, e algumas manobras são tão mirabolantes que eu realmente tenho minhas dúvidas se algum surfista consegue executá-las na vida real. Nenhum surfista famoso está presente no game, mas, entre os genéricos, temos uma surfista brasileira.

Análise Arkade: pegando altas ondas no divertido Surf World Series

Não há muita variedade de praias, mas todas são são bem bonitas e o fato de haver mudanças climáticas (sol, entardecer, noite, chuva, etc.) muda bastante “a cara” de uma praia já conhecida. O pôr-do-sol refletido no mar é muito bonito, e este tipo de efeito dá um belo upgrade no visual como um todo.

Sem locução nem vozes, o que sobra é o som do mar, das gaivotas, e o rockzinho competente de algumas bandas das quais ninguém nunca ouviu falar, mas combinam bem com a vibe do game.Não é uma trilha memorável como a de um Tony Hawk, por exemplo, mas cumpre seu papel.

Conclusão

Considerando a escassez de jogos de surf, Surf World Series é facilmente recomendável para os fãs do esporte. Complexo em sua simplicidade, o game oferece uma experiência um tanto rasa, mas honesta e divertida na maior parte do tempo.

Análise Arkade: pegando altas ondas no divertido Surf World Series

Seja você um surfista amador ou um simples admirador do esporte, o que temos aqui é uma boa representação digital do esporte. Faltam marcas famosas e nomes conhecidos, mas quem sabe a Climax não consegue uns patrocínios para uma sequência, caso este jogo faça sucesso? Considerando que seu preço é bem apetitoso (e há demos gratuitas disponíveis em todas as plataformas), quem curte pegar umas ondas — e levar uns caldos — sem dúvida vai curtir.

Surf World Series foi lançado em 30 de agosto. O game está disponível para PC, Playstation 4 e Xbox One, e possui menus e legendas em português brasileiro.

2 Respostas para “Análise Arkade: pegando altas ondas no divertido Surf World Series”

  • 11 de setembro de 2017 às 10:43 -

    Muniz

  • Não adianta… o melhor jogo de surf foi e sempre será o Transworld Surf. Graficos descentes, com cenarios bem contemplativos, trilha sonora competente e uma good vibe do cacete.

    • 11 de setembro de 2017 às 11:09 -

      Rodrigo Pscheidt

    • Eita, esse eu não joguei. :(

      Acho que o último de surf que joguei antes desse do review foi o Surf Riders, do bom e velho PSOne. Não era lá um baita jogo, mas era divertido.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *