Duke Nukem: Critical Mass (PSP, DS) Review – Testosterona portátil

21 de abril de 2011
Autor: Carlo Henrique

Duke Nukem: Critical Mass (PSP, DS) Review - Testosterona portátil

Depois de muito tempo na geladeira, Duke Nukem vai voltar à ativa ainda esse ano em Duke Nukem Forever, game que está sendo desenvolvido a mais de 10 anos e já passou por diversos adiamentos.

Após tanto tempo longe do mercado, é claro que apenas um jogo seria pouco para marcar o retorno de uma série que já foi tão querida por gamers, é por isso então que a Gearbox Software resolveu não lançar apenas um jogo, mas uma trilogia para marcar o retorno da saga de Duke.

Critical Mass, lançado pela Deep Silver para PSP e Nintendo DS, é o primeiro desta lista, e mesmo sendo apenas um aperitivo para o que está por vir, consegue divertir tanto quanto os games do Duke da década de 90, e deixar uma ótima expectativa pelo enrolado Duke Nukem Forever.

Lançado no dia 11 de Abril, Critical Mass não traz o FPS tradicional da série, mas sim o shoot’em up em terceira pessoa, semelhante ao modelo utilizado no clássico Duke Nukem: Time to Kill.

Na trama, Duke mais uma vez está trabalhando para o governo americano. Ele acabou de voltar de uma missão e encontrou o mundo inteiro sofrendo ataques de alienígenas comandados pelo Doutor Próton, que para variar planeja dominar o mundo, desta vez usando um artefato chamado Fusion Cell, que lhe dá controle sobre criaturas mecanizadas muito poderosas.

Com isso, além de derrotar de vez o vilão, Duke deve também visitar diversas localidades do mundo inteiro, derrotar essas aberrações robóticas e então encontrar e guardar as partes da Fusion Cell que representam tamanha ameaça.

Duke Nukem: Critical Mass (PSP, DS) Review - Testosterona portátil

Os gráficos de Critical Mass são bons, dadas as limitaçõs dos portáteis. Em ambos os consoles se trata de um 3D um pouco restrito, mas o jogador pode movimentar a câmera para observar os arredores, além de poder ver acima do personagem procurando escadas e novos locais para exploração.

Os cenários são grandes e bem variados, e os modelos dos personagens são simples, mas convincentes. O único problema é que as tradicionais mulheres que Duke sempre ficam muito longe da câmera e não dá para vê-las direito. Fora isso, não há nenhum bug gráfico evidente no jogo, e a variada paleta de cores – que remete aos games dos anos 90 – deixa o visual sempre agradável.

Em algumas partes, o jogador encontra inimigos afastados do cenário. Nessas horas, pode-se buscar cobertura nas paredes, para causar um melhor tiroteio, e assim derrotar o inimigo com apenas um disparo dependendo da arma.

Duke Nukem: Critical Mass (PSP, DS) Review - Testosterona portátil

As músicas trazem a mesma essência da década de 90, um rock n’ roll tradicional com ritmo puxado para a ação dramática que contribui ainda mais para reforçar a personalidade de Duke e a própria ação do jogo, sem deixar de fazer referência às localidades que o personagem visita durante a história.

Cada lugar apresenta uma música, mas sempre existe um trecho nostálgico na música  para lembrar o jogador que é com Duke que ele está jogando. Se exterminar alienígenas utilizando rifles, metralhadoras, armas de choque e até bazucas já é divertido, fazer isso com Duke certamente faz a diversão triplicar, pois ele é um ícone da testosterona gamer.

Para variar, o personagem esbanja personalidade com seus jargões e frases de efeito. Já no início do jogo, ao saber da situação caótica, Duke solta um “that really pisses me of”. No decorrer da ação, você ouvira outras frases inspiradas, muitas delas dirigidas às mulheres que devem ser salvas. Cada vez que Duke salva uma das donzelas, solta pérolas como “I am the master of your domain, baby” ou “I’m on a mission right now, but you are my next mission”. Macho e hilário como só Duke consegue ser!

Duke Nukem: Critical Mass (PSP, DS) Review - Testosterona portátil

Outro detalhe bacana do jogo são as referências a outras famosas obras de ficção. Um exemplo: em cima de um prédio Duke encontra uma geladeira muito antiga, mas não dá atenção. Um tempo depois esse prédio explode, e a geladeira cai intacta ao lado de Duke, deixando um chapéu marrom rolar para fora. Referência mais do que óbvia ao filme Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal, onde o famoso arqueólogo usa uma geladeira para escapar de uma explosão nuclear. Além disso, Duke pode executar o eficientíssimo roundhouse kick, golpe imortalizado pelo ator Chuck Norris em seus filmes da década de 80.

O jogo ainda oferece bônus para o número de inimigos que você derrotou, a quantidade de segredos encontrados, as mulheres salvas, e outros critérios. De qualquer forma, a diversão do jogo está sempre focada em agradar pela nostalgia que o personagem Duke e sua forte personalidade conseguem despertar nos jogadores.

A jogabilidade é um dos poucos pontos em que Duke Nukem Critical Mass causa certa estranheza: ela é boa, mas consegue incomodar em alguns momentos. isto por que ela sofre pequenas alterações em momentos específicos do game, como situações onde se deve voar com um jetpack ou atirar com um rifle sniper.

Duke Nukem: Critical Mass (PSP, DS) Review - Testosterona portátil

O mais complicado porém, fica na hora de enfrentar os chefes: a câmera muda de posição, o botão do tiro se torna o botão de controle da câmera e o direcional fica meio preso. Demora um pouco para se acostumar com essas mudanças, e considerando que os chefes são difíceis, não espere passar por eles sem morrer algumas vezes. Dito isso, é importante ressaltar que este Duke Nukem é um jogo difícil, mas por outro lado, os continues são infinitos e os saves são automáticos, o que torna a difuculdade nem tão frustrante.

O fator nostalgia e a ação intensa fazem deste Duke Nukem: Critical Mass um dos melhores jogos de ação para o DS e PSP lançados este ano. Com suas 6 horas de gameplay, o game consegue divertir qualquer jogador, mesmo os não familiazados com a irreverência do herói.

O fato de ser um jogo simples mata  temporariamente a saudade que tínhamos da macheza de Duke, mas deixa uma  vontade muito forte de encarnar o personagem em um game maior, com gráficos melhores e uma nova missão de salvar o mundo.

Se tudo correr bem, poderemos matar esta vontade em breve, com o lançamento de Duke Nukem Forever que, se não for adiado novamente, deve chegar às prateleiras no dia 14 de junho.

5 Respostas para “Duke Nukem: Critical Mass (PSP, DS) Review – Testosterona portátil”

  • 21 de abril de 2011 às 14:23 -

    Fabiano Almeida

  • Legal, vou jogar muito no meu PSP.

  • 21 de abril de 2011 às 22:15 -

    Eduardo

  • Olá!
    Gostaria de saber se a versão do psp já saiu,e se não saiu quando será lançada? Este atraso no psp pode ser para uma possível melhoria gráfica?

    • 23 de abril de 2011 às 14:42 -

      Carlo Henrique

    • A versão americana do DN não saiu ainda, eu joguei a versão européia do jogo, que saiu dia 8 de abril, para ambos os portateis, dá uma procurada e não se preocupe, da para jogar em inglês também.

      • 23 de abril de 2011 às 22:42 -

        Eduardo

      • Tá osso pra conceguir encontrar do psp eu só acho do ds!
        ;/ Desisto se poder me manda uns links de download via email porque aqui acho que não é permitido (eduardo_duga@hotmail.com) desde já agradeço!

  • 22 de abril de 2011 às 11:54 -

    André Ricardo

  • Só eu vi o Nemesis ????

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *