Jogamos Darksiders II: Deathinitive Edition, em sua visita à atual geração

9 de novembro de 2015
Autor: Junior Candido

Jogamos Darksiders II: Deathinitive Edition, em sua visita à atual geração

O apocalipse só não continua, como ganhou mais resolução e fez uma visita na atual geração. Vem com a gente conferir nossas impressões com o Darksiders II para Playstation 4 e Xbox One.

Três anos se passaram, a THQ — que publicou o jogo — nem existe mais, porém Darksiders continua fazendo muito sucesso entre os fãs. Tanto é que entre a espera por um Darksiders III é imensa, já que pelo visto o tema apocalipse, somado ao seu jeitão “God of War” e seus quebra-cabeças chamaram muita atenção. E seguindo a tendência lógica do mercado gamer, chegou o momento de pegar Darksiders II, deixá-lo com visual em 1080p a 60 fps, trazer toda a experiência do game original de Playstation 3 e Xbox 360 e colocar na prateleira, seja para quem nunca jogou o game, ou pra quem quer ver “como ficou o game em full HD”.

Darksiders II foi tema da nossa Revista Arkade #42, e na época falamos que o game “era um jogo extremamente divertido de se jogar, e mesmo após decepar a cabeça do milésimo demônio, você ainda estará entretido com a jogabilidade”. Também foi mencionado as qualidades do jogo, que é a ação combinada com exploração, fazendo um excelente conjunto e não cansando o jogador do gameplay tão facilmente. Afinal de contas, estamos falando de um game que é preferido exatamente pela jogatina, já que histórias e afins acabam sendo “irrelevantes” entre os fãs.

Jogamos Darksiders II: Deathinitive Edition, em sua visita à atual geração

Tudo bem, anos se passaram, novos consoles chegaram e com eles evoluções do gênero, como Bloodborne, por exemplo. E como o segundo Darksiders se sai ao final de tudo isso? Tem espaço ainda para chamar atenção dos gamers, mesmo com seus gráficos “ultrapassados” (mas em 1080p)?

Tudo o que o Darksiders II original oferece, temos na atual geração: horas e horas de gameplay, exploração detalhista dos cenários e ação desenfreada para ir passando pelos cenários de jogo. Porém o que é mérito do jogo pode se tornar também um problema, pois nada de novo foi somado ao jogador, tirando as melhorias gráficas, claro. É, falando em termos de gameplay, o mesmo jogo com os mesmos comandos e os mesmos quebra-cabeças. Uma dungeon nova já seria suficiente para que jogadores veteranos pudessem olhar com bons olhos o título, mas o mais do mesmo pode afastar os mais necessitados por um gameplay interessante.

Jogamos Darksiders II: Deathinitive Edition, em sua visita à atual geração

Por fim, Darksiders II: Deathinitive Edition vai atender mesmo três públicos bem específicos: os jogadores que vivem com a curiosidade de saber como seu jogo preferido se comporta com gráficos melhor definidos e os “idolatrados” 60 fps, o pessoal que tem saudades do Darksiders II mas não podem jogá-lo pois venderam seus consoles da geração passada e só tem um da atual e quem deixou passar o título três anos atrás e quer um excelente jogo de ação com aventura.

Darksiders II: Deathinitive Edition já está nas prateleiras com versões para Playstation 4, Xbox One e PC e continua um excelente jogo, embora não ofereça nada de novo para os veteranos, que aguardam ansiosamente a terceira parte da saga.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *