Korn surpreende em São Paulo com seu baixista de 12 anos, Tye Trujillo

20 de abril de 2017
Autor: Junior Candido

Korn surpreende em São Paulo com seu baixista de 12 anos, Tye Trujillo

O Korn se apresentou em São Paulo ontem (19), no Espaço das Américas, e apresentou músicas de seu novo álbum, o The Serenity of Suffering, além de tocar alguns de seus clássicos dos vinte anos de carreira da banda. O público presente conferiu um show sem grandes surpresas, mas com a competência de sempre da banda que tem mais de duas décadas de história.

O show, que contou com a acertada decisão de colocar Robertinho de Recife na abertura, trouxe com ele clássicos do rock internacional e nacional, respeitando a nossa história e mostrando a qualidade de uma das primeiras bandas de metal do Brasil.

Mais do mesmo, que bom!

Korn surpreende em São Paulo com seu baixista de 12 anos, Tye Trujillo

Um problema que o Korn enfrenta é em relação a continuação de seu legado na música. Embora sejam ainda uma grande banda, dona de grandes sucessos, seu último disco não traz o mesmo impacto que músicas no passado trouxeram, denunciando uma certa estagnação do gênero. Mas o público presente respeitou todos os momentos do show, curtindo todas as músicas, incluindo partes de One e de We Will Rock You, covers do Metallica e do Queen, que eles inseriram entre uma música e outra.

Mas é claro que o público foi mesmo para as alturas quando a banda, na metade do show, começou a tocar Freak On a Leash, Falling Away From Me, Blind, e vários outros hits da “era MTV”, mostrando que, embora a banda precise tocar suas músicas novas para divulgar o seu trabalho, o mais do mesmo mostra que a banda continua com fôlego, continua com suas músicas na cabeça de um público que envelheceu com a banda e, também, que é necessário uma espécie de revolução para algum próximo trabalho, para não contarmos com um Korn refém apenas de seus clássicos.

Jonathan Davis, pelo contrário, mostra o mesmo entusiasmo de sempre, trocando poucas palavras com o público, para cantar mais. O cara ainda consegue cativar todo o público a todo momento, esbanjando o carisma de duas décadas e mantendo o ritmo frenético do show, que conta com poucas e rápidas paradas, para que a música não parasse durante a hora e meia de show. O problema nunca será a banda, que continua firme e forte mandando bem, e sim as suas músicas novas, que não chamam tanto atenção como as mais antigas chamaram um dia.

Prazer, Tye Trujillo

Mas, com certeza, o que chamou mesmo a atenção no palco foi ver “aquele garotinho” chacoalhando o cabelão e tocando seu baixo como se não houvesse ninguém presente. É claro que estamos falando de Tye Trujillo, filho do Robert Trujillo do Metallica, que substituiu Fieldy, que não veio para os shows do Korn na América Latina. Para um instrumento que não é tão observado assim pelo grande público, o baixo do Korn ganhou um gás totalmente novo com a presença de Tye.

Não é de hoje que os fãs do Metallica e rock em geral conhecem o talento do moleque, que não sentiu a pressão de tocar em nenhum momento, chegando a solar em determinado momento no palco e assumindo a frente na hora de One, demonstrando o futuro brilhante que ele tem pela frente. Tye também assumiu muito bem o “posto” de Fieldy, tocando todas as músicas de maneira bastante semelhante ao baixista do grupo, não “deixando saudades” para o titular.

Porém, não foi apenas “um cover”: Tye mostrou, além de talento, muita personalidade, chamando a responsabilidade quando preciso e fazendo muito mais do que “tocar bem”. O garoto tem fibra e conta com todas as condições de fazer seu nome no rock, seja tocando em uma banda já existente ou fundando a sua própria.

Sem momentos marcantes, mas satisfação garantida

Acabamos de curtir o @korn_official e o som da banda contagiou o #EspaçoDasAméricas

A post shared by Arkade (@revistaarkade) on

O Korn não gerou nenhum momento “marcante” em seu show, com exceção da presença de Tye no palco. A banda simplesmente tocou suas músicas, com a competência que lhe é confiada, e “só”. Porém, isso não significa nada ruim, pois mostra que a banda continua bastante ativa e competente, garantindo a satisfação de todos os presentes no Espaço das Américas.

O show foi mais como um reencontro de banda e fã, com uma proximidade bem íntima entre ambos, que garantiu bons momentos e boa música, mostrando que o Korn, embora precise sim se reencontrar em seus bons e velhos tempos dos anos 90 e 2000, ainda garante muita coisa boa para seus fãs, e todos aqueles que curtem rock.

O Korn se apresentou ontem (19) em São Paulo, e se apresentará em Curitiba (21/04) e em Porto Alegre (22/04).

Fotografado e filmado com iPhone.

Uma resposta para “Korn surpreende em São Paulo com seu baixista de 12 anos, Tye Trujillo”

  • 21 de abril de 2017 às 10:41 -

    Carlos Schneider

  • Lendo a matéria já me fez lembrar da munhequeira q usava, vodka barata com refri q tomava com os amigos e o tempo q baixava Korn pelo Emule pra ouvir no Winamp enquanto madrugava no MSN.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *