Testamos o Amazon Fire TV Stick, que transforma qualquer TV em smart

8 de janeiro de 2018
Autor: Junior Candido

Testamos o Amazon Fire TV Stick, que transforma qualquer TV em smart

A Amazon trouxe para o Brasil no final de 2017 o seu Fire TV Stick, para fazer qualquer TV com conexão HDMI se transformar em uma smart, ampliar o conteúdo nos televisores com jogos e aplicativos úteis, além de promover seu Amazon Prime Video, o serviço de streaming da empresa que já conta com interessantes seriados exclusivos. A Amazon vende aqui apenas o Fire TV Stick Basic Edition, porém existem outras opções, mas que ainda não estão oficialmente disponíveis no Brasil.

O dispositivo chega para buscar espaço com o Chromecast, mas com funcionamento diferente. Enquanto o dispositivo do Google simplesmente espelha o conteúdo do seu smartphone de maneira avançada, o Fire TV Stick é independente, precisando apenas de um controle remoto para funcionar, além de oferecer suporte para aplicativos.

Testamos o produto, com uma unidade que a Amazon gentilmente nos cedeu para os testes, e a partir de agora vamos adentrar no pequeno stick, conferir suas capacidades, possibilidades e ver se vale a pena de fato investir os R$289 que ele vale.

Especificações Técnicas

Testamos o Amazon Fire TV Stick, que transforma qualquer TV em smart

Tamanho85,9 mm x 30,0 mm x 12,6 mm
Peso32 g
ProcessadorMediaTek Quad-core ARM 1.3 GHz
GPUMali450 MP4
Armazenamento8 GB internos (armazenamento destinado a conteúdo e sistema operacional) disponíveis para apps e jogos
Memória1 GB
Conectividade Wi-FiWi-Fi de duas bandas e duas antenas compatível com 2×2 MIMO 802.11a/b/g/n/ac
BluetoothBluetooth 4.1
PortaSaída HDMI; micro USB apenas para recarregar
ÁudioÁudio Dolby, som surround 5.1, 2ch stereo e áudio HDMI passam por até 7.1
Formatos de conteúdo compatíveisVídeo: H.264 1080p30H.265 1080p30,
Áudio: AAC-LC, HE-AACv1 (AAC+), HE-AACv2 (eAAC+), AC3 (Dolby Digital), eAC3 (Dolby Digital Plus), FLAC, MIDI, MP3, PCM/Wave, Vorbis, AMR-NB, AMR-WB
Fotos: JPEG, PNG, GIF, BMP

Testamos o Amazon Fire TV Stick, que transforma qualquer TV em smart

O Fire TV Stick também alcança a resolução de 1080p a 60 FPS, conta com recurso para pessoas com deficiência visual, e ainda acompanha um pequeno controle que comanda as funções básicas do dispositivo, além de servir como um controle para alguns games. As suas configurações são bem simples, mas servem bem o princípio básico de exibir vídeos e rodar alguns jogos simples.

Configurando o dispositivo e primeiras impressões

Testamos o Amazon Fire TV Stick, que transforma qualquer TV em smart

Ligar o Fire TV Stick é bem simples. Basta ligar o stick na saída HDMI da sua TV, conectar o cabo USB (que aqui é exclusivo para alimentação, não servindo para conectar nenhum dispositivo nele) na tomada, ou direto na USB da TV, caso seu aparelho dê conta do recado, e ligar. Em uma primeira vez, o Fire TV Stick vai pedir o de sempre: seu e-mail de login, para ativar o aparelho, e configurações iniciais, como o WiFi. É possível pedir o aparelho já configurado pelo site da Amazon, para pular este processo, se preferir.

Também é possível utilizar um aplicativo, chamado Fire TV e disponível na App Store e no Google Play, para utilizar o teclado virtual do smartphone, para evitar selecionar palavra por palavra no aparelho, além de permitir o controle total do dispositivo pela tela de toque. Ele também dá rápido acesso a seus aplicativos instalados e é um ótimo complemento.

Depois é ir para a tela inicial e observar aquele monte de conteúdo que está na tela. A primeira sensação que você tem é a de “UAU, quanta coisa!”, mas depois você vai perceber que todo aquele conteúdo, pelo menos para nós brasileiros, não tem valor nenhum, por um problema bem simples: limitações de região para conteúdo. De cara, você vai reparar que vai poder usar apenas o Amazon Prime Video, a Netflix e o Spotify. O HBO GO que vem com ele só conecta com contas dos Estados Unidos, e o mesmo vale para o Watch ESPN e alguns outros, que explicarei melhor mais para a frente.

Testamos o Amazon Fire TV Stick, que transforma qualquer TV em smart

O app Fire TV para iOS e Android permite o controle direto do dispositivo através do seu smartphone

Voltando para o Stick, na tela inicial você tem três opções simples: a Tela Inicial, que já cataloga o conteúdo do Prime Video para você, e organiza os aplicativos que você usa, além de indicar os melhores aplicativos para cada gênero, como entretenimento ou notícias; a Categorias, que organiza todos os apps disponíveis para download; e as Configurações, que lidam com questões como conexão, gerenciamento de aplicativos, entre outras coisas.

Encontrei um problema ao tentar baixar novos apps, sem ser os essenciais que estavam disponíveis no começo do uso. Ao tentar baixar, uma mensagem aparecia avisando de problemas de endereço, resolvido da seguinte forma: entro no site da Amazon.com.br, vou na página de aplicativos e mando o aplicativo instalar no Fire TV com o comando enviar, no navegador. Um tanto confuso para quem não tem muita intimidade com estas coisas, mas funciona.

Outra maneira de instalar aplicativos na Fire TV é via apk. Usando o ES File Explorer, ou o adbLink, dá para instalar os aplicativos de Android nele, porém lembrando claro, de considerar a integridade deste aplicativo, além de entender que alguns aplicativos podem não contar com o suporte do controle, ficando totalmente inúteis.

Acessando o conteúdo

Testamos o Amazon Fire TV Stick, que transforma qualquer TV em smart

Por ser um produto da Amazon, de cara somos apresentados a todo o seu conteúdo, com seus filmes e séries aparecendo logo na Tela Inicial. Aqui tive um pequeno problema, pois minha conta Amazon era vinculada com conteúdos nos Estados Unidos, e eu não conseguia dar play em nenhum seriado. Tive, então, que entrar no site da Amazon.com e realizar este procedimento para enfim poder ver The Grand Tour sem maiores problemas. Novos usuários, que cadastrarão suas contas Amazon diretamente no Brasil ao comprar o Fire TV não terão este problema.

A Netflix, por sua vez, funcionou sem nenhum problema. Foi só fazer login e assistir seu conteúdo. O mesmo com o Spotify, que faz login apenas com o smartphone, de maneira rápida e simples. O problema começou quando saí da “trindade do streaming” e busquei acessar mais conteúdos em outras fontes. A HBO GO, como mencionei, não funciona com contas brasileiras, sejam elas contas diretas, ou vinculadas a operadoras de TV por assinatura.

Mas, é possível instalar via apk, uma vez que o Android é o coração deste dispositivo. Usando este método, que vale para Windows e Mac, e instalando este apk do HBO GO brasileiro para Android TV, é possível, logar, seja com conta de TV por assinatura, ou pela assinatura independente, o conteúdo da produtora. Inclusive, os 30 dias gratuitos ficam disponíveis, caso não tenha assinatura e queira experimentar.

Outra saída que encontrei, então, que acaba valendo não só para a HBO, mas para qualquer outro conteúdo, foi a de espelhar o notebook. Como sou usuário de Macbook, a solução para meu problema foi a Mirror for Fire TV, que custa R$32,90. Também é preciso baixar o Mirror Receiver for Fire TV, para fazer a conexão e espelhar de maneira simples a tela do seu notebook para o Fire TV, com direito a som e tudo. A conexão conta com um atraso de dois segundos, então é recomendada apenas para assistir a vídeos, que fluem muito bem. Assisti Band of Brothers direto na HBO GO sem nenhum problema, e também Guardiões da Galáxia vol. 2 via DVD. Para quem tem Windows 10, este vídeo ensina de maneira bem simples como fazer o espelhamento.

Voltando ao Stick, podemos falar que sim, o seu conteúdo, mesmo limitado no Brasil por questões de região, é bem satisfatório. A Amazon tem inserido conteúdo muito interessante em sua Prime Video, como o The Grand Tour, a divertida Jean Cloud Van Johnson, com o Van Damme participando de maneira bem interessante, e o ótimo American Gods. Já a Netflix, que funciona sem nenhum problema, também tem sua rica biblioteca, assim como o Twitch e o Youtube, que apesar de não contar com um aplicativo próprio, funciona igualzinho a uma Smart TV dentro do Firefox.

E os jogos?

Testamos o Amazon Fire TV Stick, que transforma qualquer TV em smart

O controle remoto que acompanha o Fire TV Stick também é um controle para jogos. Ele não cumpre com maestria esta função, por razões óbvias, mas quebra um galho em jogos casuais. Stranger Things e Asphalt 8 puderam ser “jogáveis” com o controle, apesar de não ser a melhor opção. Para isso, basta ter um controle bluetooth (usei o controle de meu PS4 nele e funcionou muito bem) e conectar ele no Stick, para transformá-lo em um videogame. Como o Fire OS é um sistema operacional baseado em Android, então é possível jogar diversos games nele.

Na loja do aparelho, encontramos jogos bem interessantes, como o Sonic 1, 2 e CD, Final Fantasy III, IV, V, VI e IX, Minecraft, e Castle of Illusion Starring Mickey Mouse, além de gratuitos importantes, como Hearthstone, PAC-MAN 256 e Angry Birds. A lista completa com os jogos está aqui. Mas não espere nada além do que está na lista, até por que o dispositivo não é lá muito potente para jogos mais exigentes. O próprio Asphalt 8 rodou de forma satisfatória apenas abaixando a qualidade para o mínimo, e mesmo assim ainda apresentou alguns engasgos.

Mas pena mesmo é não contar com o conteúdo da Gamefly, novamente por questões de região. O serviço funciona no Brasil apenas nas televisões da Samsung com Tizen, e assim, mesmo com o aplicativo, uma mensagem aparece avisando que não é possível usar o serviço no Fire TV. Uma pena, pois, com este recurso, o dispositivo seria ainda mais interessante para games. A SEGA Forever também poderia encontrar no stick uma ótima oportunidade para levar seus clássicos a mais gente, e na TV ainda por cima.

O Fire TV Stick pode sim ser utilizado para games, porém levando em consideração a biblioteca bem menor se comparada a um Android, e também a sua limitação de hardware. Para uma central de jogos na sala, apenas para rodar Sonic, Final Fantasy, entre outros jogos semelhantes. E, se você já está pensando em perguntar isso, sim, emuladores estão disponíveis.

Vale a pena?

Testamos o Amazon Fire TV Stick, que transforma qualquer TV em smart

Sim, vale. Mas com algumas ressalvas. Em comparação com o Chromecast 2, que é vendido em média por R$249,90, você terá, por R$40 a mais, independência do smartphone na navegação, mais conteúdo, a possibilidade de curtir alguns jogos e até de, em caso de ser um usuário aventureiro, explorar mais o stick, buscando deixar seu uso mais interessante.

Porém o Fire Stick TV traz, não por sua culpa, um grande problema no que diz respeito a distribuição de conteúdo por região. Alguns pequenos problemas podem acontecer ao baixar aplicativos e assistir vídeos na própria Amazon, como mencionamos na análise, mas é muito chato ver que empresas que operam no Brasil não oferecer um suporte para acessarmos o conteúdo daqui, da mesma forma que já pode ser feito em smartphones e navegadores.

Acredito que a única razão para que isso aconteça é a de que o produto ainda é novidade por aqui, afinal chegou em novembro do ano passado e ainda tem meses de vida, mas espero de verdade que os produtores de conteúdo observem mais este potencial e liberem seus conteúdos para o Fire TV, e qualquer outro produto que seguir.

Mas, independente desta questão de região, temos um ótimo produto: básico, simples, que entrega bem sua proposta de oferecer conteúdo de várias fontes de streaming e ainda pode ser utilizado como um console básico, e apresentar as imagens de suas férias para seus amigos. São importantes e ótimas possibilidades, que valem o investimento, especialmente para quem não tem uma Smart TV.

O Amazon Fire TV Stick está disponível no Brasil por R$289, e pode ser comprado neste linkTestamos o Amazon Fire TV Stick, que transforma qualquer TV em smart.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *