Análise Arkade: as aventuras exóticas de Renowned Explorers

29 de setembro de 2015
Autor: Thaís de Paula

Análise Arkade: as aventuras exóticas de Renowned Explorers

Se você é um daqueles jogadores que curtem ler bastante, gostam de exploração e combinar diferentes perfis de personagens, Renowned Explorers: International Society é um título indispensável. O jogo foi desenvolvido pela Abbey Games, estúdio indie que nos trouxe o simpático e divertido Reus.

O pessoal da Abbey se mudou para Dutch Game Garden, uma incubadora de empresas em Utrecht (capital de uma província homônima nos Países Baixos, Europa), onde, após o sucesso de Reus, começaram a tocar o projeto de Renowned Explorers: International Society para PC.

Os exploradores

Análise Arkade: as aventuras exóticas de Renowned Explorers

Para começar, você tem a sua disposição 20 personagens, o que exige muita atenção, pois é importante levar em conta as biografias, experiências e traços de caráter. Você pode escolher entre lutadores, mercenários, oradores e cientistas. Isso poderá gerar conflitos durante a jornada se não souber balancear a melhor forma de usar os talentos de cada um, já que os exploradores certos podem proporcionar riqueza e fama. Outros exploradores serão desbloqueados conforme você avança.

Conheça bem o caráter, habilidades e peculiaridades de cada explorador do seu grupo para gerir a sua progressão, enquanto caça os tesouros mais prestigiados. Para isso, obtenha ouro em suas expedições e adquira suporte e suprimentos que serão usados na próxima expedição.

Desbrave o mundo

Análise Arkade: as aventuras exóticas de Renowned Explorers

Após reunir seu grupo, você parte em uma aventura com o objetivo de desbravar o mundo, ambientado em um fictício século 19, em busca de tesouros lendários. Jogadores podem escolher entre os modos “discovery” (descoberta) ou “adventure” (aventura), além de níveis de dificuldade em cada um deles. Para iniciantes, o modo discovery é o mais indicado.

Nas duas opções, procure sempre ganhar prestígio explorando templos, cidades esquecidas e desertos. Em seu caminho, você corre o risco de enfrentar contrabandistas, nativos com raiva e animais que vão testar a coragem do seu grupo. Cada expedição tem encontros desafiadores e diversos inimigos que aparecerão para atrapalhar.

Análise Arkade: as aventuras exóticas de Renowned Explorers

Cada encontro é um novo desafio e há diferentes soluções por meio de diálogos, quando você tem a oportunidade de construir sua reputação, escolhendo o integrante certo para conversar, conspirar ou incitar uma luta. Para isso, algumas vezes precisará usar armas brancas, combate a distância ou ataques especiais, num estilo de combate em turnos que remete a jogos como Final Fantasy Tactics (1997).

Análise Arkade: as aventuras exóticas de Renowned Explorers

A jogabilidade é fortemente baseada na atitude e na escolha pelo melhor curso de ação, o que resultará em combate físico ou mental com seus adversários usando charme, intimidação ou força. Há sempre algo novo para descobrir durante as expedições e sua reputação abre oportunidades.

Parece fácil…

De primeira, o que pode atrapalhar algumas pessoas é o idioma, pois o jogo só tem opção em inglês. Fora isso, não é difícil aprender seus mecanismos e regras. O visual é colorido, vibrante e agrada, pois lembra antigos desenhos animados. Os menus foram bem concebidos e tudo fica a mão, assim como a navegação nos mapas é extremamente fácil. A trilha sonora é serena, mas acompanha bem os momentos de combate.

A idade não importa nesse tipo de jogo, pois ele tem potencial para cativar diferentes faixas etárias. Aprender a jogá-lo é fácil, mas isso não quer dizer que tenha poucas exigências quanto ao desenvolvimento de uma estratégia impecável. Não se deixe enganar pelos belos gráficos e o bom humor do jogo.

Como as equipes podem ser compostas por diferentes membros, o jogo tem bom fator replay, já que outros times abrem inúmeras novas possibilidades. É até possível fazer amizades ao invés de partir para briga. Há toneladas de momentos divertidos também, como quando você encontra uma velha louca nas Highlands escocesas.

Ficar preso em um chefe é muito fácil, mas isso faz parte da trajetória de um explorador. O jogo pode tornar-se repetitivo para quem não gosta de ler e prefere apenas a parte do combate. Entretanto, se você estiver com vontade de visitar a lendária Shangri-La, enfrentar vampiros, obter tesouros no túmulo de um faraó, Renowed Explorers realmente vale a pena.

2 Respostas para “Análise Arkade: as aventuras exóticas de Renowned Explorers”

  • 30 de setembro de 2015 às 18:34 -

    Keyko Sakura

  • Super Thais!!! Adorei a review!! Adoro jogos onde há mta coisa pra ler e essa jogabilidade me interessou bastante!

    • 11 de novembro de 2015 às 15:05 -

      Thaís de Paula

    • Oi Keyko. Agora que vi seu comentário. Muito obrigada :)
      Também adoro jogos com muita coisa pra ler . Por isso amo Persona e ainda sonho em terminar a série para começar Corpse Party (fiquei mais interessada ainda em jogar depois que li seu artigo naquele outro site).

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *