Análise Arkade: Andando pelas sombras de Contrast (PC, PS3, PS4, X360)

2 de maio de 2014
Autor: Diana Cabral

Análise Arkade: Andando pelas sombras de Contrast (PC, PS3, PS4, X360)

Já imaginou como seria depender da sombra de objetos e pessoas para realizar uma tarefa? Veja em nossa análise como a luz influencia o mundo de sombras e performance do recente Contrast!

Jogo indie de plataforma e quebra-cabeça que mistura 3D e 2D, Contrast foi desenvolvido pela Compulsion Games com uma premissa simples, mas que modifica consideravelmente a perspectiva do jogador. Essa é a válvula principal de Contrast: jogar por outra perspectiva, em similaridade com Portal, por exemplo.

Na prática, você se movimenta em um mundo em terceira dimensão, contudo, será levado a caminhar num mundo 2D de sombras para resolver puzzles e avançar no caminho.

Análise Arkade: Andando pelas sombras de Contrast (PC, PS3, PS4, X360)

A história – com clima de filme noir – é ambientada na década de 1920, e muitas referências àquela época são encontradas nos cenários, embalados ao som de jazz e influenciados pelo gênero performático “Vaudeville” – um estilo de show muito popular nos EUA e Canadá, desde o final do século XIX até o início da década de 1930, que reunia dançarinos, músicos, mágicos, acrobatas, peças teatrais, comediantes e até animais adestrados.

O ambiente, em parte distorcido e onírico como numa pintura de Salvador Dali, esconde alguns itens colecionáveis, que contêm certas informações sobre o enredo, em grande parte na forma de panfletos, jornais e outros escritos sem possibilidade de zoom, ou seja, temos que fazer um certo esforço para ler tudo.

Análise Arkade: Andando pelas sombras de Contrast (PC, PS3, PS4, X360)

Dawn e Didi.

Você joga com Dawn, uma mulher charmosa e silenciosa que acompanha uma garotinha chamada Didi, numa aventura envolvendo um pai endividado, a união de um casal e o grande mágico Vincenzo. Dawn pode pular, quebrar alguns obstáculos, mover objetos e, principalmente, andar pelo mundo das sombras.

A roda de uma bicicleta, um caixote velho, um saxofonista, pôneis num carrossel… Tudo pode se tornar caminho para Dawn no mundo das sombras. Deve-se aprender a lidar com a influência da luz sobre os diversos objetos para ter êxito. É curioso notar inclusive que os outros personagens existentes no game só são vistos através de suas sombras.

Análise Arkade: Andando pelas sombras de Contrast (PC, PS3, PS4, X360)

A determinada e esperta Didi é sua guia, levando Dawn através de variados locais em três atos do jogo. Pois é, são apenas três atos. Se há um grande pecado nesse game é sua curta duração, que pode ser de, aproximadamente, três a quatro horas, dependendo do seu ritmo de jogo.

Contrast começa a ficar mais interessante quando acaba, pois a história parece ter uma finalização apressada, com uma surpresa sobre o enredo e pronto. Fica aquele gosto meio amargo de que poderíamos ter mais levels e mais detalhes sobre a história — você definitivamente se sente no escuro, sem trocadilhos — , apesar de ter possibilidade de replay.

Se vale a pena? Sim, é um jogo muito interessante de se jogar e muito bonito de se ver. É como um show muito bom que fecha suas cortinas cedo demais, mas ainda assim vale o ingresso!

Contrast está disponível na PSN por R$ 31,00 e na Xbox Live por R$ 29,00. Na Steam, por R$ 24,99. Em breve, o game chegará também ao Xbox One.

6 Respostas para “Análise Arkade: Andando pelas sombras de Contrast (PC, PS3, PS4, X360)”

  • 2 de maio de 2014 às 17:22 -

    Babebiba

  • Cara, que jogo LINDO!
    A Dawn tem cara de ser a Didi crescida. (:

    PS: A abordagem com as sombras lembra Chroma!

  • 2 de maio de 2014 às 19:52 -

    Paulo Macedo Junior

  • Ok. Me convenceu. Comprando…

  • 2 de maio de 2014 às 20:13 -

    Luan Barbosa

  • Será minha primeira jogatina no meu vindouro PS4. \o/

  • 4 de maio de 2014 às 13:08 -

    Diego

  • Achei bem fraco o jogo, não li a análise, mas joguei e achei bem enjoativo! E olha que curto games no estilo

  • 5 de maio de 2014 às 10:36 -

    Juan

  • Diana o estilo do jogo é bem interessante joguei a demo e adorei vou ver se compro! Mas dos últimos arcades lançados o melhor foi o lançamento de CHILD OF LIGHT da Ubisoft o jogo é muito bonito e a mecânica do RPG lembra muito aquela que a gente jogava com os amigos na porta de casa! O jogo é simplesmente perfeito além de ser cute! rs

    Inclusive queira ver uma análise do CHILD OF LIGHT aqui no Arkade.

    Abraço.

    • 5 de maio de 2014 às 15:31 -

      Rodrigo Pscheidt

    • Também estamos jogando Child of Light, Juan!

      Em breve nossa análise estará no ar, fique ligado! ;)

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *