Análise Arkade: Modo Jornada do FIFA 19 fecha a trilogia de Alex Hunter

4 de outubro de 2018
Autor: Junior Candido

Análise Arkade: Modo Jornada do FIFA 19 fecha a trilogia de Alex Hunter

Desde o FIFA 17, o Modo Jornada tem feito sucesso na franquia. Trazendo um “modo história”, e apresentando o mundo do futebol, com seus dias de luta e dias de glória, o modo Jornada trouxe sangue novo para o jogo de futebol, e garantiu um pouco mais de fator replay ao jogo. E, no FIFA 19, a EA decidiu colocar um ponto final na história de Alex Hunter.

Além de Alex, aqui jogador do Real Madrid, você pode jogar com sua irmã, Kim Hunter, que, apesar de seus 17 anos, já é um fenômeno da seleção dos EUA, e forte nome para a Copa do Mundo Feminina de 2019, na França. E também é possível ver a história de Danny Williams, amigo de Hunter, e que busca seu lugar ao sol em times emergentes da Europa. Os dois disputarão a Champions League.

Três jornadas em uma

Análise Arkade: Modo Jornada do FIFA 19 fecha a trilogia de Alex Hunter

A Jornada neste ano é interligada, em um formato semelhante ao que vimos, anteriormente, em Heavy Rain, por exemplo. É possível jogar a história completa de um personagem por vez, mas o jogo sugere que siga a ordem previamente oferecida, trocando os personagens, para que a história seja contada de maneira mais fluída.

Para os três, o jogo funciona da mesma forma. Jogue uma partida, faça os treinos, assista a uma cutscene e, eventualmente, tome decisões. O essencial do modo segue firme. Jogue bem e vá bem aos treinos, e você está no time titular. Dê mancadas e faça treinos ruins, e você vai pra reserva. Ou pode ficar de fora do time.

No fator “jogo” da Jornada, os modos de jogar garantem um pouco mais de personalização ao modo. É possível jogar apenas com os jogadores, mas também dá pra jogar com o time todo. Ou ainda, multiplayer com Danny, ou apenas com os mentores, com Alex. Os mentores são um grupo, ofensivo ou defensivo que você escolhe no início da jornada, e que te ajudarão a melhorar suas características.

E, também é possível se aliar a parceiros. No caso de Alex, são os mentores que você escolhe e, conforme jogam juntos, vão desbloqueando novas possibilidades. E, no caso de Kim Hunter, você tem a ótima parceria de Alex Morgan, uma das estrelas do futebol feminino. E, falando em celebridades, temos participações especiais de jogadores como o Neymar, por exemplo.

Modo Jornada – O jogo

Análise Arkade: Modo Jornada do FIFA 19 fecha a trilogia de Alex Hunter

Falando no jogo, as boas ideias quanto ao controle, e as novidades do FIFA 19, fazem com que o modo seja jogado de diferentes maneiras. Apesar de repetitivo o ciclo treino-jogo-cutscene, os desafios te convidam a sempre dar o seu melhor. É possível desde tirar boas notas nas partidas, até conseguir maior afinidade com o seu parceiro de time.

São três os desafios, para os três personagens: concluir etapas importantes durante o capítulo, como ir para as finais, vencer um rival, ou conseguir boa aproximação de seu parceiro. Também dá pra ganhar pontos concluindo desafios dentro do jogo, como fazer um número X de passes, ou criar X chances de gol. E, a terceira, é a de mandar bem nos treinos, para se garantir no time titular, e melhorar seus pontos de jogador.

Mas, temos alguns probleminhas por aqui. Algumas vezes, bons passes não foram computados, e algumas finalizações, que foram elogiadas pelos narradores, foi contabilizada como algo ruim, te tirando pontos. No geral, a contagem dos pontos no jogo é funcional, mas vez ou outra algumas ações não são bem computadas.

No geral, as mudanças do gameplay fizeram bem ao jogo, por fazer o jogador se comportar melhor no jogo. E serve até como um treino para situações no jogo, tal como era, antigamente, os cenários de International Superstar Soccer, guardadas as devidas diferenças. E, novamente, jogar com os irmãos Hunter ou com Williams seguem sendo uma boa alternativa para quem quer jogar o FIFA 19, mas cansou dos modos tradicionais.

Modo Jornada – A História

Análise Arkade: Modo Jornada do FIFA 19 fecha a trilogia de Alex Hunter

Já a história, tem um grande problema. Sabe quando você tem uma história boa, mas contada de maneira ruim? É o que acontece por aqui. O enredo é bacana, ver os altos e baixos dos três jogadores está interessante, e é gratificante vê-los, pouco a pouco, conquistando os seus objetivos. Entretanto, a maneira a qual tudo é contado, é confusa e, em alguns momentos, controversa.

A linha do tempo entre os três é uma boa sacada. Porém, para fazer um enredo desta maneira, é preciso amarrar muito bem a história. Mas não é o que acontece por aqui, uma vez que a história de Kim Hunter, focada na Copa do Mundo de junho de 2019 se distancia muito em boa parte do jogo dos outros dois jogadores. Isso faz com que momentos importantes sejam apresentados com óticas diferentes. Mas apresentados de maneira esquisita, pois você pode fazer uma boa ação, e na cena com o outro personagem, ele diz que o momento foi “estranho”.

Outro problema é que você tem a impressão de que, apesar de tomar decisões, o jogo segue seu próprio rumo. Não importa se você joga bem todas as partidas, uma hora será questionado e começará no banco. Não importa se você tomou uma decisão errada e se deu mal. Nos jogos o seu personagem se comporta como “se nada tivesse acontecido”.

Este tipo de coisa traz um sério problema para esse tipo de jogo. Tomar decisões e ver que, no final, o jogo segue seu próprio caminho é decepcionante. Piorado pelos “rivais”, que são esteriotipados, fracos e não são motivadores para o jogador, embora tenham sido criados para tal.

Encerrando com chave de ouro no FIFA 19?

Mas, não podemos ser injustos e dizer que a história é ruim. Pelo contrário. É interessante, e mostra bem os grandes desafios do mundo do futebol, dentro e fora dos campos. É uma boa maneira de terminar as histórias e, a partir dos resultados coletados com os jogadores, poder planejar algum futuro para este modo, se for esta a intenção.

A nova parceria do FIFA 19 com a UEFA Champions League ajudou a trazer um grande e decisivo torneio para dentro da história. Porém, a soma de amistosos, e, no caso dos jogadores homens, seus torneios nas ligas nacionais, deixa o modo mais extenso do que deveria ser. E somado a repetição do treina-joga-decide-algo, pode deixar o modo cansativo, ás vezes.

Mas sim. Mesmo com os problemas explicados, este capítulo do Modo Jornada está interessante. Os três protagonistas são legais, carismáticos e conseguem criar laços afetivos com o jogador. As decisões, apesar de rasas, dão um leve tom dramático. E, no campo, os desafios e as maneiras diferentes de se jogar tornam o modo bem convidativo, especialmente para quem gosta de usar o modo para treinar situações de jogo.

O Modo Jornada é uma das novidades de FIFA 19. O game está disponível para Playstation 3, Playstation 4, Xbox 360, Xbox One, PC (exclusivo no Origin) e Nintendo Switch.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *