Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa

19 de novembro de 2014
Autor: Rodrigo Pscheidt

Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa

Quando foi a última vez que um jogo lhe ensinou algo realmente interessante sobre um tema que você não conhecia? Never Alone está aí para nos ensinar sobre a cultura dos nativos do Alasca de maneira encantadora.

Eu não sei você mas, que eu me lembre, nunca aprendi muito sobre o Alasca nas aulas de Geografia da escola.

Ok, eu sei que é um lugar com clima frio, que tem ursos polares e onde dá para ver a Aurora Boreal… mas e o povo de lá? Quem são? Como vivem? Quais são seus costumes e tradições?

Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa

Talvez estas perguntas já tenham sido respondidas pelo Globo Repórter ou por algum documentário do National Geographic ou do Discovery Channel. Mas Never Alone me deu uma aula sobre a região e a cultura dos Iñupiat (que são os nativos da região) de maneira muito mais lúdica e interessante.

Uma fábula diferente

Never Alone nos conta a história de Nuna, uma garotinha Iñupiaq muito corajosa que vive em uma aldeia que está sendo terrivelmente afligida por terríveis nevascas. A neve impossibilita a caça, de modo que seu povo está definhando para a morte.

Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa

Curiosa como toda criança, Nuna decide sair e descobrir o que está causando tempestades de neve tão severas. Sua viagem poderia acabar de forma trágica quando um feroz urso polar a persegue… mas ela é salva por uma bela raposa do ártico!

Um forte laço de união imediatamente se forma entre Nuna e a raposa, e as duas seguirão juntas em uma jornada que mistura realidade, folclore e fantasia para nos apresentar de maneira lúdica um pouco das tradições dos Iñupiat.

Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa

Never AloneKisima Ingitchuna no idioma original — é uma adaptação de um conto típico do povo Iñupiat. Contadores de história e anciãos dos Iñupiat participaram ativamente da concepção do game (graças ao Cook Inlet Tribal Council), o que resulta em uma experiência respeitosa e autêntica da vida daquele povo.

Explorando o Alasca

Never Alone é um jogo de plataforma 2.5D com alguns puzzles. Ele pode ser jogado cooperativamente por 2 jogadores no mesmo console, onde um assume o controle de Nuna, outro de sua companheira raposa.

Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa

Se você não tem um player 2 por perto, fique tranquilo, pois também é possível curtir o jogo sozinho, apertando o botão triângulo (no PS4) para alternar entre as duas aventureiras. No single player, a inteligência artificial se encarrega da personagem que sobrar e não decepciona (embora cometa algumas gafes), mas se puder, arrume alguém para jogar com você, pois o coop “de sofá” sempre é mais divertido.

A jogabilidade é bastante simples e se apoia na sinergia entre as protagonistas: Nuna é capaz de empurrar/puxar coisas e também pode destruir barreiras e “acordar” espíritos com sua boleadeira. A raposa, por sua vez, é capaz de se esgueirar por frestas e saltar entre duas paredes, além de conseguir “evocar” espíritos da natureza que serão muito úteis em sua jornada.

Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa

O vento da nevasca pode ser tanto seu inimigo quanto seu aliado: soprando contra ele vai dificultar o seu progresso e te empurrar em abismos, mas correntes a favor ele pode impulsionar os saltos de Nuna e levá-la mais longe. Pegue o timing das correntes de ar e use-as com sabedoria!

Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa

O game intercala momentos de plataforma com pequenos puzzles baseados em física e algumas sequências de perseguição bem bacanas. Temos até uma outra boss battle, mas o foco nunca é o combate direto: você precisa usar elementos do cenário para se livrar dos inimigos.

Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa

Never Alone mistura trechos de plataforma…

Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa

Com perseguições…

Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa

E boss battles diferenciadas.

O folclore dos Iñupiat também será de grande ajuda em sua jornada: espíritos com formas de animais podem se tornar plataformas e apoios, além de carregar o jogador em alguns trechos.

Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa

Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa

Só fique ligado para não afastar a raposa dos espíritos, pois é a “aura” dela que os mantém “acesos”!

Audiovisual

Produzido com a versátil engine Unity, Never Alone é um jogo de visual bem agradável. Se por um lado as planícies gélidas do Alasca não oferecem muita variedade de cenários, por outro temos elementos como lagos cristalinos, tribos e a belíssima Aurora Boreal (retratada com um toque de fantasia bem interessante) para quebrar a mesmice.

Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa

Esse espírito verde é a representação folclórica da Aurora Boreal. Há um vídeo que conta a história.

Entre uma fase e outra, a jornada de Nuna é mostrada por animações “tribais” muito bacanas. A aventura é toda narrada no idioma Iñupiat, mas felizmente, o jogo está 100% legendado em português, de modo que podemos entender tudo! =)

A trilha sonora se faz presente quando necessário, mantendo uma pegada tribal que combina perfeitamente com o jogo. Na maior parte do tempo, porém, é o som do vento, dos seus passos e o pio das corujas que irá te acompanhar.

Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa

Mesmo que não falem, Nuna e a raposa são muito carismáticas e fofinhas, e a simples afeição à elas consegue manter o jogador interessado por toda a campanha — que dura cerca de 4 horas. Sim, o jogo é relativamente curto, mas a mensagem que ele passa é bem maior.

A cultura Iñupiat

Sem dúvida o grande destaque do jogo. Como eu já disse lá no começo, o Alasca e o povo Iñupiat são meio deixados de lado nas aulas de Geografia, mas esta carência é muito bem suprida por Never Alone.

Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa

Conforme você avança, vai destravando vídeos onde contadores de história, estudiosos, anciãos e jovens do povo Iñupiat revelam um pouco de suas tradições, relembram o tempo de seus antepassados e celebram a cultura da região.

Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa

A fauna do Alasca, os valores familiares dos Iñupiat, seus costumes e tradições, o clima do Alasca e os efeitos do aquecimento global naquela região, tudo isso e muito mais nos é apresentado de maneira bem didática, em duas dúzias de vídeos curtinhos mas cheios de conteúdo.

Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa

Os vídeos mostram um pouco da cultura Iñupiat

Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa

Da fauna local…

Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa

E dos costumes e tradições de quem vive por lá.

Muito mais do que um idioma ou ou uma simples crença, a cultura Iñupiat é muito rica, e seus preceitos de igualdade e respeito ao meio ambiente são belíssimos. Lendas e mitos se fundem a elementos reais para criar um folclore cheio de peculiaridades que merece ser conhecido e um estilo de vida que deveria ser muito mais difundido.

Conclusão

Never Alone me lembrou bastante outro belo jogo que saiu recentemente: Valiant Hearts. Em ambos os casos, o gameplay é simples, os personagens são carismáticos e a história é tocante, mas é a bagagem cultural que está “embutida” nestes jogos é que é seu maior triunfo.

Se em Valiant Hearts eu aprendi muito sobre a Primeira Guerra Mundial, com Never Alone eu tive uma verdadeira aula sobre a cultura Iñupiat. E eu gostei muito de tudo o que aprendi com o game.

Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa

Se aprender algo novo sempre é bom, aprender algo novo jogando videogame é melhor ainda. Por isso, não posso deixar de recomendar Never Alone a todos que buscam não apenas um belo jogo, mas também conhecimento e novas formas de enxergar o mundo. Que venham mais jogos assim.

Produzido em uma parceria da E-Line Media e da Upper One Games com o Cook Inlet Tribal Council, Never Alone foi lançado digitalmente ontem, dia 18 de novembro, com versões para PC, Playstation 4 e Xbox One.

4 Respostas para “Análise Arkade: Never Alone é um jogo indie que encanta, emociona e nos ensina muita coisa”

  • 19 de novembro de 2014 às 21:29 -

    Christian

  • Gostei muito da análise ,me fez querer comprar o jogo. 

  • 20 de novembro de 2014 às 10:15 -

    Chinalia

  • muito bonito, acho q vale a pena testar esse jogo. 

  • 21 de novembro de 2014 às 16:15 -

    Wellinton Higashiro

  • Lindo game concertesa fa´ra sucesso por tais elementos

  • 22 de dezembro de 2014 às 19:25 -

    Iago Caldeira

  • Estou jogando e gostei demais .. me lembra um pouco o jogo Limbo .. porém esse é baseado em uma história … muito legal , vale a pena baixar .

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *