Análise Arkade: Taiko no Tatsujin Drum ‘n’ Fun traz percussão e diversão com tempero oriental

1 de dezembro de 2018
Autor: Rodrigo Pscheidt

Análise Arkade: Taiko no Tatsujin Drum 'n' Fun traz percussão e diversão com tempero oriental

Quem curte cultura japonesa provavelmente sabe o que são taikos, os tradicionais tambores japoneses. Se você sempre quis tocar um desses, a série Taiko no Tatsujin está aí para lhe propiciar esta experiência!

Contextualizado

Talvez você tenha visito o vídeo de um sujeito insano mandando MUITO bem em um game de tambor que viralizou nas redes sociais há um tempinho. Esse vídeo aqui:

Pois bem, esse jogo é Taiko no Tastujin, e ele é baseado nos tradicionais tambores taiko japoneses. Como eu sei disso? Bem, eu tenho uma namorada que gosta muito de cultura japonesa, e que me apresentou à alguns jogos nipônicos. Foi ela quem me apresentou à divertida franquia Katamari, por exemplo, e hoje em dia eu curto muito a série.

Certo dia, lá nos tempos de PS2, ela me apareceu com um controle em forma de tamborzinho e dois ou três jogos (ORIGINAIS, coisa rara na época do PS2!) da série Taiko no Tatsujin, vindos direto do Japão. Como baterista que sou, me interessei pelo brinquedo, e, salvo o excesso de “japonesice”, no geral os games são bem divertidos.

Análise Arkade: Taiko no Tatsujin Drum 'n' Fun traz percussão e diversão com tempero oriental

A foto tá meio ruim, mas é só pra comprovar que ainda tenho o kit do PS2 <3

Quando vi que dois novos jogos da série estavam para sair, não perdi tempo, e contatei o pessoal da Bandai Namco para experimentar pelo menos um deles. Optei pela versão Nintendo Switch, que tem um componente “lúdico” dos Joy-Cons mesmo sem o tambor (ainda que exista um novo tamborzinho para ser comprado separadamente). O jogo em questão é Taiko no Tatsujin Drum ‘n’ Fun, e aqui estão minhas impressões sobre ele!

É jogo de ritmo…

Taiko no Tatsujin é essencialmente um jogo de ritmo e percussão. É meio que parecido com Guitar Hero: nosso objetivo é acertar a batida no tempo da música, acompanhando as referências visuais que passam pela tela.

Análise Arkade: Taiko no Tatsujin Drum 'n' Fun traz percussão e diversão com tempero oriental

Como num taiko de verdade, existem dois tipos principais de batidas: a batida no tambor propriamente dito (representada no game por ícones vermelhos) e a batida na quina do tambor (que aqui são ícones azuis). Misturando isso a drum rolls e “quick time events” temáticos variados, podemos seguir o ritmo de dezenas de músicas, cada uma com pelo menos 4 níveis de dificuldade.

O Taiko no Tatsujin do Nintendo Switch permite que o jogador use os Joy-Cons como se fossem baquetas, batucando “no ar” para simular a percussão no tambor. Jogar com o controle-tamborzinho sem dúvida é uma experiência mais “autêntica” — e eu acabarei comprando um no futuro, para alegria da patroa –, mas no geral os Joy-Cons fazem um bom trabalho, ainda que a percepção dos movimentos não seja 100% precisa.

Confira um pouco de gameplay abaixo:

Vale ressaltar que também é possível jogar simplesmente apertando os botões do Joy-Con, mas, convenhamos, isso é tão sem graça quanto jogar Guitar Hero no controle. Foi justamente o lado lúdico do Switch que me fez optar por esta versão, em detrimento da versão PS4.

E também é party game

Um diferencial muito bacana deste jogo em relação aos de PS2 que eu joguei, é que ele não fica focado apenas em música e ritmo: há um Party Mode que traz diversos tipos de mini-games, que podem ser jogados por até 4 players, tanto no mesmo console quanto em estilo “lan party”, com vários consoles conectados à uma mesma rede.

Análise Arkade: Taiko no Tatsujin Drum 'n' Fun traz percussão e diversão com tempero oriental

Os mini-games são baseados em timing, memória  e atenção: você pode ter que repetir sequências de batidas (com e sem auxílio visual), acertar o timing para o seu personagem pular corda, escalar uma torre com movimentos ritmados, amassar o mochi (massa de bolinho japonês), jogar vôlei de praia, e por aí vai. São joguinhos simples, mas que fazem bom uso das mecânicas de percussão do game, e são ótimos para se jogar com a galera.

Trilha sonora e visual

Antes de julgar a trilha sonora, lembre que estamos falando de um jogo japonês, ok? Dito isso, a trilha sonora até que consegue ser bem eclética, trazendo desde sinfonias clássicas de Beethoven e Mozart até faixas de J-Pop modernas, bem como algumas músicas de games (Pac-Man, Kirby, Splatoon, entre outros) e até temas clássicos de animes — sim, tem Cha-La Head-Cha-La, de Dragon Ball (em japonês, claro).

Análise Arkade: Taiko no Tatsujin Drum 'n' Fun traz percussão e diversão com tempero oriental

Ainda que estas músicas dificilmente fariam parte de uma playlist no meu Spotify, elas sem dúvida combinam com o game, e no geral são bem divertidas de tocar taiko style. O jogo tem um apelo infantil bem forte, cheio de tamborzinhos sorridente, animais em vestes típicas, e muitos fogos estrelas e serpetinas saltando pela tela o tempo todo. Taiko no Tatsujin é um jogo alegre e colorido — de um jeito bem japonês.

Análise Arkade: Taiko no Tatsujin Drum 'n' Fun traz percussão e diversão com tempero oriental

Por fim, vale uma dica que o jogo avisa, mas não custa relembrar: o game pode apresentar um leve delay quando o Switch é utilizado no modo TV sem fones de ouvido, de acordo com as configurações de imagem do televisor. Justamente por isso, temos 2 modos de ajuste diferentes: um para o modo portátil, outro para o modo TV. Se você estiver errando demais o timing da batida mais do que deveria no modo TV, dê um trato nas configurações.

Conclusão

Taiko no Tatsujin Drum ‘n’ Fun é claramente um jogo de nicho, mas se você se encaixa neste nicho, pode vir sem medo, pois ele entrega exatamente o que seu subtítulo promete: Drum ‘n’ Fun (percussão e diversão). Os “otakus” que frequentam eventos de cultura japonesa sem dúvida estão familiarizados com as apresentações de taiko, e isso aqui nos dá um gostinho desse instrumento, de um jeito bastante lúdico e divertido.

Análise Arkade: Taiko no Tatsujin Drum 'n' Fun traz percussão e diversão com tempero oriental

Reforço que optei pela versão Nintendo Switch justamente porque os Joy-Cons podem ser usados como baquetas, sem a necessidade de outros acessórios, mas também saiu um Taiko no Tatsujin para PS4 recentemente. Em ambos os casos, você pode adquirir o controle-tamborzinho para aumentar a autenticidade da experiência (e a diversão).

Taiko no Tatsujin Drum ‘n’ Fun chegou em 2 de novembro, exclusivamente ao Nintendo Switch. Na mesma data, o PS4 recebeu o jogo Taiko no Tatsujin Drum Session. Ambos os games têm áudio em japonês, menus e legendas em português.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *