Campus Party 2013: cineasta brasileiro apresenta a evolução dos MMORPGs

31 de janeiro de 2013
Autor: Junior Candido

Campus Party 2013: cineasta brasileiro apresenta a evolução dos MMORPGs

Quarta-feira foi dia de conhecermos a evolução do MMORPG na Campus Party 2013. O tema foi trazido a pauta por Gustavo H. M. Silva, diretor da Cítrico Filmes que está produzindo o documentário Simulacro, onde aborda este gênero e seus jogadores.

Gustavo começou contando a história do RPG massivo nos games e relatou exemplos que foram os embriões dos games de hoje: Diablo e Pokémon, que mesmo em uma época com menor conectividade , traziam recursos onde os jogadores poderiam interagir entre si.

Segundo o cineasta, o primeiro game de MMORPG foi Meridian 59 de 1996, mas Tibia e Ultima Online foram os verdadeiros responsáveis pela popularização do gênero.

Depois que os primeiros games do gênero já estavam funcionando, Gustavo citou também o RPG Maker de 1999 – programa que dá ao usuário a capacidade de produzir seu próprio RPG – como outro fator que contribuiu com a popularidade do gênero.

O RPG Maker resultou em inúmeros projetos, até chegarmos ao ano 2000, que foi o “BOOM” dos MMORPGs, tendo como o seu principal porta-bandeira o coreano Ragnarok, game que se tornou um verdadeiro fenômeno mesmo com a internet precária e a banda larga quase inexistente da época.

A partir daí, os games massivos de RPG online começaram a conquistar o mundo, com jogos de vários tipos e temas, sendo que nos últimso anos, o maior representante do gênero é o onipotente World of Warcraft, da Blizzard.

Segundo dados de Jane McGonigal, da TED, atualmente os MMOs geram mais e mais comunidades ao redor do planeta, um grupo crescente de usuários que, juntos, geram cerca de 3 bilhões de horas jogadas por semana em todo o mundo.

Gustavo afirma que a tendência atual é a criação de novidades para o gênero – primeiramente com os próprios games em si – e depois atraindo mais jogadores para a criação de uma comunidade virtual global paralela, onde a interação, que é a marca desta geração aficcionada por MMOs, continue a crescer.

Abaixo, você pode conferir o trailer do filme Simulacro:

O documentário Simulacro ainda não tem previsão de lançamento, mas você pode ajudar Gustavo a tocar o projeto. O site oficial do filme funciona como uma espécie de Kickstarter e está aceitando doações para levantar a grana necessária para o seguimento do projeto.

9 Respostas para “Campus Party 2013: cineasta brasileiro apresenta a evolução dos MMORPGs”

  • 31 de janeiro de 2013 às 11:28 -

    Heitor Alencar Moraes

  • Se o Neverwinter Nights de 1991 não é um MMORPG, qual elemento faltaria para ser?

    • 27 de fevereiro de 2013 às 01:15 -

      Leandro Lima Rodrigues

    • Ele É RPG com multiplayer. Para ser MMO, o mundo deve se manter online quando você desconecta. E não esquecendo que existe agora o novo termo que é o Mundo Compartilhado (Shared World) onde o mundo existe e você atua nele, mas os dias passam, as horas, dia, noite, estações do ano. Se você ficar muito tempo offline, o mundo poderá ter mudado muito e suas missões se tornam inúteis.

    • 27 de fevereiro de 2013 às 01:53 -

      Anderson Badari

    • basicamente um mmorpg, só que com mudanças mais profundas? tipo, na verdade, um mmorpg muda bastante, entretanto a economia é o fator de maior mutabilidade. nao compreendi ao certo esse SHARED WORLD

  • 31 de janeiro de 2013 às 09:32 -

    @TiagoGilvan

  • Muito bom o Gustavo levar uma matéria de um tema que só tende a crescer, e que sempre foi bom, e ressaltar o crescimento do MMORPG de Meridian 59 até o grande World of Warcraft, enfim ótima apresentação!

  • 31 de janeiro de 2013 às 09:35 -

    Renan do Prado

  • Esse parece ser um filme bastante interessante!!!

    • 31 de janeiro de 2013 às 09:59 -

      leandro leon belmont alves

    • talvez tenha nos Youtubes da vida

  • 27 de fevereiro de 2013 às 01:09 -

    Ale Santos

  • Então, na verdade ele tentou contar a evolução dos RPGs, que (estes sim) deram origem aos MMORPGs.

    Improvável que tenha falado dos RPGs Massivos nos Games… para ser massivo precisaria de muitos players o que aconteceu apenas quando os RPGs eletrônicos se tornaram online (MMORPGs).

    • 27 de fevereiro de 2013 às 01:14 -

      Leandro Lima Rodrigues

    • Realmente, virou um balaio de gatos de informação wikipediana. Ele deveria ter focado e falar em RPG ou em MMORPGs

  • 6 de março de 2013 às 01:06 -

    Vitor Ferreira Campos

  • LINK START!

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *