Editorial: Ainda vale a pena apostar em um 3DS em 2019? Pra mim, sim.

17 de janeiro de 2019
Autor: Junior Candido

Editorial: Ainda vale a pena apostar em um 3DS em 2019? Pra mim, sim.

Lançado no já distante ano de 2011, o 3DS buscava manter a fama do Nintendo DS e a tradição da Nintendo com portáteis. O console, embora tenha contado com uma estreia confusa, por causa de seus recursos em 3D, aos poucos foi se consolidando, e muito disso devido a seus bons jogos, além do suporte ao Virtual Console, que oferecia games de NES, Game Boy, Game Gear, entre outros.

Até alguns clássicos foram remasterizados, focando as capacidades do portátil. Excite Bike, Streets of Rage e Out Run são alguns exemplos de games que demonstraram muita qualidade, e somado por jogos como Resident Evil Revelations, o remaster de Zelda: Ocarina of Time e Majora’s Mask, o ótimo Mario 3D Land, além de adaptações bem feitas como a de Street Fighter IV, garantiram ao portátil bons dias.

Mas, o tempo passa e muita coisa muda com ele. Hoje em dia, a jogatina móvel é quase que, predominantemente, dos smartphones e tablets. Que aliam praticidade e qualidade gráfica, dando margem a inúmeros jogos, dos mais variados gêneros. Também temos que levar em conta que os dias atuais não são muito amistosos com consoles portáteis. Exceto para os entusiastas, ou colecionadores, se estivermos falando de portáteis antigos.

Entretanto, ainda há razões para acreditar na diversão oferecida por um portátil, e a “culpa” é toda da Nintendo. Tudo bem, sei bem que o 3DS não recebe mais tantos jogos assim como antigamente. Mas todo o trabalho feito pela Big N em torno dele, o fez um aparelho muito bacana de se ter. Mesmo com a “concorrência” do Switch, que já é considerado por muitos, mais portátil do que console de mesa. A Nintendo, inclusive, conseguiu vencer em um terreno no qual a Sony já abriu mão há muito tempo, quando literalmente abandonou o seu PS Vita, cuja fabricação se encerra de vez neste ano.

Uma das boas razões para se apostar em um 3DS em 2019 é a sua biblioteca. De lançamentos, temos apenas Luigi’s Mansion, lançado em outubro do ano passado, e Mario & Luigi: Bowser’s Inside Story + Bowser Jr’s Journey. E, mesmo com a promessa de mais jogos para este ano, sabemos bem que serão bem menos do que o esperado. Ainda assim, há uma biblioteca incrível para se conhecer. E, se você pulou o DS, aí sim a festa é completa. Pois há praticamente uma centena de jogos de qualidade pra você conhecer.

Vale lembrar também que os games já se encontram mais baratos. Se você não está a fim de desbloquear o console, pode achar jogos como Batman Arkham Origins: Blackgate, por R$40, usado. Ou ainda, na eShop, dá pra levar Zelda: Ocarina of Time, por R$75, Metal Gear Solid 3 por R$37. Ainda assim, há as promoções dos games do Virtual Console, que contam com jogos de NES a R$9 e de Super NES, a R$25. Desde que comprei o meu, no eBay em uma Black Friday, tenho aproveitado bastante os games disponíveis.

Editorial: Ainda vale a pena apostar em um 3DS em 2019? Pra mim, sim.

Apesar de poucos, o 3DS segue recebendo alguns lançamentos, como o Mario & Luigi: Bowser’s Inside Story + Bowser Jr’s Journey

Outro fator importante, que, pelo menos pra mim fez a diferença pra apostar no portátil, é a “tranquilidade”. Eu pulei a geração portátil atual, por apostar nos games de smartphone. E até curti (e curto) jogos legais no celular, como GTA: Chinatown Wars, Full Throttle, Oceanhorn, ou Mega Man X remasterizado. Entretanto, mais do que nunca, notificações (mesmo com o modo não perturbe ativado) e uma necessidade pessoal de me afastar de smartphones fora da hora de trabalho, me fizeram apostar no portátil.

E mais um fator, que também pesou pra mim, foi a bendita da bateria. Tudo bem, o 3DS não tem lá uma bateria de Kindle, e precisa ser carregado regularmente. Mas nem se compara com o carrega-descarrega dos smartphones atuais, não é mesmo? Com o amigo da Nintendo, dá pra curtir uma viagem numa boa, com o celular lá no seu canto quietinho, consumindo o mínimo possível. Tentei otimizar tudo no celular, mas infelizmente, as baterias ainda são um enorme problema pra isso. Logo, a possibilidade de ter novamente o portátil acabou sendo uma boa.

Mas é claro, estas opções são bem pessoais, e são apenas um pouco do que me motivou a, em pleno 2019, apostar em um 3DS. Poderia ter comprado um Switch? Sim, mas pessoalmente, ainda não consigo confiar nele como dispositivo portátil (considerando a compra de um console para viagens e coisas do tipo). O preço também ajuda muito. Um 3DS hoje, no Brasil pode ser encontrado por preços entre R$400 a R$1.200. Variando, claro, entre novos e usados, e o que acompanha cada console. No eBay, com sorte, dá até pra encontrar um por R$300. O que custa bem menos do que os R$1.700 médios do Switch por aqui.

Editorial: Ainda vale a pena apostar em um 3DS em 2019? Pra mim, sim.

Só o fato de ter Ocarina of Time no bolso e em qualquer lugar, já vale a compra de um 3DS.

O combo preço – ausência de notificações – jogos legais – bateria própria foram o que me motivaram a isso. Lançamentos? Talvez ainda apareçam mais uma coisa ou outra, mas o futuro do portátil, não é lá tão claro. Mesmo com as promessas da Nintendo. De qualquer forma, um 3DS é um console para quem ama portáteis. É para se ter por anos, mesmo depois do fim de sua vida útil. Ele oferece diversos jogos bons, tem retrocompatibilidade com o DS. Tem ótimos clássicos no Virtual Console e, com certeza, é garantia de muitas horas de boa jogatina.

Mas quero ouvir de você. Ainda tem seu 3DS? Ou já vendeu? O que acha do mundo dos portáteis? Qual seu jogo preferido do 3DS e o que você mais gosta no console? Vamos conversar.

Uma resposta para “Editorial: Ainda vale a pena apostar em um 3DS em 2019? Pra mim, sim.”

  • 18 de janeiro de 2019 às 21:43 -

    Samuel

  • Tenho um Nintendo DS usado que comprei em 2017,mas,que a bateria ja está bem ruinzinha.Penso em comprar um 2DS XL quase que pelos mesmo motivos que você citou e acho que pra mim vale muito mais a pena que um swich por conta do preço do console e dos jogos.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *